Segunda-feira, 02.11.15

Nível poluisaun iha Pekin tuun ba 20% iha fulan sanulu dahuluk 2015 nian

Nível sira poluisaun nian iha Pekin tuun ba 20% iha fulan dahuluk tinan 2015 nian, iha termu homólogu sira, avansa ohin hosi ajénsia notísia ofisiál xineza nian Xinhua.


Poluisaun iha Xina. EPA@ How Hwee Young


Densidade hosi PM 2.5 - partíkula sira nebe ki'ik liu no perigozu hodi tama iha pulmaun sira - tuun 21,8%, bainhira densidade hosi PM 10 - dióksidu hosi enxofre no dióksidu nitrojéniu nian - tuun 21%, hakerek Xinhua, nebe haktuir hosi Gabinete Munisipál hosi Protesaun Ambientál nian.

 

Tuir fonte hanesan, kompara ho fulan sia dahuluk sira iha tinan liubá, iha liu loron 31 ho kualidade ár di'ak no menus loron 16 nebe ho nível poluisaun sira nebe todan.

 

Gabinete fó hadi'a ba medida sira kontrolu poluisaun nian nebe adopta ahosi Governu xinés no kondisaun klimatériku nebe favorável.

 

Iha tinan liubá, taka ona iha kapitál xineza sentrál elétriku rua nebe uza anar no empreza hamutuk 315 nebe konsidera hanesan poluidu, hatete hosi Xinhua.

 

Notísia mosu iha loron hanesan bainhira Prezidente Fransa hahú vizita Estadu ida ba Xina, hodi haree "akordu globál no ambisiozu ida, nebe limiti akesimentu globál ba másimu sentígradu rua".

 

Xina, nebe hanesan emisór gás poluisaun boot liu iha mundu, sei hanesan elementu xave ba akordu efetivu ida iha diálogu klimátiku sira hosi Nasaun Unidu (COP21), nebe sei hala'o iha fulan ne'e nia rohan, iha Paris.

 

ho Lusa

horadoplaneta às 12:50 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Níveis de poluição em Pequim caíram mais de 20% nos primeiros dez meses de 2015

Os níveis de poluição em Pequim caíram mais de 20% nos primeiros dez meses de 2015, em termos homólogos, avançou hoje a agência noticiosa oficial chinesa Xinhua.


Poluição na China. EPA@ How Hwee Young 

 

A densidade de PM 2.5 - as partículas mais pequenas e suscetíveis de se infiltrarem nos pulmões - diminuiu 21,8%, enquanto a densidade de PM 10 - dióxido de enxofre e dióxido de nitrogénio - caiu 21%, escreve a Xinhua, citando o Gabinete Municipal de Proteção Ambiental.

 

Segundo a mesma fonte, comparando com os primeiros nove meses do ano passado, houve mais 31 dias com boa qualidade do ar e menos 16 dias com níveis de poluição graves. O gabinete atribuiu as melhorias às medidas de controlo da poluição adotadas pelo Governo chinês e condições climatéricas favoráveis.

 

No ano passado, foram encerradas na capital chinesa duas centrais elétricas a carvão e 315 empresas consideradas poluidoras, indica a Xinhua.

 

A notícia surge no mesmo dia em que o Presidente de França iniciou uma visita de Estado à China, visando "um acordo global e ambicioso, que limite o aquecimento global a um máximo de dois graus centígrados".

 

A China, o maior emissor de gases poluentes do mundo, será um elemento chave para um acordo efetivo nas conversas climáticas das Nações Unidas (COP21), a serem realizadas no final deste mês, em Paris.

 

com Lusa

horadoplaneta às 12:28 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Prezidente fransés hatete katak apoiu hosi Xina "hanesan importante" ba akordu ida iha konferénsia Paris

Prezidente fransés, Francois Hollande, hatete ohin katak apoiu xinés "hanesan importante" ba akordu efetivu ida iha diálogu sira klimátiku nian hosi Nasaun Unidu (COP21), nebe sei hala'o iha fulan ne'e nia rohan, iha Paris.


EPA@ Thibault Camus

 

Iha vizita ida Estadu ida ba Xina durante loron rua, Hollande afirma ona katak hakarak "akordu globál no ambisiozu ida, nebe limiti akesimentu globál ba másimu sentígradu rua".

 

"Apoiu xinés hanesan importante", hatete Holland, iha munisípiu Chongqing, iha sentru nasaun nian, hodi hatutan katak "luta hasoru akesimentu globál hanesan kestaun humanitáriu ida - oinsá haree planeta rezervadu - no asuntu ida nebe konsidera ba importánsia ekonómiku, hodi hanesan kresimentu "matak".

 

Xina, emisór boot liu hosi gás sira nebe halo poluisaun iha mundu, sai hanesan elementu xave iha negosiasaun sira nebe hahú iha loron 30 fulan-Novembru, iha tempu ida nebe nasaun dezenvolvidu sira ko'alia kona-bá parte sira nebe tenki kaer responsabilidade maka'as hodi hamenus emisaun sira.

 

Diálogu sira sei konserta iha mekanizmu ida nebe sei akompaña kompromisu sira hosi nasaun envolvidu hamutuk 195: Fransa defende dalan jurídiku ida, nebe sei halo revizaun tinan lima dala ida, bainhira Xina lakohi dalan ruma hosi sistema punitivu nian.

 

Pekin, nebe halo susar ona negosiasaun sira durante konferénsia hosi Kopenhaga iha 2009, promete ona katak nia emisaun sira karbonu nian sei to'o másimu "hahú hosi tinan 2030".

 

Ne'e hanesan vizita daruak hosi xefe Estadu europeu ida ba Xina iha semana ida nia laran, hafoin xanxeler alemaun, Angela Merkel, hakotu tiha vizita iha loron-sesta liubá, vizita ida nebe dura loron haat.

 

Iha fulan liubá, Xina ho Reinu Unidu hetan ona akordu ho folin libra millaun rihun 40 durante vizita Estadu dahuluk hosi Prezidente xinés nian, Xi Jinping, iha Londres.

 

Loron daruak no ikus vizita nian sei dedika ba koperasaun entre empreza sira hosi nasaun rua ne'e, ho fórum ida inauguradu hosi primeiru-ministru xinés, Li Keqiang.

 

Xina hanesan nasaun daruak boot hosi parseiru komersiál Fransa nian. Iha média, tranzasaun komersiál loron-loron sira entre nasaun rua ne'e to'o euro millaun 160. Fransa hanesan destinu datoluk hosi investimentu xinés nian iha Europa, tuir Reinu Unidu no Alemaña. Portugal fahe fatin dahaat ho Itália.

 

"Kompara ho resepsaun hosi líder sira Alemaña ho Fransa nian ba Dalai Lama, maski hosi protestu xinés sira, iha 2007 no 2008, buat sira muda maka'as, tanba Xina agora iha inisiativu iha relasaun sino-europeiu sira", hakerek hosi jornál ida Partidu Komunista Xinés nian (PCC) iha semana liubá.

 

Iha editoriál, Global Times, jornál ho lian inglés hosi grupu Diáriu Povu nian, órgaun sentrál hosi PCC, defende katak "Xina tenki buka interasaun ida benéfiku liu ho Europa", argumenta katak lasu sira ho kontinente europeu bele "kontrabalansa ho bandu sira nebe fó hosi aliansa EUA-Japaun".

 

ho Lusa

horadoplaneta às 12:12 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Presidente francês diz que apoio da China "é essencial" para um acordo na conferência de Paris

O Presidente francês, Francois Hollande, disse hoje que o apoio chinês "é essencial" para um acordo efetivo nas conversas climáticas das Nações Unidas (COP21), a serem realizadas no final deste mês, em Paris.

 

EPA@ Thibault Camus


No arranque de uma visita de Estado de dois dias à China, Hollande afirmou que deseja "um acordo global e ambicioso, que limite o aquecimento global a um máximo de dois graus centígrados".

 

"O apoio chinês é essencial", disse Holland, no município de Chongqing, no centro do país, acrescentando que "a luta contra o aquecimento global é uma questão humanitária - como poderá o planeta ser preservado - e um assunto de considerável importância económica, o chamado crescimento 'verde'".

 

A China, o maior emissor de gases poluentes do mundo, será um elemento chave nas negociações que arrancam a 30 de novembro, numa altura em que países desenvolvidos e em desenvolvimento discutem qual das partes deverá assumir maior responsabilidade na redução das emissões.

 

As conversas terão paralisado em torno do mecanismo que acompanhará os compromissos dos 195 países envolvidos: a França defende um vínculo jurídico, revisto a cada cinco anos, enquanto a China excluiu qualquer tipo de sistema punitivo.

 

Pequim, que terá alegadamente dificultado as negociações durante a conferência de Copenhaga em 2009, já prometeu que as suas emissões de carbono vão atingir o pico máximo "por volta de 2030".

 

Esta é a segunda visita de um chefe de Estado europeu à China no espaço de uma semana, depois de a chanceler alemã, Angela Markel, ter concluído na sexta-feira passada uma deslocação de quatro dias ao país.

 

No mês passado, China e Reino Unido firmaram acordos no valor de 40 mil milhões de libras (55,5 mil milhões de euros), durante a primeira visita de Estado do Presidente chinês, Xi Jinping, a Londres.

 

O segundo e último dia da visita será dedicado à cooperação entre as empresas dos dois países, com um fórum inaugurado pelo primeiro-ministro chinês, Li Keqiang.

 

A China é o segundo maior parceiro comercial da França. Em média, as transações comerciais diárias entre as duas nações somam 160 milhões de euros.

A França é o terceiro destino do investimento chinês na Europa, a seguir ao Reino Unido e Alemanha. Portugal disputa o quarto lugar com a Itália.

 

"Comparando com a receção dos líderes da Alemanha e França ao Dalai Lama, apesar dos protestos chineses, em 2007 e 2008, as coisas mudaram dramaticamente, já que a China agora tem a iniciativa nas relações sino-europeias", escreveu um jornal do Partido Comunista Chinês (PCC) na semana passada.

 

Em editorial, o Global Times, jornal de língua inglesa do grupo do Diário do Povo, o órgão central do PCC, defende que "a China devia procurar uma interação mais benéfica com a Europa", argumentando que os laços com o continente europeu podem "contrabalançar as restrições impostas pela aliança EUA-Japão".

 

com Lusa

horadoplaneta às 11:34 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Novembro 2015

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
15
16
17
18
19
21
22
23
26
28
29

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO