Segunda-feira, 31.03.14

Japaun aseita desizaun hosi Tribunál Internasionál ne'ebé bandu kasa ba baleia iha Antártiku

Iha loron-segunda ne'e Japaun hatete ona katak, maski "ho deziluzaun maka'as", sei respeita desizaun hosi Tribunál Internasionál Justisa nian ne'ebé bandu ba ró japunés sira hodi halo kasa ba baleia iha Antártiku.

 

 

EPA@ Jeremy Sutton - Hibert

 


"Japaun sei respeita desizaun hosi tribunál hanesan nasaun ne'ebé respeita Estadu direitu nian no hanesan membru responsável komunidade internasionál nian", hatete hosi Koji Tsuruoka, responsável japunés, ba jornalista sira ne'ebé marka prezensa iha sala audiénsia nian iha Haia, Holanda, no akompaña deliberasaun hosi juís Tribunál Internasionál nian.

 

Nune'e tribunál fó razaun ba Austrália ne'ebé akuza ona Japaun hodi halo prátika komersiál ba kasa baleia nian uza razaun ba programa investigasaun sientífiku ida nian.

 

Konsidera katak Tókio la respeita moratóriu tinan 1986 nian ne'ebé bandu kasa ba baleia la'ós hodi uza iha siénsia, Canberra husu ona ba tribunál atu hapara programa Jarpa II (investigasaun) nian.

 

Tuir Austrália, entre tinan 1987 to'o tinan 2009 Japaun kasa ona baleia hamutuk 10.000 no bainhira hahú prosesu ne'e nasaun rua ne'e kompromete ona atu respeita desizaun judisiál nian.

 

Sapo TL/SIC/Lusa

horadoplaneta às 16:30 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Japão aceita decisão do Tribunal Internacional que proíbe caça à baleia no Antártico

O Japão anunciou nesta segunda-feira que, apesar de "profundamente  dececionado", vai respeitar a decisão do Tribunal Internacional de Justiça  que proíbe a caça à baleia no Antártico por navios japoneses.

 

 

EPA@ Jeremy Sutton - Hibert

 

"O Japão vai respeitar a decisão do tribunal como país que respeita  o Estado de direito e como membro responsável da comunidade internacional",  disse aos jornalistas Koji Tsuruoka, responsável japonês, presente na sala  de audiência em Haia, Holanda, e que acompanhou a deliberação do juiz do  Tribunal Internacional. 

 

O tribunal dá assim razão à Austrália que acusou o Japão de prática  comercial de caça à baleia a coberto de um programa de investigação científica.

 

Considerando que Tóquio não está a respeitar uma moratória de 1986 que  proíbe a caça à baleia a não ser que a prática se destine a fins científicos,  Camberra pediu ao tribunal para ordenar o fim do programa Jarpa II (investigação).

 

De acordo com a Austrália, o Japão caçou 10.000 baleias entre 1987 e  2009 e quando o processo começou os dois países comprometeram-se a respeitar  a decisão judicial. 

 

Sapo TL/SIC/Lusa

horadoplaneta às 15:39 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

ONU alerta para mais secas, inundações e incêndios florestais na Europa

O Painel Intergovernamental da ONU sobre Alterações Climáticas (IPCC) alertou nesta segunda-feira para um maior risco de secas, inundações e incêndios florestais na Europa devido aos efeitos das mudanças climáticas tanto a curto como a médio prazo.

 

 

Esta conclusão consta do relatório apresentado nesta segunda-feira em Yokohama (Japão), elaborado por cerca de 500 cientistas/peritos e representantes políticos, em que se analisa o conhecimento atual das mudanças climáticas e o seu impacto no Homem e na natureza em diferentes pontos do mundo.

 

Trata-se de "um dos mais completos relatórios científicos da História", afirmou o secretário da Organização Meteorológica Mundial (OMM), Michel Jarraud, durante a apresentação do documento, em conferência de imprensa.

 

"Já que não há nenhuma dúvida de que o clima está a mudar", apontou, sublinhando que "95% destas mudanças se ficam a dever à ação humana".

 

O relatório apresentado hoje pelo IPCC - criado pelo Programa das Nações Unidas para o Ambiente e pela OMM - analisa os efeitos das alterações climáticas atualmente e a médio (entre 2030 e 2040) e a longo prazo (2080-2100), tendo em conta um aquecimento global de entre 2 e 4 graus centígrados, baseado em projeções atuais.

 

No caso da Europa, as mudanças climáticas vão provocar um aumento das restrições de água devido à "significativa redução da extração dos rios e aquíferos subterrâneos" combinada com a subida da procura para irrigação, energia, indústria e uso doméstico, refere o documento, citado pelas agências internacionais.

 

Este processo intensificar-se-á, em determinadas áreas do continente, devido a uma maior perda de água através do seu processo natural de evaporação, particularmente no sul da Europa", detalha o documento.

 

Outro risco assinalado para a Europa prende-se com o aumento das vagas de calor, as quais são passíveis de ter um impacto negativo na saúde e no bem-estar públicos, na produtividade laboral, na produção agrícola e na qualidade do ar, bem como elevar o risco de incêndios florestais "no sul da Europa e na região boreal da Rússia".

 

No relatório, o IPCC alerta, além disso, para a maior probabilidade de inundações nas zonas costeiras devido à crescente urbanização, ao aumento do nível do mar e à erosão da costa.

A fim de atenuar estes riscos, o IPCC insta os líderes políticos a tomarem medidas para reforçar os sistemas de vigilância, advertindo para "eventos climáticos extremos", bem como a melhorarem a gestão de recursos hídricos e as políticas para promover a poupança de água ou para combater os fogos florestais.

 

"Reduzir estes riscos dependerá da nossa capacidade de mitigar os efeitos das mudanças climáticas e de os adaptar às nossas sociedades", destacou Chris Field, vice-presidente deste grupo de trabalho da ONU.

 

O presidente do IPCC, Rajendra Pachauri, sublinhou, em particular, a necessidade de se reduzirem as emissões de gases com efeito estufa, um fator "do qual dependerá aquilo que acontecer em muitas partes do mundo nos próximos anos".

 

Sapo TL/SIC/Lusa

horadoplaneta às 14:13 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Hora do Planeta 2014 no mundo

No passado dia 29 de Março foi a Hora do Planeta, uma iniciativa que começou em Sydney em 2007 e junta centenas de milhões de pessoas em todo o mundo, seja qual for a sua raça, religião, cultura e situação geografica numa acção simbólica em defesa do ambiente, um momento único de contemplação do planeta e celebração do compromisso de protegê-lo durante todo o ano.

 

Veja aqui a Hora do Planeta no mundo inteiro:

 

horadoplaneta às 13:13 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Março 2014

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
22
23
24
27
29
30

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO