As crenças populares asiáticas que tentam combater a poluição

 

Os elevados níveis de poluição nas grandes cidades asiáticas não são novidade para ninguém. Porém, este inverno a qualidade do ar parece ter piorado e as vagas de smog têm aumentado, impedindo as populações de sair à rua ou condicionando as actividades quotidianas.

 

Na ausência de uma solução definitiva para o problema da poluição, muitos cidadãos tentam minimizar os seus efeitos na saúde, tentando proteger os seus pulmões dos agentes nocivos. No entanto, os métodos que utilizam para se protegerem são ineficazes, na melhor das hipóteses, ou prejudiciais, na pior. Fique a conhecer quais são:

 

Filtros dos cigarros no nariz

 

“Uma solução mágica para lidar com a poluição. Pegue em dois filtros de cigarro e insira-os nas narinas”, afirma uma popular mensagem no Sina Weibo, uma rede social semelhante ao Twitter, refere o Quartz.

 

As autoridades sanitárias rapidamente desmentiram o facto, sublinhando que os filtros podem prejudicar a respiração e até enviar pequenos filamentos para os pulmões. Além disso, os filtros dos cigarros não conseguem neutralizar os efeitos nocivos do tabaco, daí que também não consigam neutralizar os efeitos prejudiciais da poluição.

 

Bacon grelhado

 

Na Coreia do Sul, onde a poluição da China chegou através do vento e cobriu Seul e outras cidades, as vendas de bacon grelhado, conhecido localmente como Sam Gyeop Sal, mais do que triplicaram. Os coreanos acreditam que o prato pode absorver as toxinas ambientais.

 

Artes marciais antipoluição

 

Uma escola primária de Hebei, uma localidade industrial no sudoeste de Pequim, implementou um programa de artes marciais antipoluição. A instituição acredita que as artes marciais vão ajudar a fortalecer os pulmões das crianças e ajudá-los a suportar melhor o ar poluído da China.

 

A verdade é que a actividade física, mesmo em espaços interiores, leva a um aumento da respiração, o que faz com que as pessoas inspirem mais toxinas.

 

Sapo TL com Green Savers PT

horadoplaneta às 12:48 | link do post | Adicionar aos favoritos