Sexta-feira, 27.11.15

Eis-Prezidente lidera delegasaun Timor-Leste nian iha simeira Paris

Eis-Prezidente Timor-Leste nian, José Ramos-Horta, sei lidera delegasaun timoroan nian iha konferénsia ONU nian kona-bá alterasaun klimátiku (COP21) ne'ebé hahú iha loron-segunda iha Paris, konfirma ona hosi membru ida ezekutivu nian ba Lusa.


Fonte: José Ramos-Horta 1996 Nobel Peace Prize Laureate


Constâncio Pinto, ministru hosi Komérsiu, Indústria no Ambiente, hatete ba Lusa katak Ramos-Horta nomeadu hosi Prezidente timoroan, Taur Matan Ruak, no hosi primeiru-ministru Rui Maria de Araújo, hodi aprezenta pozisaun sira hosi Timor-Leste nian iha simeira kona-bá klima.

 

Timor-Leste hakarak fó nia ezemplu rasik kona-bá impaktu hosi alterasaun klimátiku tanba, hanesan nasaun sira seluk hosi Pasífiku, hahú senti ona efeitu sira, liuliu ho mudansa sira iha padraun ba udan ne'ebé akontese durante loron badak maibé maka'as liu.

 

Ne'e hetan ona detalle iha konferénsia foun hamutuk ida hosi Governu timoroan no hosi UE iha Díli, halo hamutuk ho semana Alterasaun Klimátiku nian no antesipa konferénsia kona-bá klima iha Paris.

 

Constâncio Pinto destaka katak kombate hasoru alterasaun klimátiku sira "hanesan preokupasaun ida" iha nasaun no reuniaun iha Paris hanesan oportunidade ida hodi hametin ajenda internasionál ne'e. "Iha Timor-Leste, hanesan fatin sira seluk iha planete, senti ona impaktu ne'e. Ami haree estraga sira ne'ebé udan halo no nia folin ne'ebé reprezenta", nia hatete.

 

Bainhira hatán kona-bá medida sira ne'ebé Governu foti daudaun hodi proteje ambiente, inklui hamoos foer sira, hamoos mota sira no kampaña informasaun nian, Constâncio Pinto fó hanoin "dezafiu boot sira" ne'ebé maka nasaun hasoru.

 

"Hanesan kestaun transversál sira ne'ebé eziji envolvimentu hosi parte oioin. Iha esforsu sira hosi ami nia parte, inklui konferénsia sira hodi sensibiliza kona-bá kestaun ambientál sira no sei hahú harii sentru ida hodi sunu foer sira, ho investimentu ida hamutuk dolár millaun 150", nia hatete.

 

"Hanesan dezafiu ida ba governu timoroan no ami sei esforsa hodi rezolve no hatán ba dezafiu ne'e. Maibé ami ladún iha rekursu ema nian no mós finansiamentu, ne'ebé halo susar ami nia intervensaun iha área sira ne'e. Ami labele hatán ba buat hotu iha tempu hanesan", nia hatutan. Timor-Leste ratifika ona iha 2006 Konvensaun hosi ONU kona-bá Alterasaun Klimátiku sira (UNFCCC) no adere mós ba faze daruak hosi Protokolu Quioto nian.

 

Iha tinan hirak ikus ne'e, Timor-Leste hala'o ona inisiativu oioin iha área ne'e, inklui projetu ki'ik sira hosi infraestrutura agríkola nian, reabilitasaun ba ai-hun mangál, projetu sira hodi hamoos bee no kampaña oioin informasaun nian no edukasaun kona-bá tema ambiente sira nian.

 

COP21, ne'ebé sei hala'o entre loron 30 Novembru no 11 Dezembru, sei halibur iha Paris pelumenus xefe Estadu no Governu hamutuk na'in 147, entre sira reprezentante hosi nasaun 195, ne'ebé hakarak hetan akordu vinkulativu ida kona-bá diminuisaun hosi emisaun gás sira ho efeitu estufa ne'ebé permiti limita akesimentu ba temperatura média globál hosi atmosfera ba sentígradu rua aas liu hosi valór ne'ebé rejista antes akontese revolusaun industriál.

 

ho Lusa

horadoplaneta às 14:22 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Ex-Presidente lidera delegação de Timor-Leste a cimeira de Paris

O ex-presidente de Timor-Leste, José Ramos-Horta, vai liderar a delegação timorense à conferência da ONU sobre alterações climáticas (COP21) que começa na segunda-feira em Paris, confirmou à Lusa um membro do executivo.


Fonte: José Ramos-Horta 1996 Nobel Peace Prize Laureate


Constâncio Pinto, ministro do Comércio, Indústria e Ambiente, disse à Lusa que Ramos-Horta foi nomeado pelo Presidente timorense, Taur Matan Ruak, e pelo primeiro-ministro, Rui Maria de Araújo, para apresentar as posições de Timor-Leste na cimeira do clima.

 

Timor-Leste quer dar o seu próprio exemplo sobre o impacto das alterações climáticas uma vez que, como outras nações do Pacífico, começou já a sentir efeitos, nomeadamente com mudanças no padrão das chuvas, que ocorrem durante menos dias mas com mais intensidade.

 

Isso mesmo foi detalhado numa recente conferência conjunta do Governo timorense e da UE em Díli, coincidindo com a semana da Alteração Climática e em jeito de antecipação da conferência de clima de Paris.

 

Constâncio Pinto destacou que o combate às alterações climáticas "é uma preocupação" no país e que a reunião de Paris é uma oportunidade para consolidar esta agenda internacional. "Em Timor-Leste, como noutros pontos do planeta, já se começa a sentir esse impacto. Notamos os danos que as chuvas causam e o custo que representam", disse.

 

Questionado sobre as medidas que o Governo tem vindo a tomar para proteger o ambiente, incluindo a limpeza de lixo, a limpeza das ribeiras e campanhas de informação, Constâncio Pinto recordou "os enormes desafios" que o país enfrenta.

 

"São questões transversais, que exigem o envolvimento de várias partes. Há esforços da nossa parte, incluindo conferências para sensibilizar sobre as questões ambientais e vai começar a ser construído um centro de incineração de lixos, num investimento de 150 milhões de dólares", disse.

 

"É um desafio para o governo timorense e vamos esforçar-nos para resolver e responder a este desafio. Mas temos falta de recursos humanos e também de financiamento, o que dificulta a nossa intervenção nestas áreas. Não podemos responder a tudo ao mesmo tempo", afirmou. Timor-Leste ratificou em 2006 a Convenção das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (UNFCCC) tendo aderido também à segunda fase do Protocolo de Quioto.

 

Nos últimos anos, Timor-Leste tem realizado várias iniciativas neste quadro, incluindo pequenos projetos de infraestruturas agrícolas, a reabilitação de mangais, projetos de limpeza de água e várias campanhas de informação e educação sobre temas ambientais.

 

A COP21, que decorrerá entre 30 de novembro e 11 de dezembro, vai reunir em Paris pelo menos 147 chefes de Estado e de Governo, entre os representantes de 195 países, que tentarão alcançar um acordo vinculativo sobre redução de emissões de gases com efeito de estufa que permita limitar o aquecimento da temperatura média global da atmosfera a dois graus centígrados acima dos valores registados antes da revolução industrial.

 

com Lusa

horadoplaneta às 13:55 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Novembro 2015

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
15
16
17
18
19
21
22
23
26
28
29

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO