Organização Meteorológica Mundial apoia Timor-Leste com sistemas de avisos climatéricos

A Organização Meteorológica Mundial está a apoiar cinco países da região da Ásia e Pacífico, entre eles Timor-Leste, a desenvolver sistemas de alerta antecipados que os ajudem a lidar melhor com eventos climatéricos e atmosféricos. 

 

 

O programa envolve Fiji, Ilhas Salomão, Papua Nova Guiné, Timor-Leste e Vanuatu e pretende ajudar um Fundo Verde de Clima (GCF, na sigla em inglês) direcionado especialmente para os sistemas de alerta climatérico.

 

Em comunicado, a OMM explicou que o programa pretende responder ao impacto que as alterações climáticas estão a ter, tornando os riscos meteorológicos mais extremos e difíceis de prever, o que constitui "uma ameaça" para estes e outros pequenos países insulares em desenvolvimento.

 

"Esta Instalação de Preparação de Projetos é essencial na conceção de uma iniciativa liderada por projetos, de propriedade e sustentada por países, que atinja um impacto climático e de desenvolvimento real nestas cinco ilhas altamente vulneráveis", disse a diretora do departamento de Desenvolvimento e Atividades Regionais da OMM, Mary Power.

 

"Além disso, representa um instrumento de programação através do qual a OMM, juntamente com os seus países membros e parceiros, pode definir estratégias efetivas para fortalecer a resiliência aos riscos hidrometeorológicos e climáticos", frisou.

 

O projeto regional, que será adaptado às necessidades especificas de cada país, tem um valor inicial de 535 mil dólares que servirão para desenhar propostas concretas e conceber "projetos inovadores" para os cinco países.

 

As atividades de preparação de projetos incluem um inventário dos Sistemas de Alerta Antecipado (EWS) nos cinco países, consultas para envolver as partes interessadas e "estudos de viabilidade para garantir que os investimentos propostos são social, técnica, económica e ambientalmente saudáveis".

 

O objetivo é que a OMM use a sua experiência para apoiar os cinco países a "fortalecer a forma como se preparam para estes eventos meteorológicos antes de ocorrerem".

 

"Um sistema de alerta precoce é uma abordagem multifacetada projetada para monitorizar e prever melhor os perigos meteorológicos e implementar uma solução de emergência mais efetiva. Os sistemas mais eficazes contêm quatro componentes que detetam, monitorizam e projetam perigos, analisam riscos relacionados, divulgam avisos oportunos e ativam planos de resposta de emergência", indicou a OMM.

 

Segundo o Relatório de Riscos Mundiais, os países abrangidos "estão altamente expostos e vulneráveis a riscos climáticos extremos, como ciclones tropicais, ondas de tempestade e inundações costeiras", com especial destaque para Fiji e Vanuatu, que "estão entre os 15 países com maior vulnerabilidade aos riscos naturais em todo o mundo".

 

Augusto Pinto, responsável da direção de Mudanças Climáticas em Timor-Leste, considerou o projeto especialmente importante para o país que se depara "com os riscos induzidos por mudanças climáticas, como inundações prolongadas e secas, bem como tempestades".

 

O sistema é especialmente útil para ajudar os agricultores a minimizar perdas e danos nas culturas, disse.

 

Lusa

horadoplaneta às 11:09 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos