Quinta-feira, 29.01.15

Preokupasaun iha Díli tanba markasaun ai-hun sira hodi tesi iha sentru kapitál

Iha semana ne'e populasaun iha Díli hatudu preokupasaun ho markasaun sira iha ai-hun oioin iha sentru kapitál nian tanba tauk sai hanesan akontesimentu nebe tesi ai-hun ho tinan atus resin iha parlamentu nia oin.



Ai-hun sira iha sentru Díli nian. Foto@ AC

 

Iha semana ikus ne'e, iha marka krús mutin iha ai-hun oioin iha sentru kapitál nian, hanesan akontese iha pasadu, nebe baibain signifika katak sei tesi ai-hun sira ne'e.

Domingo Soriano, responsável ba serbisu limpeza distritu Díli nian, bainhira hatán ba Lusa kona-bá markasaun sira ne'e, konfirma katak ai-hun sira ne'e iha duni markasaun no funsionáriu sira halo tuir instrusaun hosi primeiru-ministru.

"Instrusaun sira hodi rezolve kestaun ai-hun sira ne'e mai hosi primeiru-ministru", Soriano hatete.

"Marka ona ai-hun sira ne'e maibé sei la tesi ida. Sei tesi de'it ai-hun sira nebe okupa estrada", nia garanti ona ba Lusa.

Virgílio Guterres, responsável ba Fundasaun Haburas, organizasaun ambientál antigu liu iha Timor-Leste - harii iha tinan 1998 hosi grupu ida joven timoroan sira nian - konfirma ona preokupasaun ho markasaun ba ai-hun sira ne'e, nia esplika katak nia ekipa akompaña daudaun markasaun ba ai-hun sira ne'e hahú iha tinan 2014 nia rohan.

"Kolega balun husu ona no hakarak konfirma objetivu sinál sira iha ai-hun sira ne'e. Tuir saida maka esplika ona iha distritu Díli nian, ne'e hodi identifika ai-hun sira nebe maran ka moras hodi nune'e bele tesi", nia afirma ona ba Lusa.

"Maibé hanesan iha pasadu sira tesi arbiru de'it ai-hun sira iha zona oioin, ami hakarak iha garanti atu labele akontese fali", nia hatete.

Guterres esplika ona katak iha tinan liubá organiza ona manifestasaun hodi bele evita tesi ai-hun sira nebe programadu iha sentru Díli nian, hodi esplika katak bainhira presiza sira sei halo fali asaun hanesan.

"Sira promete ona katak antes tesi ai-hun sira ne'e sei hasoru malu ho ami", nia hatete.

"Loos duni tanba iha preokupasaun ho ai-hun balun nebe besik edifísiu sira nebe iha kondisaun ladi'ak no bele monu bainhira iha tempestade ka tempu ladi'ak. Maibé la'ós de'it kona-bá ai-hun sira ne'e", nia afirma ona.

Responsável hosi Fundasaun Haburas insisti ona katak argumentu relasionadu ho fiu eletrisidade nian ka sira seluk, nebe laiha ligasaun ho seguransa rezidente sira nian, labele sai hanesan razaun hodi tesi ai-hun sira ne'e, "tanba iha alternativu sira seluk".

"Ami tenki proteje ai-hun sira. Se la'e, Díli sei sai hanesan sidade molik ida. Iha de'it fiu eletrisidade nian", nia afirma ona.

ho Lusa

horadoplaneta às 13:05 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Preocupação em Díli por marcações de árvores para abate no centro da capital

Habitantes de Díli mostraram-se esta semana preocupados com a marcação de várias árvores no centro da capital temendo que, à semelhança do que ocorreu com algumas árvores centenárias à frente do parlamento, possam também ser cortadas.

 


As árvores no centro de Díli. Fotografia tirada por AC

 

Nas últimas semanas, têm sido marcadas com uma cruz branca árvores em várias das ruas do centro da capital o que, como ocorreu no passado, normalmente significa que as árvores vão ser abatidas.

Questionado pela Lusa sobre as marcações, Domingos Soriano, responsável dos serviços de limpeza do distrito de Díli, confirmou que as árvores estavam de facto a ser marcadas, explicando que os funcionários seguiam instruções do primeiro-ministro.

"As instruções para resolver a questão das árvores vieram do primeiro-ministro", disse Soriano.

"As árvores estão a ser marcadas mas não vão ser todas cortadas. Só as que estão a ocupar a estrada", garantiu à Lusa.

Virgílio Guterres, responsável da Fundação Haburas, a organização ambiental mais antiga de Timor-Leste - formada em 1998 por um grupo de jovens timorenses - confirmou a preocupação com a marcação das árvores, explicando que as suas equipas estão a acompanhar a marcação das árvores desde o final do ano.

"Alguns colegas questionaram e quiseram confirmar o objetivo de por sinais nas árvores. Segundo explicaram no distrito de Díli, trata-se de identificar as que já estão secas ou doentes e depois cortar", afirmou à Lusa.

"Mas como no passado cortaram indiscriminadamente árvores em várias zonas, queremos ter a garantia de que isto não volta a ocorrer", disse.

Guterres explicou que já no ano passado se organizaram manifestações que conseguiram evitar o corte programado de várias árvores no centro de Díli, explicando que se for necessário voltarão a tomar medidas idênticas.

"Prometeram que antes de implementarem os cortes das árvores se vão reunir connosco", disse.

"Obviamente que há preocupação com algumas árvores perto dos edifícios que estão em más condições e podem cair com tempestades ou o mau tempo. Mas nem sempre se trata só dessas árvores", afirmou.

O responsável da Fundação Haburas insistiu que argumentos relacionados com os cabos elétricos ou outros, que não tenham a ver com a segurança dos residentes, não podem servir para cortar as árvores, "já que há outras alternativas".

"Temos que proteger as árvores. Se não, Díli vai ficar uma cidade despida. Só com cabos elétricos", afirmou.

com Lusa

horadoplaneta às 12:11 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Janeiro 2015

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
23
24
25
26
27
28
30
31

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO