Terça-feira, 16.12.14

Taj Mahal muda kór ba kór-kastañu tanba poluisaun

Kór mármore mutin nebe harii kúpula Taj Mahal nian, monumentu klasifikadu hanesan patrimóniu ida humanidade nian hosi Unesco, nebe situa iha Agra, Índia, lakon daudaun hodi fó fatin ba kór amarelu ho kastañu.



Imajen hasai iha tinan 2011. EPA@ Diego Azubel

 

Razaun ba mundansa ne'e karik tanba poluisaun, haktuir hosi estudu ida nebe publika iha edisaun online hosi revista Environmental Science & Technology hosi ekipa ida sientista sira EUA no Índia nian.

Antes sira hahú peskiza sira hodi hatene tansá maka iha mudansa ba kór, sientista sira iha hipóteze rua: karik mudansa ne'e mosu tanba prezensa hosi gotíkula sira iha kalohan nebe oksida superfísie estrutura nian ka karik tanba gás sulfúriku nebe mosu iha ár.

Maibé, kór-kastañu ne'e bele hasai hosi superfísie kúpula nian bainhira uza arjila, labele uza bee, loke ona dalan ba sientista sira kona-bá kauza mudansa kór nian.

Líder ekipa nian, sientista ambientál Mike Bergin, hosi Institutu Teknolojia Georgia nian, hatete ba kolega sira hodi sukat partíkula ki'ik sira nebe hetan iha ár no avalia ezemplu sira nebe hasai ho arjila hosi kúpula Taj Mahal nian. Investigadór sira hatete katak ezemplu sira nebe hasai hosi monumentu iha partíkula ki'ik sira karbonu nian nebe absorve naroman, flutua iha ár no la lakon iha bee.

Arjila uza hodi hamoos superfísie mármore nian, tanba partíkula sira ne'e labele lakon iha bee. Partíkula sira ne'e absorve naroman ultravioleta nian, nebe hamosu kór amarelu-kastañu iha superfísie kúpula Taj Mahal nian, konklui hosi estudu ne'e.

Mike Bergin fó sala ba emisaun sira gás nian nebe karreta hasai no ba biomasa nebe sunu hosi fenómenu ne'e. «Hamenus atividade sira n'e la'ós de'it fó fali glória antigu ba Taj Mahal maibé mós hadi'a saúde ba populasaun sira», nia hatete.

ho Diário Digital

horadoplaneta às 13:06 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Taj Mahal está a ficar castanho por causa da poluição

A cor branca do mármore que compõe a cúpula do Taj Mahal, monumento classificado como um dos patrimónios da humanidade pela Unesco, que fica em Agra, na Índia, está a desaparecer, dando lugar a um tom amarelo-acastanhado.


Imagem tirada em 2011. EPA@ Diego Azubel

 

A razão da mudança pode estar na poluição, segundo um estudo publicado na edição online da revista Environmental Science & Technology por uma equipa de cientistas dos EUA e da Índia.

Antes de iniciarem as pesquisas para saber o porquê da mudança da coloração, os cientistas tinham duas hipóteses: a mudança poderia estar a ser causada pela presença de gotículas na névoa que estariam a oxidar a superfície da estrutura ou pelo gás sulfúrico encontrado no ar.

Entretanto, o facto de o material castanho poder ser retirado da superfície da cúpula apenas com o uso de argila, em vez de água, deu pistas aos cientistas sobre a causa da mudança de cor.

O líder da equipa, o cientista ambiental Mike Bergin, do Instituto de Tecnologia da Georgia, instruiu os colegas a medir as pequenas partículas encontradas no ar e avaliar amostras retiradas com argila da cúpula do Taj Mahal. Os investigadores constataram que as amostras retiradas do monumento continham pequenas partículas de carbono que absorvem luz, flutuam no ar e são insolúveis em água.

A argila é usada para limpar a superfície do mármore, pois as partículas são insolúveis em água. Essas partículas absorvem luz ultravioleta, o que dá à superfície da cúpula do Taj Mahal essa coloração amarelo-acastanhada, concluiu o estudo.

Mike Bergin culpou as emissões de gás dos veículos e a queima de biomassa pelo fenómeno. «Reduzir essas actividades não só retornaria o Taj Mahal à sua antiga glória, mas também melhoraria a saúde dos moradores», diz.

com Diário Digital

horadoplaneta às 12:42 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Dezembro 2014

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30
31

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO