Quinta-feira, 29.01.15

Preokupasaun iha Díli tanba markasaun ai-hun sira hodi tesi iha sentru kapitál

Iha semana ne'e populasaun iha Díli hatudu preokupasaun ho markasaun sira iha ai-hun oioin iha sentru kapitál nian tanba tauk sai hanesan akontesimentu nebe tesi ai-hun ho tinan atus resin iha parlamentu nia oin.



Ai-hun sira iha sentru Díli nian. Foto@ AC

 

Iha semana ikus ne'e, iha marka krús mutin iha ai-hun oioin iha sentru kapitál nian, hanesan akontese iha pasadu, nebe baibain signifika katak sei tesi ai-hun sira ne'e.

Domingo Soriano, responsável ba serbisu limpeza distritu Díli nian, bainhira hatán ba Lusa kona-bá markasaun sira ne'e, konfirma katak ai-hun sira ne'e iha duni markasaun no funsionáriu sira halo tuir instrusaun hosi primeiru-ministru.

"Instrusaun sira hodi rezolve kestaun ai-hun sira ne'e mai hosi primeiru-ministru", Soriano hatete.

"Marka ona ai-hun sira ne'e maibé sei la tesi ida. Sei tesi de'it ai-hun sira nebe okupa estrada", nia garanti ona ba Lusa.

Virgílio Guterres, responsável ba Fundasaun Haburas, organizasaun ambientál antigu liu iha Timor-Leste - harii iha tinan 1998 hosi grupu ida joven timoroan sira nian - konfirma ona preokupasaun ho markasaun ba ai-hun sira ne'e, nia esplika katak nia ekipa akompaña daudaun markasaun ba ai-hun sira ne'e hahú iha tinan 2014 nia rohan.

"Kolega balun husu ona no hakarak konfirma objetivu sinál sira iha ai-hun sira ne'e. Tuir saida maka esplika ona iha distritu Díli nian, ne'e hodi identifika ai-hun sira nebe maran ka moras hodi nune'e bele tesi", nia afirma ona ba Lusa.

"Maibé hanesan iha pasadu sira tesi arbiru de'it ai-hun sira iha zona oioin, ami hakarak iha garanti atu labele akontese fali", nia hatete.

Guterres esplika ona katak iha tinan liubá organiza ona manifestasaun hodi bele evita tesi ai-hun sira nebe programadu iha sentru Díli nian, hodi esplika katak bainhira presiza sira sei halo fali asaun hanesan.

"Sira promete ona katak antes tesi ai-hun sira ne'e sei hasoru malu ho ami", nia hatete.

"Loos duni tanba iha preokupasaun ho ai-hun balun nebe besik edifísiu sira nebe iha kondisaun ladi'ak no bele monu bainhira iha tempestade ka tempu ladi'ak. Maibé la'ós de'it kona-bá ai-hun sira ne'e", nia afirma ona.

Responsável hosi Fundasaun Haburas insisti ona katak argumentu relasionadu ho fiu eletrisidade nian ka sira seluk, nebe laiha ligasaun ho seguransa rezidente sira nian, labele sai hanesan razaun hodi tesi ai-hun sira ne'e, "tanba iha alternativu sira seluk".

"Ami tenki proteje ai-hun sira. Se la'e, Díli sei sai hanesan sidade molik ida. Iha de'it fiu eletrisidade nian", nia afirma ona.

ho Lusa

horadoplaneta às 13:05 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Preocupação em Díli por marcações de árvores para abate no centro da capital

Habitantes de Díli mostraram-se esta semana preocupados com a marcação de várias árvores no centro da capital temendo que, à semelhança do que ocorreu com algumas árvores centenárias à frente do parlamento, possam também ser cortadas.

 


As árvores no centro de Díli. Fotografia tirada por AC

 

Nas últimas semanas, têm sido marcadas com uma cruz branca árvores em várias das ruas do centro da capital o que, como ocorreu no passado, normalmente significa que as árvores vão ser abatidas.

Questionado pela Lusa sobre as marcações, Domingos Soriano, responsável dos serviços de limpeza do distrito de Díli, confirmou que as árvores estavam de facto a ser marcadas, explicando que os funcionários seguiam instruções do primeiro-ministro.

"As instruções para resolver a questão das árvores vieram do primeiro-ministro", disse Soriano.

"As árvores estão a ser marcadas mas não vão ser todas cortadas. Só as que estão a ocupar a estrada", garantiu à Lusa.

Virgílio Guterres, responsável da Fundação Haburas, a organização ambiental mais antiga de Timor-Leste - formada em 1998 por um grupo de jovens timorenses - confirmou a preocupação com a marcação das árvores, explicando que as suas equipas estão a acompanhar a marcação das árvores desde o final do ano.

"Alguns colegas questionaram e quiseram confirmar o objetivo de por sinais nas árvores. Segundo explicaram no distrito de Díli, trata-se de identificar as que já estão secas ou doentes e depois cortar", afirmou à Lusa.

"Mas como no passado cortaram indiscriminadamente árvores em várias zonas, queremos ter a garantia de que isto não volta a ocorrer", disse.

Guterres explicou que já no ano passado se organizaram manifestações que conseguiram evitar o corte programado de várias árvores no centro de Díli, explicando que se for necessário voltarão a tomar medidas idênticas.

"Prometeram que antes de implementarem os cortes das árvores se vão reunir connosco", disse.

"Obviamente que há preocupação com algumas árvores perto dos edifícios que estão em más condições e podem cair com tempestades ou o mau tempo. Mas nem sempre se trata só dessas árvores", afirmou.

O responsável da Fundação Haburas insistiu que argumentos relacionados com os cabos elétricos ou outros, que não tenham a ver com a segurança dos residentes, não podem servir para cortar as árvores, "já que há outras alternativas".

"Temos que proteger as árvores. Se não, Díli vai ficar uma cidade despida. Só com cabos elétricos", afirmou.

com Lusa

horadoplaneta às 12:11 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 22.01.15

Os 10 lugares mais poluídos do mundo

O relatório "Meio Ambiente Tóxico", da fundação suíça Green Cross, indica que 200 milhões de pessoas lidam diariamente com a poluição ambiental que tem originado graves problemas de saúde.



Cerca de 200 milhões de pessoas são diretamente confrontadas diariamente com a poluição do meio ambiente. Solo contaminado por metais pesados, lixo químico no ar, resíduos eletrónicos tóxicos... São alguns exemplos citados pelo relatório da Fundação Green Cross.

 

 

Aproximadamente 500 toneladas de resíduos tóxicos de cobre e de níquel, além de 2 milhões de toneladas de enxofre, são libertados na cidade industrial russa de Norilsk por ano.

 

 


O Delta do rio Níger é uma área de alta densidade populacional, concentrando 8% de toda a população da Nigéria. O curso está totalmente poluído por petróleo e hidrocarbonetos, que contaminam o solo e os lençóis freáticos. Em média, o equivalente a 240 mil barris de petróleo atingem o Delta por ano por conta dos acidentes ambientais ou roubo da matéria-prima.

 

 

Cerca de 5 mil fábricas despejam os esgotos nas águas do rio Matanza-Riachulo, na Argentina. O rio contém grandes quantidades de zinco, chumbo, cobre, níquel, além de outros metais pesados. A população local sofre, sobretudo, de problemas intestinais.

 

 

Para obter o metal precioso, muitos mineiros usam mercúrio, libertando mais de mil toneladas de material tóxico no meio ambiente todo o ano, poluindo os lençóis freáticos. A substância é altamente cancerígena.

 

 

Em Kabwe, a segunda maior cidade da Zâmbia, muitas crianças sofrem com elevados níveis de chumbo no sangue.

 

 

Hazaribagh tem mais curtumes do que qualquer outra cidade no Bangladesh. A maioria acaba por despejar cerca de 22 mil litros de resíduos tóxicos por dia no rio Buriganga, principal fonte de água de Dhaka. Muitos moradores sofrem de doenças de pele e das vias respiratórias.

 

 

Pilhas de televisões, telemóveis e máquinas compõem o cenário do segundo maior depósito de lixo da África Ocidental, que fica em Agbogbloshie, na cidade de Acra, no Gana. O relatório classificou o local como um dos mais poluídos do planeta. A incineração de fios metálicos a fim de recuperar o cobre torna o lixo ainda mais perigoso.

 

 

Dzerzhinsk é um dos centros industriais químicos mais importantes do mundo. Entre 1930 e 1998, cerca de 300 mil toneladas de lixo químico não foram devidamente depositadas e essas substâncias acabaram por poluir o lençol freático e a atmosfera. A esperaça média de vida na região é de 47 anos entre as mulheres e 42 entre os homens.

 

 

As águas do rio Citarum, na Indonésia, são mil vezes mais poluídas que a água potável normal. Contêm grandes quantidades de alumínio e ferro. Cerca de 2 mil fábricas usam o rio como depósito de lixo.

 

 

Até hoje Chernobil é lembrada como o local do maior acidente nuclear da história. No dia 25 de abril de 1986, um incêndio e o derretimento nuclear produziram uma nuvem de radioatividade nunca antes vistos. Os casos de cancro - especialmente leucemia - surgiram em catadupa.

horadoplaneta às 16:10 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 21.01.15

Konsertu mundiál ba klima iha loron 18 Juñu halibur artista atus resin

Artista atus resin sei partisipa iha loron 18 fulan-Juñu iha konsertu mundiál ida hodi husu akordu ambisiozu ida kona-bá klima iha finál tinan ne'e, fó sai hosi antigu visi-prezidente norte-amerikanu Al Gore iha loron-kuarta ne'e.


Al Gore, antigu visi-prezidente EUA nian, durante sesaun ida iha Fórum Ekonómiku Mundiál edisaun 45, nebe halo iha Davos (Suisa). EPA@Laurent Gillieron


"Ita sei iha akontesimentu mundiál ida, iha kontinente hitu", "Live Earth", hodi obriga responsável mundiál sira atu hala'o akordu ambisiozu ida kona-bá alterasaun klimátiku iha konferénsia kona-bá klima, iha fulan-Dezembru, iha Paris, hatete hosi Al Gore, iha edisaun ba dala 45 hosi Fórum Ekonómiku Mundiál nebe hala'o daudaun iha Davos (Suisa) to'o loron-sábadu.

Konsertu ne'e sei haree hosi ema millaun rihun resin, liuhosi televizaun, rádiu no "online", Al Gore hatete no hatutan katak Rio de Janeiro ho Paris sei sai mós hanesan sidade sira nebe sei hala'o espetákulu ne'e.

Eventu sei organiza hosi hosi produtór norte-amerikanu Kevin Wall, nebe iha tinan 2007 organiza ona konsertu ida "Live Earth" kona-bá klima.

Loron 18 fulan-Juñu, espetákulu sira sei hala'o iha "estúdiu boot sira", Wall hatete no aprezenta lista ida ho fatin neen.

"Ami hahú iha Xina", tuir Sydney, Rio de Janeiro, Cidade do Cabo, Nova Iorke no Paris, nia hatete. Grupu ida sei halo atuasaun iha mós Antártida.

"Ami iha artista koñesidu sira, hanesan númeru boot ida nebe halibur artista sira, ho mensajen ida: "Atua tanba klima", Kevin Wall hatete.

Aleinde Gore ho Wall, eventu ne'e mós fó sai hosi múziku norte-amerikanu Pharell Williams, nebe hanesan diretór kriativu "Live Earth" nian.

ho Lusa/AFP

horadoplaneta às 15:26 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Concerto mundial pelo clima a 18 de junho junta mais de uma centena de artistas

Mais de uma centena de artistas vai participar a 18 de junho num concerto mundial para exigir um acordo ambicioso sobre o clima no final deste ano, anunciou o antigo vice-presidente norte-americano Al Gore nesta quarta-feira.



Al Gore, antigo vice-presidente dos EUA, durante uma secção na 45.ª edição do Fórum Económico Mundial, a decorrer em Davos (Suíça). EPA@Laurent Gillieron


"Vamos ter um acontecimento mundial, em todos os sete continentes", o "Live Earth", para pressionar os responsáveis mundiais a realizar um acordo ambicioso sobre as alterações climáticas na conferência sobre o clima, em dezembro, em Paris, declarou Al Gore, na 45.ª edição do Fórum Económico Mundial, a decorrer em Davos (Suíça) até sábado.

Este concerto vai ser seguido por dois mil milhões de pessoas, através da televisão, da rádio e 'online', previu Al Gore, que indicou que o Rio de Janeiro e Paris estarão entre as cidades onde o espetáculo decorrerá.

O evento vai ser organizado pelo produtor norte-americano Kevin Wall, que em 2007 já tinha organizado um concerto "Live Earth" sobre o clima.

A 18 de junho, os espetáculos vão decorrer "nos maiores estádios", indicou Wall, apresentando uma lista de seis locais.

"Começamos na China", seguindo-se Sydney, Rio de Janeiro, Cidade do Cabo, Nova Iorque e Paris, disse. Um grupo atuará também na Antártida.

"Temos grandes artistas, alguns dos maiores artistas alguma vez reunidos, com uma mensagem: 'Atue agora pelo clima'", declarou Kevin Wall.

Além de Gore e Wall, o evento foi também anunciado pelo músico norte-americano Pharell Williams, diretor criativo do 'Live Earth'.

com Lusa/AFP

horadoplaneta às 14:49 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 09.01.15

Dezde dezastre Fukushima maka fós sai hosi teste sira radioatividade nian

Dezde dezastre iha Fukushima, iha tinan 2011, maka fós nebe kuda iha Japaun hatudu nível aas ba radioatividade nian.


 

Tinan ne'e, no ba dala uluk dezde dezastre naturál. maka fó hatudu nível ki'ik radioatividade nian bazeia iha padraun sira seguransa nian nebe implementa hosi Governu japaun nian.

Fonte governu nian hatete katak verifika ona fós ho tonelada 360.000 no hatudu nível radioatividade nebe ki'ik hosi valór nebe estipuladu hosi Governu.

"Tanba kuantidade fós iha nível ki'ik durante tinan tolu ikus ne'e iha ami nia teste sira indika katak ami foti desizaun loos sira", hatete hosi Tsuneaki Oonami, ofisiál Governu nian nebe haktuir hosi Inhabitat.

Hafoin dezastre nukleár Fukushima nian, Japaun tenki hapara nia esportasaun ikan no agríkola sira, nebe prejudika maka'as agrikultór no peskadór japunés sira. Hasai ona bandu sira, maibé tanba iha beibeik radiasaun nebe sai hosi sentrál iha nasaun balun, liuliu iha Koreia-Súl, maka laiha importasaun ba produtu hahán hosi Japaun.

ho Green Savers

horadoplaneta às 15:33 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Arroz passa pela primeira vez nos testes de radioactividade desde o desastre de Fukushima

Desde o desastre de Fukushima, em 2011, que o arroz cultivado no Japão apresentava elevados níveis de radioactividade.



Este ano, e pela primeira vez desde o desastre nuclear, o arroz colhido apresenta níveis de radioactividade abaixo dos padrões de segurança implementados pelo Governo nipónico.

Fontes governamentais indicaram que 360.000 toneladas de arroz foram verificadas e todas apresentavam níveis de radioactividade abaixo dos 100 becqueréis, o valor estipulado pelo Governo.

“O facto de a quantidade arroz que não passa os nossos testes tem vindo consistentemente a diminuir ao longo dos últimos três anos indica que estamos a tomar as decisões certas”, indica Tsuneaki Oonami, oficial do Governo, cita o Inhabitat.

Depois do desastre nuclear de Fukushima, o Japão foi forçado a suspender as suas exportações pesqueiras e agrícolas, o que prejudicou severamente os agricultores e pescadores do país. As restrições foram já levantadas, mas devido às constantes fugas de radiação da central vários países, nomeadamente a Coreia do Sul, continuam a não importar produtos alimentares do Japão.

com Green Savers

horadoplaneta às 15:22 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

"Guerra à poluição" declarada pelo Governo chinês já começou

As multas por atentados ao meio ambiente na China começaram finalmente a doer, indicando que a "guerra à poluição" anunciada pelo Governo não era uma ameaça retórica.



Foto: How Hwee Young/EPA


Seis empresas de Taizhou, na província de Jiangsu, leste da China, foram condenadas a pagar 160 milhões de yuan (cerca de 22 milhões de euros) por terem descarregado 25.000 toneladas de detritos químicos para dois rios, na maior multa do género ordenada por um tribunal chinês.

A histórica multa, anunciada no penúltimo dia de 2014 pelo mais alto tribunal provincial de Jiangsu, terá de ser paga a um fundo de proteção ambiental até ao final deste mês.

Confirmando o veredicto da primeira instancia que julgou o caso, em agosto passado, o tribunal superior de Jiangsu salientou que as referidas descargas causaram "grave poluição".

Em 2007, a China National Petroleum Corporation, uma das mais lucrativas empresas do país, pagou apenas uma multa de 1 milhão de yuan (137.000 euros) depois de uma explosão numa das suas subsidiárias de Jilin, nordeste da China, ter contaminado o rio Songhua com benzina.

Na altura, a multa foi apresentada como a mais pesada que a Administração Estatal da Proteção Ambiental podia impor, mas a limpeza do rio acabou por custar ao Estado 7.840 milhões de yuan (1.070 milhões de euros).

"Os poluidores não têm motivação para mudar. Em vez de resolverem o problema, preferem pagar as multas. É mais barato", disse à agência Lusa há um ano Ma Jun, diretor da organização não-governamental Institut of Public and Environmental Affairs (IPE) e um dos mais conhecidos ambientalistas chineses.

Neste aspeto, o clima parece estar a mudar.

"Iremos declarar guerra à poluição e lutaremos contra ela com a mesma determinação com que combatemos a pobreza", prometeu o primeiro-ministro, Li Keqiang, em março passado.

Mais de metade dos rios e lagos chineses estão poluídos. Em Pequim e outras grandes cidades a qualidade do ar atinge muitas vezes o nível de "altamente poluído".

"Temos de mudar o modo como a energia é produzida e consumida", prometeu também Li Keqiang.

Nos primeiros nove meses de 2014, as agências ambientais participaram à polícia 1.232 casos envolvendo suspeitas de crimes ambientais - mais 526 do que o total de 2013 e mais do que em toda a década anterior, indica um documento do Ministério da Proteção Ambiental divulgado em dezembro passado.

O preço ambiental da trepidante industrialização da China tornou-se demasiado caro e a poluição passou a ser uma das principais fontes de insatisfação social, a par da corrupção e das crescentes desigualdades sociais.

Como também salientou Ma Jun na referida entrevista, "há dez anos, muitas pessoas ainda pensavam que a China era um país pobre e, antes de pensar em proteger o ambiente, precisava de desenvolver-se".

"A situação, agora, é muito diferente. Cada vez há mais pessoas a compreender que é essencial ter água boa, ar limpo e comida segura", acrescentou o ambientalista.

com Lusa

horadoplaneta às 12:40 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 07.01.15

Nova Deli vai ter a primeira “smart city” indiana

Nova Deli, a capital indiana, vai albergar a primeira de 100 cidades inteligentes que o Governo de Narendra Modi pretende desenvolver no país.


 

O objectivo é descongestionar e modernizar a capital indiana, bem como criar uma sub-cidade inteligente dentro da metrópole de Nova Deli.

“Queremos tornar Deli numa verdadeira cidade global, com todas as comodidades e infra-estruturas de qualquer outra cidade global, como Londres ou São Francisco. Queremos ter espaços de entretenimento ao nível internacional, como a Disneyland ou os Universal Studios”, indica o ministro indiano para o Desenvolvimento Urbano, Venkaiah Naidu, ao India Tribune.

A nova “smart city” vai abranger as zonas de Dwarka, Rohini e Narela, numa área com 20 a 24 hectares. A sub-cidade vai estar equipada com uma infra-estruturas de classe mundial, abastecimento energético 24 horas por dia, ligação wi-fi, tecnologias verdes e técnicas de conservação e gestão de desperdício de água avançadas.

Para começar a descongestionar Nova Deli – devido ao elevado número de veículos privados existentes – a estratégia do Governo indiano vai ainda passar por uma maior aposta nos transportes públicos, através de uma linha ferroviária de circunvalação, sistemas de transporte expresso e da revitalização do corredor rápido para autocarros e a expansão da rede de metro.

Durante o processo de modernização de Nova Deli, Barcelona vai prestar apoio ao Governo indiano na componente tecnológica, servindo ao mesmo tempo de inspiração para a preservação da arquitectura tradicional indiana, que o Executivo quer conservar.

com Green Savers

horadoplaneta às 10:44 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 05.01.15

Papa sei husu ba katóliku sira hodi kombate hasoru alterasaun klimátiku

Iha fulan-Marsu tuirmai, Papa Francisco sei fó sai dekretu ida hodi husu ba katóliku sira iha mundu tomak atu kombate hasoru alterasaun klimátiku.

 

Papa Francisco durante bénsaun Urbi et Orbi iha loron 25 Dezembru 2014 liubá. EPA@ Alessandro di Meo


Dokumentu ne'e sei sai hanesan dokumentu ida nebe Papa ida hasai no sei diriji ba fiar-na'in katóliku sira hamutuk millaun rihun 1,2 resin.

Dokumentu, tuir Guardian, sei fó sai hafoin vizita ida ba Tacloban - sidade filipinu ida nebe tufaun ida estraga iha tinan 2012 - no ajendadu ona ba fulan-Marsu.

Karta ida hanesan ne'e ladún fó sai iha istória Igreja Katólika nian, nune'e Papa nia mensajen sei sai hanesan urjente no ho gravidade. Papa sei husu ba komunidade katóliku iha mundu la'ós atu kombate de'it alterasaun klimátiku hodi siénsia nia naran maibé mós halo pedidu ne'e sai hanesan obrigasaun moral ida ba fiar-na'in sira. Dekretu ne'e karik sei iha pájina 50 ka 60 no sei fahe ba bispu rihun lima resin no padre 400.000 iha mundu tomak.

Papa nia mensajen ne'e bele to'o ba ema ida-idak duké mensajen sira seluk nebe fó sai hosi grupu polítiku ka ambientalista sira kona-bá asuntu ne'e. Iha ajenda Papa nian sei ko'alia mós kona-bá tema ne'e iha Asembleia Jeral Nasaun Unidu nian iha Nova Iorke.

com Green Savers

horadoplaneta às 14:44 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Janeiro 2015

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
23
24
25
26
27
28
30
31

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO