Quinta-feira, 27.08.15

Nível tasi nian sa'e iha médiu sentímetru ualu hahú 1992

Tasi-ibun sira hosi Ázia no Oseánia, iha Pasífiku, hanesan mós Mediteráneu Orientál no tasi-ibun atlántiku Amérika nian, sai hanesan fatin nebe prejudikadu liu. Akesimentu globál sai hanesan suspeitu prinsipál.

 

Foto: AC


Nível tasi nian sa'e, iha média, besik sentímetru ualu iha mundu tomak hahú tinan 1992 tanba akesimentu globál. Konkluzaun ne'e hato'o hosi NASA, nebe alerta katak nível ne'e sei mantén iha tinan hirak tuirmai.

Grupu ida ho sientista sira hosi ajénsia espasiál norte-amerikanu aprezenta ona, iha loron-kuarta ne'e, informasaun foun sira nebe hetan kona-bá aumentu ba nível tasi nian iha mundu tomak - nebe, iha média, aas liu sentímetru 7,62 hosi 1992 -, maski varia iha fatin oioin iha mundu, no zona balun to'o iha sentímetru 22.

NASA publika mós vídeo ida ho informasaun nebe hetan hosi nia satelit sira nebe hatudu loloos, liuhosi gradasaun kór sira nian, saida maka evolusaun iha parte ida-idak iha mundu iha tinan 23 ikus ne'e.

Tasi-ibun sira hosi Ázia no Oseánia, iha Pasífiku, hanesan mós Mediteráneu Orientál no tasi-ibun atlántiku Amérika nian, sai hanesan fatin nebe prejudikadu liu tanba nível tasi nian nebe sa'e.

Akesimentu globál, nebe dalabarak mosu tanba atividade hosi ema moris, sai hanesan suspeitu prinsipál ba aumentu nível oseanu no tasi sira nian, sai hanesan responsável ba glasiár sira nebe nabeen no ba aumenta temperatura iha bee nian.

"Loos tebes katak situasaun sei sai aat liu iha futuru", alerta hosi Steve Nerem, jeofíziku hosi Universidade Colorado, durante aprezentasaun ba informasaun sira ne'e.

Sientista sira alerta ona katak maski foti medida hodi tenta muda situasaun no karik bele muda tendénsia, sei presiza sékulu barak hodi fila ba nível antigu sira bainhira seidauk akontese alterasaun klimátiku.

Nível tasi nian sa'e iha futuru hamosu risku ba sidade no povoasaun oioin nebe hela besik tasi-ibun iha mundu tomak, nune'e bele halo illa sira hosi mapa no, iha kazu Pasífiku nian bele halakon nasaun sira hotu.

ho Renascença

horadoplaneta às 12:43 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Nível do mar subiu em média oito centímetros desde 1992

As costas da Ásia e Oceânia, no Pacífico, a par com o Mediterrâneo Oriental e a costa atlântica da América, foram as mais prejudicadas. O aquecimento global é o principal culpado.

 

Foto: AC

 

O nível do mar subiu, em média, quase oito centímetros em todo o mundo desde 1992 devido ao aquecimento global. A conclusão é da NASA, a qual alerta que a tendência vai manter-se nos próximos anos.

Um grupo de cientistas da agência espacial norte-americana apresentou, esta quarta-feira, os mais recentes dados recolhidos sobre o aumento do nível da água do mar em todo o mundo - que foi, em média, 7,62 centímetros superior ao de 1992 -, apesar de o panorama variar em diferentes partes do mundo, tendo em algumas zonas chegado a superar os 22 centímetros.

A NASA também publicou um vídeo com os dados obtidos pelos seus satélites em que se verifica claramente, por via de uma gradação de cores, qual foi a evolução em cada parte do mundo ao longo dos últimos 23 anos.

As costas da Ásia e Oceânia, no Pacífico, a par com o Mediterrâneo Oriental e a costa atlântica da América, foram as mais prejudicadas pela subida do nível do mar.

O aquecimento global, provocado em grande medida pela actividade humana, é o principal culpado pelo aumento do nível dos oceanos e dos mares, na medida em que é responsável pelo degelo dos glaciares e pela subida da temperatura da água.

"É muito provável que a situação piore no futuro", alertou Steve Nerem, geofísico da Universidade do Colorado, durante a apresentação dos dados.

Os cientistas alertaram que mesmo que sejam tomadas acções para tentar reverter a situação e se consiga mudar a tendência, seriam precisos séculos para regressar aos níveis anteriores às alterações climáticas.

A subida do nível da água do mar coloca em risco o futuro de inúmeras cidades e povoações costeiras em todo o mundo, ameaçando, aliás, fazer desaparecer do mapa para sempre uma série de ilhas e, no caso do Pacífico, em especial, países inteiros.

com Renascença

horadoplaneta às 12:16 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 24.08.15

Nasaun luzófonu iha falta osan ba sustentabilidade ambientál

Nasaun luzófonu sira iha falta osan hodi investe iha sustentabilidade ambientál, haktuir hosi sekretáriu-ezekutivu hosi Konvensaun kona-bá Diversidade Biolójiku (CDB), Bráulio Dias, ba Rádio ONU.


Responsável observa iha kauza oioin nebe mosu hosi limitasaun sira ba investimentu hosi nasaun sira lian portugés, nebe mosu tuir situasaun polítiku no ekonómiku espesífiku hosi nasaun ida-idak.

 

"Hanesan ezemplu, nasaun sira hanesan Guiné-Bissau ladún avansa tanba iha difikuldade ekonómiku no polítiku sira", nia esplika, bainhira nasaun sira hanesan Timor-Leste hahú ona "hosi zero, iha tinan hirak ikus ne'e, halo esforsu hodi implementa ajenda ne'e".

 

Angola ho Mosambike "iha biodiversidade boot", maibé "hetan estraga durante períudu tomak funu sivil nian".

 

Maibé, nasaun afrikanu rua ne'e halo hela "esforsu boot ida rekuperasaun nian", liuliu Mosambike, nebe duplika ona área protejidu sira iha dékada sira ikus ne'e.

 

Ba espesialista, prioridade hosi esforsu komunidade luzófonu afrikanu nian tenki halo ba kontrolu espésie invazór sira no protesaun ba animál sira nebe vulnerável ba mudansa klimátiku.

 

Kona-bá Portugal, nia konsidera katak "dezafiu boot" maka supera "krizi finanseira no bele habelar fali nia investimentu sira" iha protesaun ba biodiversidade. "Nasaun iha Institutu Konservasaun ba Biodiversidade nebe iha estruturasaun di'ak, no programa importante sira iha área biodiversidade tasi", nia fó elojiu.

 

Ba sekretáriu CDB, Brazil iha nota pozitivu, aprezenta "rezultadu sira nebe importante tebes", duplika estensaun hosi nia área protejidu sira no sai hanesan "nasaun nebe hamenus taxa desflorestasaun nian iha mundu tomak iha dékada ikus ne'e". "Iha redusaun ida liu 80% hosi taxa sira tanba lakon biodiversidade iha Brazil hahú hosi tinan 2005 to'o agora", nia hatutan.

 

CDB hanesan tratadu ida hosi Organizasaun Nasaun Unidu nian no hanesan ida nebe instrumentu internasionál importante ida nebe relasionadu ho meiu ambiente.

 

Konvensaun ne'e estabele durante ECO-92 - Konferénsia hosi Nasaun Unidu kona-bá Meiu Ambiente no Dezenvolvimentu (CNUMAD), nebe halo iha Rio de Janeiro iha fulan-Juñu 1992 - no ohin loron sai hanesan fórum mundiál prinsipál ba kestaun sira kona-bá tema ne'e.

 

Nasaun 160 resin asina ona akordu, nebe hala'o hahú iha fulan-Dezembru 1993.

 

ho Lusa

horadoplaneta às 16:36 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Países lusófonos sofrem falta de fundos para sustentabilidade ambiental

Todos os países lusófonos sofrem de falta de fundos para investir na sustentabilidade ambiental, segundo declarou à Rádio ONU o secretário-executivo da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB), Bráulio Dias.


 

O responsável atentou nas diferentes causas por trás das limitações do investimento dos países de língua portuguesa, que variam segundo a situação política e económica específica de cada país.

 

"Países como Guiné-Bissau, por exemplo, pouco avançaram devido às dificuldades económicas e políticas", explicou, enquanto países como Timor-Leste estão a começar "quase do zero, nestes últimos anos, a fazer um esforço para implementar essa agenda".

 

Angola e Moçambique "têm uma biodiversidade imensa", mas que foi "muito impactada durante todo o período de guerra civil".

 

No entanto, os dois países africanos estão a fazer "um grande esforço de recuperação", nomeadamente Moçambique, que duplicou as áreas protegidas nas últimas décadas.

 

Para o especialista, a prioridade dos esforços da comunidade lusófona africana deve ser o controlo das espécies invasoras e a proteção das que são vulneráveis às mudanças climáticas.

 

Quanto a Portugal, "o grande desafio", considerou, é superar a "crise financeira e poder voltar a ampliar os seus investimentos" na proteção da biodiversidade. "O país tem um Instituto de Conservação da Biodiversidade muito bem estruturado, e programas muito importantes na área da biodiversidade marinha", elogiou.

 

Para o secretário da CDB, o Brasil obtém nota positiva, apresentando "resultados bastante significativos", duplicando a extensão das suas áreas protegidas e sendo "o país que mais reduziu as taxas de desmatamento e desflorestação em todo o mundo nesta última década". "Houve uma redução de mais de 80% das taxas de perda de biodiversidade do Brasil desde 2005 até agora", acrescentou.

 

A CDB é um tratado da Organização das Nações Unidas e um dos mais importantes instrumentos internacionais relacionados ao meio ambiente.

A Convenção foi estabelecida durante a ECO-92 -- a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (CNUMAD), realizada no Rio de Janeiro em junho de 1992 -- e é hoje o principal fórum mundial para questões relacionadas com o tema.

 

Mais de 160 países já assinaram o acordo, que entrou em vigor em dezembro de 1993.

 

com Lusa

horadoplaneta às 16:16 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

“Air terjun” hirak ne’ebé furak liu iha mundu (ho FOTO)

“Air terjun” 20 ne’ebé furak liu

 

 

“Air terjun” – ka bee sulin, katarata – hanesan kriasaun natureza ida ne’ebé furak liu, halo ita gosta haree beibeik, tanba turista barak los maka halo ona viajen naruk atu hodi haree besik liu tan.

 

Iha “Air terjun” balun ne’ebé marka fronteira importante – hanesan Iguaçu, ne’ebé fahe Arjentina ho Brazil – seluk maka hanesan Niagara, nu’udar monumentu naturais ne’ebé hetan rekoñesimentu iha mundu tomak.

 

Maski nune’e iha mos “Air terjun” ne’ebé ladun koñesidu tanba razaun balun – maibé mos furak. Hanesan “Air terjun” Kanchanaburi, iha Tailándia, Almere Falls, Kalifórnia, ka seluk tan hosi islandeza. Haree ami-ninia galleria ne’ebé publika orijinalemte iha Mail Online.

 

KASKATA “AIR TERJUN – iha lian indonézia” HIRAK NE’EBÉ FURAK LIU IHA MUNDU

 

1.Luang Prabang, Laos

 

2.Yellowstone, Wyoming, Estadus Unidus

 

3.Kanchanaburi, Thailand

 

4.Silver Falls, Oregon, Estadus Unidus

 

5.Waipoo Falls, Kauai, Havai, Estadus Unidus

 

6.Iguaçu, Brazil/Arjentina

 

7.Seljalandsfoss, Islándia

 

8.Helmcken Falls, Kanadá

 

9.Kuang Si Falls, Laos

 

10.Plitvice, Kroásia

 

11.Nohkalikai, Índia

 

12.Ouzoud, Maroko

 

13.Vale de Riva, Itália

 

14.Alamere Falls, Kalifórnia, Estadus Unidus

 

15.Havasu Falls, Arizona, Estadus Unidus

 

16.Oeschinensee, Suísa

 

17.Hvíta, Islándia

 

18.Sutherland Falls, Nova Zelándia

 

19.Godafoss, Islándia

 

20.Niagara, Estadus Unidus/Kanadá

horadoplaneta às 08:53 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

As cascatas mais belas do mundo (com FOTOS)

20 das mais belas cascatas

 

 

As cascatas – ou quedas de água, cataratas – são das mais belas criações da natureza, passamos o pleonasmo, o que se comprova pela grande quantidade de turistas que viajam centenas ou milhares de quilómetros para as conhecer.

 

Há cascatas que marcam fronteiras importantes – como as do Iguaçu, que separam a Argentina e o Brasil – enquanto outras, como as do Niagara, são monumentos naturais reconhecidos em todo o mundo.

 

No entanto, há outras cascatas ou cataratas que são menos conhecidas por uma qualquer razão – ainda que belas. É o caso das cataratas de Kanchanaburi, na Tailândia, Almere Falls, Califórnia, ou várias islandesas. Veja-as na nossa galeria, publicada originalmente no Mail Online.

 

AS MAIS BELAS CASCATAS DO MUNDO

 

1.Luang Prabang, Laos

 

2.Yellowstone, Wyoming, Estados Unidos

 

3.Kanchanaburi, Thailand

 

4.Silver Falls, Oregon, Estados Unidos

 

5.Waipoo Falls, Kauai, Havai, Estados Unidos

 

6.Iguaçu, Brasil/Argentina

 

7.Seljalandsfoss, Islândia

 

8.Helmcken Falls, Canadá

 

9.Kuang Si Falls, Laos

 

10.Plitvice, Croácia

 

11.Nohkalikai, Índia

 

12.Ouzoud, Marrocos

 

13.Vale de Riva, Itália

 

14.Alamere Falls, Califórnia, Estados Unidos

 

15.Havasu Falls, Arizona, Estados Unidos

 

16.Oeschinensee, Suíça

 

17.Hvíta, Islândia

 

18.Sutherland Falls, Nova Zelândia

 

19.Godafoss, Islândia

 

20.Niagara, Estados Unidos/Canadá

horadoplaneta às 08:52 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 21.08.15

Asoka: hetan orangotango oan nebe tanis mesak iha ai-laran

Hetan ona iha ai-laran Asoka, orangotango oan nebe tanis mesak iha ai-laran Bornéu, Indonézia, no haruka ona ba sentru reabilitasaun International Animal Rescue (IAR), iha Ketapang.


 

Tuir Animal Rescue, orangotango oan ne'e hetan hosi populasaun lokál ida nebe, maski ho intensaun di'ak, fó han nia ho susubeen kondesadu midar - no estragadu - loron ida dala haat. Maibé, tanba hatene katak orangotango hanesan animál protejidu ida, nia kontakta departamentu floresta lokál, hodi bele foti animál órfaun ne'e.

Maski nune'e, Asoka hela ho família ida nebe hetan nia durante semana haat, orangotango ne'e toba hamutuk ho kaben-na'in ne'e. "Asoka iha istória típiku no trájiku nebe ameasa daudaun populasaun orangotango nia moris iha Bórneu no Sumatra", Alan Knight, CEO hosi IAR, esplika ba imprensa britániku. "Bainhira indústria mina nuu sawit nian aumenta iha floresta tropikál, orangotango sira sei lakon sira nia fatin hodi moris, ho hamlaha no fásil atu kasadór sira bele hetan.

 


Asoka, ho fulan haat ka lima iha de'it todan kilo rua, karik moris hosi nia aman no iha sorte tanba ema la fa'an hanesan animál estimasaun.

"Sentru sira hanesan ami nian nakonu ho animál sira iha reabilitasaun, nebe preparadu hodi fila ba moris selvajen. Maibé bainhira Asoka hetan libertasaun, nia bele hetan ai-laran ruma hodi hela?", Alan Knight husu.
 
ho Green Savers

horadoplaneta às 12:56 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Asoka: a bebé orangotango que foi encontrada a chorar sozinha na floresta

Asoka, uma bebé orangotango que foi encontrado a chorar sozinho na floresta do Bornéu, Indonésia, foi resgatada e enviada para o centro de reabilitação da International Animal Rescue (IAR), em Ketapang.



 

Segundo a Animal Rescue, a bebé foi encontrada por um habitante local que, apesar das boas intenções, alimentou-a com leite condensado doce – e estragado – quatro vezes ao dia. Entretanto, e sabendo que o orangotango é um animal protegido, ele contactou o departamento da floresta local, para o recolher como órfão.

 

Ainda assim, Asoka ficou com a família do seu salvador durante quatro semanas, dormindo com ele e a sua mulher. “Asoka tem a típica e trágica história que está a ameaçar a sobrevivência das populações de orangotango no Bórneu e Sumatra”, explicou à imprensa britânica Alan Knight, CEO da IAR. “À medida que a indústria do óleo de palma continua a devorar a floresta tropical, mais orangotangos estão a ficar sem abrigo, com fome e vulneráveis aos caçadores”. 

 

 

Asoka, que aos quatro ou cinco meses pesa apenas dois quilos, terá sobrevivido à morte do seu pai e teve a sorte de não ser vendida como animal de estimação.

 

“Centros como os nossos estão a abarrotar com animais em reabilitação, que são preparados para regressar à vida selvagem. Mas quando a pequena Asoka for libertada haverá alguma floresta para ela viver?”, questionou Alan Knight.

 

com Green Savers

horadoplaneta às 12:05 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 14.08.15

Astrónomu sira deskobre planeta ne’ebé naroman durante tinan 100

Astrónomu sira deskobre planeta ida ne’ebé naroman durante tinan 100, planeta ne’e hanesan ho Júpiter tinan billaun no bele fó informasaun foun sira kona-ba oinsa maka planeta sira ne’e mosu, fó sai estudu ida ne’ebé horisehik publika ona iha revista Science.




Koñesidu hanesan 51 Eridani b, ne’e maka hanesan planeta dahuluk atu deteta hosi instrumentu foun ida, ho naran Gemini Planet Imager, fó sai revista.
Hanesan "planeta dahuluk ne’ebé nurak, bainbain atu hanesan ho Júpiter iha tinan billaun, nakfilak aan halo ita presiza fera ulun maka’as hodi deskobre planeta sira", dehan Travis Barman, profesór ne’ebé asosia hosi Siénsia Planetária Universidade Arizona.


Fitun ne’ebé orbita, 51 Eridani, iha de’it tinan rihun 20, ne’ebé nurak tebes, konsidera katak Loro iha tinan billaun 4,5.


Kahor ho metanu, planeta ne’ebé iha massa liu dalar rua kompara ho Júpiter -- planeta ne’ebé boot liu iha ita-nia sistema solar – no iha metanu ne’ebé forte liu dala ruma deskobre iha atmosfera hosi planeta alienígena ida.


Temperatura planeta bele hetan 427 graus Celsius, sufisiente atu bele harahun chumbo.


"Ida ne’e maka planeta ne’ebé lolos nian ita hakarak deskobre bainhira ita haree Gemini Planet Imager", dehan James Graham, hosi Universidade Kalifórnia, profesór astronomia ne’ebé maka halo instrumentu refere.


"Ita hakarak hetan planeta sira bainhira sei nurak hela, atu nune’e it abele deskobre prosesu formasaun", haktuir.


Gemini Planet Imager ne’ebé kria proju hodi deskobre planeta sira hodi buka fitun sira.


Instrumentu ne’e ninia tamañu besik hanesan ho kareta ki’ik ida ne’ebé monta hela iha fatin ida ho metru ualu iha Chile, komesa halo ona serbisu iha dezembru tinan 2014.


Misaun ne’ebé lahanesan ho NASA, koñesidu hanesan teleskópiu espasiál Kepler, buka planeta sira liuhosi halo estudu ba fitun sira. Objetivu prinsipál hosi Kepler maka atu deskobre planeta sira hanesan Rai no bele mós hodi sustenta moris.


SAPO TL ho Lusa

horadoplaneta às 07:44 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Astrónomos descobrem planeta a 100 anos de luz de distância

Astrónomos descobriram um planeta a 100 anos de luz de distância, parecido com Júpiter há biliões de anos e que pode dar novas informações sobre como os planetas se formam, refere um estudo publicado ontem na revista Science.




Conhecido como 51 Eridani b, o planeta é o primeiro a ser detetado por um novo instrumento, denominado Gemini Planet Imager, segundo a revista.


É "o primeiro planeta jovem, que provavelmente se parece com Júpiter há bilhões de anos, tornando-se no nosso principal quebra-cabeças da formação de planetas", disse Travis Barman, professor associado de Ciências Planetárias da Universidade do Arizona.


A estrela que orbita, a 51 Eridani, tem apenas 20 milhões de anos, bastante jovem, considerando que o Sol tem cerca de 4,5 bilhões de anos.
Envolto em metano, o planeta tem cerca de duas vezes a massa de Júpiter -- o maior planeta do nosso sistema solar -- e tem o metano mais forte alguma vez detetado na atmosfera de um planeta alienígena.


A temperatura do planeta deverá rondas os 427 graus Celsius, o suficiente para derreter chumbo.


"Este é exatamente o tipo de planeta que queríamos descobrir quando projetamos o Gemini Planet Imager", disse James Graham, da Universidade da Califórnia, professor de astronomia que projetou aquele instrumento.


"Queríamos encontrar planetas enquanto são jovens, para que possamos descobrir o processo de formação", disse.


O Gemini Planet Imager foi projetado para descobrir novos planetas a orbitar estrelas.


O instrumento é aproximadamente do tamanho de um carro pequeno e está montado num espaço de cerca de oito metros no Chile, tendo começado a trabalhar em dezembro de 2014.


Uma missão separada da NASA, conhecida como o telescópio espacial Kepler, procura planetas através do estudo de estrelas. O principal objetivo do Kepler é encontrar planetas como a Terra e possam ser capazes de sustentar vida.


@Lusa

 

horadoplaneta às 07:39 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Agosto 2015

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
15
16
17
18
19
20
22
23
25
26
28
29
30
31

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO