Sábado, 28.03.15

Earth Hour 2015

Earth Hour 2015 sei akontese iha loron 28 fulan-Marsu 2015 tuku 20:30 - 21:30 oras lokál.

 

 

Iha tinan ualu ikus ne'e, Earth Hour aumenta no ohin loron rekoñesidu hanesan kampaña ambientál boot liu iha mundu nebe ema millaun resin halo iha sidade no vila hamutuk rihun hitu resin no iha nasaun no teritóriu hamutuk 163.

 

Ba tinan dasia Earth Hour sei selebra iha kontinente neen iha 24 oráriu nebe la hanesan iha mundu tomak hodi halibur ema tomak hasoru alterasaun klimátiku.

 

Hit múzika internasionál 'Pompeii' hosi banda rock britániku Bastille hanesan múzika ba vídeo ho minutu rua no hatudu oinsá Earth Hour bele fó korajen ba ema no organizasaun iha nível globál hodi foti medida sira hasoru alterasaun klimátiku.

 

Hatene liu iha:
Earth Hour 2015

 

horadoplaneta às 00:27 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Hora do Planeta 2015

A Hora do Planeta 2015 terá lugar no dia 28 de Março de 2015 20:30 - 21:30 hora local.

 

 

Nos últimos oito anos, a Hora do Planeta tem crescido e é hoje reconhecida como a maior campanha ambiental do mundo mobilizando milhares de milhões de pessoas em mais de 7.000 cidades e vilas em 163 países e territórios.

 

Pelo nono ano a Hora do Planeta vai ser celebrado nos seis continentes em vinte e quatro fusos horários do globo para juntar as pessoas contra as alterações climáticas.

 

O hit musical internacional 'Pompeii' da banda de rock britânica Bastille é a música do vídeo de dois minutos e mostra como a Hora do Planeta pode encorajar indivíduos e organizações a nível global a tomarem medidas contra as alterações climáticas.

 

Saiba mais em:
Hora do Planeta 2015

 

horadoplaneta às 00:18 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 18.03.15

Tansá maka monumentu prinsipál sira iha mundu iha kór matak?

Kolizeu Roma, Bazílika Sacré Coeur, London Eye, Torre Pisa, hotél Burj Al Arab ho Cristo-Rei iha Lisboa, ho monumentu no estrutura koñesidu seluk hamutuk 150, horisehik tenki iha kór matak, asaun ida nebe laiha ligasaun ho sustentabilidade, maibé iha ligasaun ho selebrasaun loron Saun Patrício nian - St. Patricks Day – santu padroeiru Irlanda nian.

 

 

Tuir imprensa britániku, kór matak iha monumentu sira ne'e hanesan kampaña publisidade Turizmu hosi Irlanda. Iha Portugal, Muzeu Condes de Castro de Guimarães, iha Cascais, no Estátua Duque da Terceira, iha Cais do Sodré, iha mós kór matak.

 

Tuir embaixada Irlanda iha Portugal, sira hili Muzeu Condes de Castro de Guimarães tanba orijen hosi nia proprietáriu dahuluk, Jorge O’Neill,nebe mai hosi família Tyrone ho Glen-Boy, liurai sira hosi Irlanda.

 

 

Maibé, iha de'it loron 11 antes selebra Hora Planeta nian, eventu ida nebe lansa iha tinan 2008 no hakarak bolu atensaun ba sustentabilidade liuhosi desliga ahi sira iha monumentu oioin iha mundu tomak . Inisiativu ne'e organiza hosi WWF.

 

ho Green Savers

 

 

horadoplaneta às 19:00 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Por que razão os principais monumentos do mundo estão verdes?

Coliseu de Roma, Basílica do Sacré Coeur, London Eye, Torre de Pisa, hotel Burj Al Arab e Cristo-Rei de Lisboa, entre outros 150 monumentos e estruturas icónicas, estiveram ontem – e deverão estar – de cor de verde, uma acção que não está relacionada com a sustentabilidade, infelizmente, mas sim com a celebração do dia de São Patrício – St. Patricks Day – santo padroeiro da Irlanda.

 

 

Segundo a imprensa britânica, este enverdecimento de vários monumentos não passa de uma campanha de publicidade do Turismo da Irlanda para promover o país. Em Portugal, também o Museu Condes de Castro de Guimarães, em Cascais, e a Estátua do Duque da Terceira, no Cais do Sodré, estará com a mesma cor.

 

A escolha do Museu Condes de Castro de Guimarães, segundo a embaixada da Irlanda em Portugal, prende-se com as origens do seu primeiro proprietário, Jorge O’Neill, que descende de Tyrone e Glen-Boy, reis da Irlanda.

 

 

Ironicamente, dentro de apenas 11 dias celebra-se a Hora do Planeta, um evento lançado em 2008 e que pretende chamar a atenção para a sustentabilidade através do desligamento das luzes de vários monumentos de todo o mundo. A iniciativa é organizada pela WWF.

 

com Green Savers

horadoplaneta às 18:45 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 16.03.15

Tinan-tinan mundu so'e euro biliaun ida iha hahán sira nebe estraga

Bainhira parte balun iha mundu (dezenvolvidu) tinan-tinan so'e hahán nebe sira la han ba lixu, iha parte seluk iha ema millaun 805 nebe hamlaha, haktuir hosi FAO, organizmu Nasaun Unidu nian ba Alimentasaun.

 

Iha foto: labarik filipinu ida nebe hili foer iha tasi-ibun ida iha Manila, Filipina. EPA@ Francis R. Malasig

 

Bainhira mundu dezenvolvidu ka nebe iha dezenvolvimentu estraga hahán nebe prodús tinan-tinan hamutuk tonelada millaun rihun haat - ho folin besik euro bilaun ida -, iha parte seluk iha mundu (liuliu iha Áfrika) iha ema millaun 805 maka hamlaha. Buat nebe xokante liu maka, tuir FAO, organizmu Nasaun Unidu nian ba Alimentasaun, katak tinan-tinan labarik hamutuk millaun 2,5 mate tanba nutrisaun nebe ladi'ak.

 

Maibé lista hosi Nasaun Unidu ne'e sei kontinua: labarik millaun 100 maka ladún iha pezu todan; millaun 1,4 maka iha pezu todan liu no, iha fatin seluk hosi balansu dezigualdade nian maka Nasaun Unidu identifika ona ema bokur millaun 500 iha mundu tomak. Konkluzaun: aleinde estraga, mundu sei labele halo hahán to'o ba ema sira nebe presiza tebes: ema kiak no ema vulnerável sira.

Ba Hélder Muteia, reprezentante FAO nian iha Portugal, buat sira ne'e hanesan "xokante", maibé aat liu maka situasaun ne'e sei aumenta nafatin. Populasaun mundu nian sei aumenta hosi númeru atuál millaun rihun 7,2 ba millaun rihun sia iha tinan 2050, haktuir hosi kálkulu nebe Nasaun Unidu halo.

Produsaun hahán nian tenki aumenta ba 60%

Iha tinan 35 tuirmai produsaun hahán iha nível mundiál tenki aunenta ba 60%, hasoru folin atuál sira. Tanba aumenta ona ema sira nebe buka hahán no mós tanba fenómenu urbanizasaun nebe aumenta. 70% hosi populasaun sei moris iha sidade no área sira besik sidade, nune'e sei ladún iha ema sira nebe kuda hahán iha kampu sira. Iha fatin seluk, FAO hanoin katak área sira nebe kultivadu sei aumenta de'it ba 20% "no iha projesaun sira nebe pesimista tebes duké ita nian", haktuir hosi Hélder Muteia.

Tuir responsável ne'e, karik resposta bele mosu iha produsaun super-hahán (lentilla, soja, batar-midar no beteraba) no superplanta sira (hanesan ai-farina, batar no mós hare), nune'e mós kuda hahán iha dezertu sira.

ho Expresso

horadoplaneta às 15:20 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

O mundo deita fora um bilião de euros por ano em alimentos que desperdiça

Enquanto uma parte do mundo (desenvolvido) todos os anos deita para o lixo um terço dos alimentos que não consome, na outra parte há 805 milhões de pessoas com fome, segundo a FAO, organismo das Nações Unidas para a Alimentação.


Uma criança recolhe lixo numa praia em Manila, Filipinas. EPA@ Francis R. Malasig

 

Enquanto o mundo desenvolvido ou em vias de desenvolvimento desperdiça um terço dos 4 mil milhões de toneladas de alimentos produzidos todos os anos - num valor estimado de um bilião de euros -, noutras partes do globo (sobretudo em África) há 805 milhões de pessoas com fome. Mas o mais chocante, segundo a FAO, organismo das Nações Unidas para a Alimentação, é que por ano morrem 2,5 milhões de crianças devido à má nutrição.

 

Mas a lista de horrores das Nações Unidas continua: 100 milhões de crianças com baixo peso; 1,4 milhões têm sobrepeso e, do lado oposto desta balança das desigualdades, as Nações Unidas identificaram 500 milhões de pessoas obesas em todo o mundo. Em conclusão: além do desperdício, o mundo continua a não ser capaz de fazer chegar a comida a quem mais dela precisa: os pobres e os mais vulneráveis.

 

Para Hélder Muteia, representante da FAO em Portugal, tudo isto é "chocante", mas o pior é que a situação poderá agravar-se ainda mais. A população mundial vai aumentar dos atuais 7,2 mil milhões de seres humanos para 9 mil milhões em 2050, segundo os cálculos das Nações Unidas.

 

Produção de alimentos terá de aumentar 60%

 

Ou seja, nos próximos 35 anos a produção de alimentos a nível mundial vai ter de aumentar 60%, face aos valores atuais. Quer pelo facto de haver cada vez mais gente a procurar comida, quer ainda devido ao fenómeno crescente da urbanização. 70% da população irá viver em cidades e áreas circundantes, o que também quer dizer que vai haver cada vez menos gente disponível para cultivar os campos. Por outro lado, a FAO estima que a área cultivada aumente apenas 20% "e há projeções ainda mais pessimistas do que as nossas", refere Hélder Muteia.

 

A resposta poderá estar, segundo aquele responsável, na produção de super-alimentos (lentilhas, soja, batata-doce de polpa alaranjada e beterraba) e superplantas (como a mandioca, o milho e mesmo o arroz), assim como no cultivo dos desertos.

 

com Expresso

horadoplaneta às 14:09 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 04.03.15

Austrália oho koala atus resin

Autoridade australianu sira oho koala hamutuk atus hitu resin tanba númeru aas tebes ba animál ne'e no tanba laiha kapasidade atu hetan hahán sufisiente ba nian, haktuir ohin hosi governu.


 

Ministra ambiente, Lisa Neville, hatete katak koala sira mate liuhosi eutanásia iha zona Cape Otway, besik iha zona turístiku Great Ocean Road, iha tinan 2013 no tinan 2014.

 

"Intervensaun ne'e hanesan importante hodi evita sofrimentu ba koala sira tanba sira labele hetan hahán sufisiente", afirma hosi Neville, liuhosi komunikadu ida, hodi esplika katak animál ne'e mate daudaun tanba hamlaha.

 

"Populasaun nebe aumenta no to'o ona koala 20 tuir hektár ida iha Cape Otway", nia hatutan.

 

Tuir Neville, hetan ona koala hamutuk 686 iha kondisaun saúde nebe ladún di'ak no veterináriu sira oho tiha hafoin sira rona tiha opiniaun hosi espesialista sira moris di'ak animál nian.

 

ho Lusa

horadoplaneta às 12:02 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Austrália abate centenas de koalas

Cerca de 700 koalas foram mortos pelas autoridades australianas devido ao excesso de animais e à sua incapacidade de encontrar comida suficiente, informou hoje o Governo.



A ministra do Ambiente, Lisa Neville, disse que os koalas foram mortos com recursos à eutanásia na zona de Cape Otway, junto da zona turística de Great Ocean Road, em 2013 e 2014.

 

"A intervenção foi necessária para evitar o sofrimento dos koalas, já que eles não eram capazes de encontrar comida suficiente", afirmou Neville, num comunicado, explicando que os animais estavam a morrer à fome.

 

"A densidade populacional estava a chegar aos 20 koalas por hectare em Cape Otway", acrescentou.

 

Segundo Neville, 686 koalas foram encontrados em condições de saúde precárias e foram abatidos por veterinários, depois de ouvirem pareceres de especialistas em bem-estar animal.

 

com Lusa

horadoplaneta às 11:19 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Março 2015

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
31

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO