Quinta-feira, 24.04.14

Iceberg ho 660 kilómetru kuadradu sai hosi Antártida

Sientista sira haree hela iceberg ida ne'ebé iha tamañu hanesan Manhattan, ne'ebé sai hosi Antártida no tama ona iha oseanu. Ne'e hanesan iceberg ida iha tempu agora nian.

 


Tuir esplikasaun hosi glasiolojista Kelly Brunt, hosi NASA, ba Reuters, iceberg ne'e iha 660 kilómetru kuadradu no mahar besik metru 500. Koñesidu ho naran B31, iceberg ne'e sai iha fulan-Novembru hosi glasiar Illa Pine nian iha Antártida.

"Ne'e hanesan ida ne'ebe´boot liu no tenki haree tuir", Brunt esplika ba Reuters. Tuir sientista ne'e, Governu norte-amerikanu monitoriza hela icaberg besik 12 loron-loron.

Sientista sira iha interesse liu iha B31 tanba motivu rua: ninia tamañu no ninia lokalizasaun, iha oseanu antártiku. "Ne'e hanesan pedasuk bolu boot ida ne'ebé maka iha oseanu antártiku ninia leten", nia esplika.

Glasiar nabeen hodi halo iceberg ne'e detekta iha tinan 2011. Iha tinan 20 ikus ne'e halo nafatin estudu kona-bá glasiar ne'e tanba mihis lalais no bele sai hanesan kontribuidór importante hodi aumenta nível tasi nian.

"Ami sei halo peskiza balun iha lokál sira oseanu nian no tenta esplika movimentu iceberg nian. Ho hakfodak, iha momentu balun ne'ebé nia la la'o no iha momentu seluk maka nia hahú ho velosidade maka'as", peskizadór Grant Bigg, hosi Universidade Sheffield, Inglaterra, afirma ba Reuters.

Tuir sientista sira, iceberg ne'e la halo perigu ruma ba ró sira. "Ladún iha tráfegu marítimu iha ne'e", Kelly Brunt hatete.

Sapo TL ho Green Savers PT

horadoplaneta às 15:17 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Iceberg com 660 quilómetros quadrados desprende-se da Antárctida

Cientistas estão a monitorizar um iceberg quase seis vezes maior que Manhattan, que se partiu na Antárctida e segue agora para o oceano. Este é um dos maiores icebergs da actualidade.

 



Segundo explicou ontem a glaciologista Kelly Brunt, da NASA, à Reuters, o iceberg cobre cerca de 660 quilómetros quadrados e tem uma espessura de 500 metros. Conhecido como B31, o iceberg separou-se em Novembro do glaciar da Ilha de Pine, na Antárctida

“É um daqueles que é tão grande que precisa de ser monitorizado”, explicou Brunt à Reuters. Segundo a cientista, o Governo norte-americano monitoriza cerca de 12 icebergs por dia.

Os cientistas estão especialmente interessados no B31 por dois motivos: o tamanho e a sua localização, no oceano antártico. “É um grande pedaço de bolo a flutuar no oceano antárctico”, explicou.

A quebra do glaciar que originou este iceberg foi detectada em 2011. Este glaciar tem sido estudado de perto nos últimos 20 anos, de resto, porque está a ficar mais fino a uma velocidade muito rápida, e pode ser um importante contribuidor para o aumento do nível do mar.

“Estamos a fazer algumas pesquisas nas correntes locais do oceano e a tentar explicar o movimento [do iceberg]. Surpreendentemente, há momentos em que ele está praticamente parada, e noutros começa a flutuar a grande velocidade”, explicou à Reuters o pesquisador Grant Bigg, da Universidade de Sheffield, Inglaterra.

Segundo os cientistas, porém, o iceberg não está a colocar em perigo nenhum navio. “Não há muito tráfego marítimo lá em baixo”, concluiu Kelly Brunt.

Sapo TL com Green Savers PT

horadoplaneta às 15:04 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

NASA descobre um planeta muito semelhante à Terra que pode albergar vida

A corrida dos astrónomos para encontrar um planeta semelhante à Terra, que possa albergar vida, já é longa. Porém, a meta pode estar agora mais próxima. A Agência Espacial Norte-Americana (NASA) anunciou na última semana a descoberta de um planeta semelhante à Terra, tanto em tamanho como na distância à estrela, que pode potencialmente albergar vida, o Kepler-186f.

 


Descoberto com o telescópio Kepler, este planeta não é, contudo, um irmão gémeo da Terra. O Kepler-186f orbita em torno da Kepler-186, uma anã vermelha da constelação de Cisne, a cerca de 500 anos-luz da Terra. O período de translação deste novo planeta é de 130 dias e o Kepler-186f apenas recebe um terço da luz que a Terra recebe, refere o Inhabitat. Tal significa que a luminosidade neste planeta ao meio dia é semelhante à luminosidade existente uma hora antes do pôr-do-sol na Terra, pois as anãs vermelhas – categoria da estrela em torno da qual orbita o planeta – têm menos de metade da massa do Sol.

Apesar das diferenças, este é o planeta mais semelhante à Terra descoberto até à data e os cientistas acreditam que pode ter as condições certas da suportar a existência de vida. Outros planetas já descobertos em zona habitável ou são muito grandes ou estão muito distantes da estrela para suportarem água no estado líquido.

Os cientistas ainda não sabem a composição do planete, mas tudo indica que será um corpo celeste rochoso. A temperatura do planeta dependerá da sua atmosfera, mas os cientistas só o saberão com investigações posteriores.

Sapo TL com Green Savers PT

horadoplaneta às 14:54 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Abril 2014

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
17
18
19
20
21
23
25
26
27
28
29
30

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO