Sexta-feira, 28.06.13

Qatar reúne tecnologia para produzir água potável, comida e energia no deserto

Chama-se Sahara Forest Project e é a mais recente estratégia do Qatar para produzir comida, água potável e energia limpa nos seus desertos, utilizando a água do mar. O ambicioso projecto junta diversos sistemas e tecnologias para que subprodutos de um processo sejam usados como alimentação para outros.

 

 

Neste processo, a água do mar e o sol serão fundamentais. Bombeada do Golfo Pérsico, a água do mar é o elemento visual do sistema. É usada para arrefecer e humidificar as estufas e para produzir lagas usadas no fabrico de biocombustíveis.

 

Parte desta, na verdade, será transformada em água doce, com a utilização de um sistema de dessalinização movido a energia solar.

 

 

As estufas são alimentadas com CO2 de uma fábrica de fertilizantes próxima, o que ajuda a reduzir as emissões e fornece um ambiente no qual as plantas podem crescer.

 

Segundo o The Word, o projecto está a ser trabalhado pelo arquitecto Michael Pawlyn e pelo engenheiro Bill Watts, que tentam recriar e imitar os ecossistemas naturais, onde o subproduto de um componente é o alimento de outro. O ecologista norueguês Joakim Hauge lidera o projecto.

 

horadoplaneta às 15:01 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Labarik ho tinan 10 sei pasa tinan 2013 toba iha tenda iha ár livre

Iha fatin dook iha Pensilvánia, iha Estadus Unidus, labarik-mane abisiozu ho tinan 10 rezolve ona monta tenda ida iha kintál no toba iha ne’ebá kalan-kalan, durante tinan ida. Misaun ne’e hahú iha pasajen tinan nian, sai hanesan rezolusaun tinan foun ne’ebé la hanesan baibain no iha dezafiu.

 

 

L.R.C (aman-inan sira lakohi nia uza naran loloos) hanesan labarik ida hakmatek maibé la dezisti ba esplorasaun rekursu naturál sira ne’ebé akontese ohin loron. Maibé ninia aventura la’ós de’it ba kauza ambientál sira nian.

 

“Iha inísiu hanesan dezafiu ida. Ha’u hahú akampa iha loron 26 fulan-Dezembru ho tempestade jelu maka’as no hanesan emosionante. Hahú bainhira ha’u hakarak akampa durante semana ida hahú iha loron dahuluk tinan foun nian”, labarik-mane ne’e esplika.

 

Hosi semana ida ba fulan ida. Nune’e nia hahú gosta no senti katak ladún difisil, nia hanaruk dezafiu ne’e ba tinan ida. Hafoin aman-inan sira rekupera hosi xoke revelasaun nian, sira fó korajen ba nia hodi fahee esperiénsia iha blog ida. Partilla dahuluk iha blog maka – “Malirin hela!” – akontese iha loron 23 fulan-Janeiru 2013. Hafoin iha mensajen liu 100 no asesu rihun 13 hosi nasaun barak, L.R.C laiha planu atu aruma tenda.

 

Hanesan labarik sira ho tinan 10, toba mesak dalaruma ladún konfortável – no iha ne’e nia tenki hasoru mesak ninia tauk no aflisaun sira. Saida maka hatauk nia maka lian sira iha kalan – karik hosi ema sira nian ka asu-fuik sira, ne’ebé nia toman ona.

 

Iha aventura ne’e, iha regra auto-imposta sira hosi aventureiru ki’ik ne’e: labele toba hafoin kalan-boot, labele tama iha uma antes tuku 4:45 no, hafoin iha ona kama leten, labele fila fali ba uma laran. Baihira senti manas iha tenda laran, labele ba uma atu hamahan aan. Nune’e mós bainhira senti malirin, labele ba iha uma laran hodi hamanas isin.

 

Dalabarak, ninia aman ba hamutuk ho nia. Ne’e ninia inan maka obriga bainhira temperatura sira tun ba -20ºC.

 

 

Determinasaun ida ne’e – liuliu iha temperatura ki’ik sira ne’ebé senti iha Invernu – halo mosu pergunta tansá maka labarik-mane ne’e iha nafatin ninia misaun. Tuir espesialista sira, resposta ne’e bele hetan iha rede apoiu nian – aman-inan sira, belun sira no rede online. Labarik ida mesak la konsege iha hahalok hanesan ne’e.

 

Istória ne’e destaka importánsia interasaun familiár nian, hatudu oinsá adultu sira bele tulun hodi harii identidade ambientál ida iha labarik sira, insentiva sira hodi halimar, aprende no moris iha natureza. Sei falta fulan neen.

 

Sapo TL no Green Savers

horadoplaneta às 12:56 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Rapaz de 10 anos passará 2013 a dormir em tenda ao ar livre

Num canto remoto da Pensilvânia, nos Estados Unidos, um ambicioso menino de 10 anos de idade resolveu montar uma tenda no quintal e lá dormir todas as noites, durante um ano. A missão teve início na passagem de ano, tornando-se numa resolução de ano novo pouco comum e desafiante.

 

 

L.R.C. (os pais não querem que ele use o nome real) é uma criança tranquila, mas pouco resignada com a exploração dos recursos naturais que ocorre hoje em dia. A sua aventura, contudo, não se prende a causas ambientais.

 

“No início foi um desafio. Eu acampei a 26 de Dezembro com uma grande tempestade de neve e foi emocionante. Foi quando eu decidi acampar durante uma semana a partir do primeiro dia do ano novo”, explica o rapaz.

 

De uma semana, passou para um mês. Como ganhou o gosto à experiência e nem a achou assim tão difícil, prolongou o desafio para um ano. Depois dos pais recuperarem do choque da revelação, encorajaram-no a partilhar a experiência num blogue. A primeira partilha no blogue – “Está frio!” – aconteceu a 23 de Janeiro de 2013. Depois de mais de 100 mensagens e 13 mil acessos de dezenas de países, L.R.C. não faz planos de arrumar a tenda.

 

Como qualquer criança de 10 anos de idade, dormir sozinho nem sempre é confortável – e aqui ele tem de enfrentar os seus próprios medos e ansiedades. O que o assusta mais são os sons nocturnos – sejam os de coiotes, aos quais já se habituou, ou de humanos.

 

Nesta aventura, existem regras auto-impostas pelo pequeno aventureiro: não se deita depois da meia-noite, não entra em casa antes das 4h45 e, depois de estar na cama, não pode voltar para dentro de casa. Se estiver calor na tenda, não pode ir a casa só para arrefecer. Da mesma forma que se estiver frio, não pode ir lá dentro para se aquecer.

 

Muitas vezes, o seu pai junta-se a ele. Aliás, é a própria mãe que o obriga quando as temperaturas descem aos -20ºC.

 

 

Este tipo de determinação – principalmente tendo em conta as baixas temperaturas sentidas no Inverno – faz questionar o que afinal mantém o rapaz tão convicto da sua missão. Segundo os especialistas, a resposta está na rede de apoio – os pais, os amigos e a rede online. Uma criança sozinha jamais conseguiria tomar uma atitude destas.

 

Esta história faz sublinhar a necessidade da interacção familiar, mostrando como os adultos podem ajudar a construir uma identidade ambiental nas crianças, incentivando-os a brincar, aprender e crescer na natureza. Ainda falta meio ano.

 

Sapo TL e Green Savers

horadoplaneta às 12:27 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Junho 2013

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
19
20
21
22
23
26
27
29
30

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO