Quarta-feira, 27.01.16

Hetan manduku ne’ebé ema hanoin mate hotu ona iha tinan 150 liubá

Besik tinan 150 liubá nia mosu iha abitat naturál, espésie sapo mosu hikas iha norte Índia nian, kontra notísia ne’ebé dehan nia mate hotu ona. Deskoberta ne’e fó sai detalla iha estudu mak publika iha Plos One, no konta ho kolaborasaun zoólogu indianu Sathyabhama Das Biju nian. 


 

Thomas Jerdon haree nia ba dala ikus iha 1870  no fó naran Polypedates jerdonii. Tuir investigasaun jenétika mak halo hosi investigadór sira, manduku  hirak ne’e mai hosi família ida ho sira ne’ebé Jordan hetan, maibé jéneru lahanesan. Sira naran Frankixalus jerdonii. 


Investigadór sira deskobre katak manduku hirak ne’e moris no reprodús iha ai-kuak sira, tanba ne’e mak ema laharee sira. Nia partikularidade relasiona ho sira seluk hosi espésie ida mak ida inan tolun iha bee lihun iha kuak, no husik tolun sira iha ne’ebá durante jestasaun. Sira fila bainhira tolun sira moris ona, no óvulu la’ós fertilizadu hodi fó han nia oan sira. Tanba ne’e mak nia oan sira laiha nehan, kontráriu ho Manduku sira seluk iha ai.

 

Nia naruk sentímetru 50, investigadór sira fiar katak sira lamate no sira-nia abitat espalla iha fatin barak liu hosi ida ne’ebé ema hanoin.

Maibé hetan ninia deskoberta ho porakazu. Iha tinan 2007 ekipa Das Biju nian hahú rekolla espésie anfíbiu oioin iha zona ne’ebá. Horikedas teste jenétiku mak sira hatene tama iha espésie ida ne’ebé.

 

Maibé nia populasaun kontinua iha perigu: estadu ameasa ba nia abitat bele fó perigu ba espésie ne’e iha futuru.

 

SAPO TL ho Quero Saber


Imagens: Sathyabhama Das Biju.

 

horadoplaneta às 03:05 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Encontrado sapo que se julgava extinto há 150 anos

Cerca de 150 anos depois do último avistamento no seu habitat natural, uma rara espécie de sapo surge novamente no norte da Índia, contra as notícias de que se encontrava extinto desde então. A descoberta foi detalhada num estudo publicado na Plos One, e contou com a colaboração do zoólogo indiano Sathyabhama Das Biju. 


 

Tinha sido visto pela última vez em 1870 por Thomas Jerdon, e batizado de Polypedates jerdonii. De acordo com as investigações genéticas feitas pelos investigadores, estes sapos pertencem à mesma família daqueles encontrados por Jordan, mas são de um género diferente. Chamam-se Frankixalus jerdonii. 


Os investigadores descobriram que estes sapos vivem e reproduzem-se dentro de buracos de árvores, o que pode justificar o porquê de terem deixado de ser avistado. A sua particularidade em relação a outros da mesma espécie é que as fêmeas põem os ovos em poças de água dentro dos buracos, e deixam-nos durante a gestação. Regressam quando os ovos nascem, e deixam óvulos não fertilizados para alimentar as novas crias. É por isso que as crias não têm dentes, ao contrário de outros sapos de árvores.

 

Com 50 centímetros de comprimento, os investigadores acreditam que, não só não está extinto, como o seu habitat está espalhado por mais locais do que aqueles inicialmente pensados.

 

A sua descoberta, no entanto, foi por acaso. A equipa de Das Biju começou em 2007 a recolher várias espécies de anfíbios naquela zona. Foi já durante testes genéticos que perceberam de que espécie se tratava.

 

Mas a sua população continua em perigo: o estado de ameaça do seu habitat poderá pôr a espécie em perigo no futuro.

 

Imagens: Sathyabhama Das Biju.

horadoplaneta às 02:56 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 21.01.16

Iha tinan 2050 oseanu sira sei iha plástiku barak duké ikan sira

Estudu foun ida garanti ona katak tinan-tinan plástiku hamutuk tonelada millaun ualu pára iha oseanu nia laran no sei aumenta nafatin. Ekonomia lakon 95% hosi embalajen sira ne'ebé prodús hafoin utilizasaun dahuluk. 

 

Foto: Epifânio Sarmento@ SAPO TL

 

Bainhira aumenta nafatin, iha tinan 2050 kuantidade plástiku iha oseanu sira sei aumenta duké kuantidade ikan nian, alerta hosi estudu ne'ebé fó sai iha loron-tersa hosi Fundasaun Ellen MacArthur, hamutuk ho konsultoria McKinsey.

 

Hanoin katak, agora daudaun, plástiku ho tonelada millaun 150 halo poluisaun iha oseanu sira. Tuir estudu, iha tinan 2014, proporsaun hosi tonelada sira foer nian ba ikan sira maka hosi proporsaun ida ba lima. Bainhira la muda, iha tinan 2050 sei muda hosi proporsaun ida ba tolu.

 

Pelumenus plástiku ho tonelada millaun ualu tinan-tinan ba pára iha oseanu sira hanesan ho kamiaun foer nian ba minutu ida, hakerek hosi relatóriu ne'e.

 

Estudu refere katak ekonomia lakon 95% hosi embalajen sira plástiku nian hafoin utilizasaun dahuluk, iha folin ida besik dolár millaun rihun 80 to'o 120.

 

Atu muda senáriu ne'e, estudu hato'o proposta hodi harii sistema foun ida hodi hamenus estraga hosi plástiku iha natureza no órgaun independente foun ida ne'ebé regula área ne'e.

 

Estudu refere katak mudansa ida eziji koperasaun mundiál entre empreza sira sasán konsumu nian, produtór sira hosi embalajen sira, empreza sira ne'ebé responsável hodi rekolla foer, sidade sira, polítiku sira no organizasaun sira seluk.

 

ho Lusa/AFP

horadoplaneta às 11:03 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Oceanos podem ter mais plástico do que peixe em 2050

Um novo estudo garante que todos os anos 8 milhões de toneladas de plástico vão parar ao fundo dos oceanos e a tendência é de aumento. A economia perde 95% das embalagens que produz após primeira utilização.


 Foto: Epifânio Sarmento@ SAPO TL

 

Se a tendência não for invertida, em 2050, a quantidade de plástico nos oceanos deverá superar a de peixe, alerta um estudo divulgado na terça-feira pela Fundação Ellen MacArthur, em parceira com a consultoria McKinsey.

 

Estima-se que, atualmente, mais de 150 milhões de toneladas de plástico estejam a poluir os oceanos. De acordo com o estudo, em 2014, a proporção de toneladas de lixo para peixe era de um para cinco. Caso não se altere a tendência, em 2025, será de um para três.

 

Pelo menos 8 milhões de toneladas de plástico vão parar todos os anos aos oceanos, o mesmo que um camião de lixo por minuto, lê-se no relatório.

 

O estudo refere que a economia perde 95% das embalagens de plástico após a primeira utilização, num valor estimado de 80 a 120 mil milhões de dólares.

 

Para reverter o cenário, o estudo, propõe a criação de um novo sistema para reduzir o desperdício de plástico na natureza e um novo órgão independente que regule o setor.

 

O estudo refere que uma mudança exige a cooperação mundial entre empresas de bens de consumo, produtores de embalagens, empresas responsáveis pela recolhe de lixo, cidades, políticos e outras organizações.

 

com Lusa/AFP

horadoplaneta às 10:35 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 20.01.16

Mapa hosi NASA hatudu nasaun sira ne'ebé poluídu liu iha mundu

Imajen sira ne'ebé foin lalais ne'e fó sai hosi ajénsia espasiál norte-amerikanu, NASA, hatudu nasaun ne'ebé maka poluídu liu iha mundu no área sira hosi globo aumenta ona - ka hamenus - nia emisaun sira gás ho efeitu estufa iha tinan sanulu ikus ne'e. 

 

Kór laranja ho kór mean hatudu área poluída sira

 

Mapa hatudu katak, maski iha entre área sira ne'ebé aat liu iha mundu tomak, Estadus Unidus, Europa Osidentál ho Japaun hatudu di'ak entre tinan 2005 no 2014 - karik tanba resesaun ekonómiku.

 

Iha kontinente europeu, poluisaun tuun to'o 50%, avansa hosi jornál Globo, hanesan rezultadu hosi restrisaun maka'as kona-bá nasaun poluente sira. Iha Estadus Unidus, maski emisaun sira tuun ona iha nível globa, iha avansu iha estadu balun to'o 30%, hanesan iha Texas no Carolina-Norte, ne'ebé iha produsaun maka'as ba petróleu no gás natural.

 

Iha nasaun sira hanesan Xina, Índia ho parte balun hosi Médiu Oriente, liuliu iha rehiaun hosi golfu Pérsiku, fatin sira ne'ebé ekonomia no atividade industriál hahú iha espansaun, poluisaun aumenta ona.

 

Imajen sira hosi NASA hatudu mós movimentu interesante ida iha norte xinés, ne'ebé sidade sira industrializadu liu no produsaun enerjia aumenta maka'as. Iha jerál, área hatudu aumentu konsiderável ida hosi emisaun gás sira nian, Pekin, kapitál nasaun nian, iha diminuisaun konsiderável ida.

 

Tuir sientista Bryan Duncan, ne'ebé lidera estudu iha sentru semo espasiál Goddard, ne'e iha ligasaun ba presaun boot ida hosi klase médiu ne'ebé aumenta iha Pekin tanba ár di'ak ida - tuir istória sidade boot konsidera hanesan sidade ida ne'ebé iha liu poluisaun iha mundu.

 

Iha Brazil, mapa sira hatudu katak kuadru jerál mantén similar, sei dook hosi lansamentu aas hosi gás sira ne'ebé akontese iha rejiaun sira ne'ebé dezenvolvidu liu iha mundu - maibé, sentru sira ne'ebé poluídu liu, hanesan Grande São Paulo, aas nafatin no iha indíse preokupante sira, hanesan ho sidade boot globál sira.

 

Mapa sira hosi ajénsia espasiál amerikanu hatudu mós efeitu sira hosi movimentasaun demográfiku, hanesan akontese tanba funu sivil iha Síria: bainhira índise sira hosi dioksidu karbonu tuun maka'as iha nasaun, liuliu iha sidade boot hanesan kapitál Damasku no Aleppo, emisaun sira aumenta iha nasaun viziñu ne'ebé simu refujiadu síriu sira.

 

Hahú tinan 2004, NASA haree emisaun sira iha planeta tomak liuhosi instrumentu ida ne'ebé instala iha nia satelit Aura. Entre sira, iha dióksidu nitrojéniu, ne'ebé mosu bainhira sunu kombustível fósil sira, liuliu hosi karreta sira, tanba produsaun enerjia nian no tanba atividade industriál nian.

 

ho Green Savers

horadoplaneta às 13:45 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Mapa da NASA mostra os países mais poluídos do mundo

Imagens recentemente divulgadas pela agência espacial norte-americana, NASA, revelam quais os países mais poluídos do mundo e que áreas do globo aumentaram – ou reduziram – as suas emissões de gases com efeito de estufa nos últimos dez anos. 

 

Laranja e vermelho são as áreas poluídas

 

O mapa revela que, embora ainda estejam entre as áreas com o pior ar em todo o mundo, Estados Unidos, Europa Ocidental e Japão apresentaram melhorias entre 2005 e 2014 – provavelmente devido à recessão económica.

 

No continente europeu, a queda da poluição chegou a até 50%, avança o jornal Globo, como resultado da maior restrição sobre os poluentes. Nos Estados Unidos, embora as emissões tenham sido reduzidas globalmente, elas avançaram até 30% em alguns estados, como o Texas e a Carolina do Norte, onde há intensa produção de petróleo e gás natural.

 

Em países como China, Índia e parte do Oriente Médio, principalmente na região do golfo Pérsico, locais cujas economias e actividade industrial estão em expansão, a poluição aumentou.

 

As imagens da NASA mostram também um movimento interessante no norte chinês, onde estão as cidades mais industrializadas e a produção de energia se torna cada vez mais intensa. Enquanto a área, em geral, apresentou um aumento considerável da emissão de gases, Pequim, a capital do país, registou uma considerável redução.

 

Segundo o cientista Bryan Duncan, que lidera o estudo no centro de voo espacial Goddard, isso deve-se a uma maior pressão da crescente classe média de Pequim por um ar melhor – a metrópole é historicamente considerada uma das cidades mais poluídas do mundo.

 

No Brasil, os mapas mostram que o quadro geral se manteve similar, ainda longe dos altíssimos lançamentos de gases ocorridos nas regiões mais desenvolvidas do mundo – porém, centros tradicionalmente mais poluídos, como a Grande São Paulo, continuam com altos e preocupantes índices, semelhantes às de outras metrópoles globais.

 

Os mapas da agência espacial americana mostram também os efeitos da movimentação demográfica, como a ocorrida por causa da guerra civil na Síria: enquanto os índices de dióxido de carbono caíram consideravelmente no país, principalmente em cidades maiores como a capital Damasco e Aleppo, as emissões cresceram nos países da vizinhança que mais receberam refugiados sírios.

 

Desde 2004, a Nasa monitoriza as emissões em todo o planeta através de um instrumento instalado no seu satélite Aura. Entre elas, as de dióxido de nitrogénio, resultado da queima de combustíveis fósseis, principalmente por carros, pela produção de energia e pela actividade industrial.

 

com Green Savers

horadoplaneta às 12:20 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 09.01.16

Governu Giné-Bisau nian disponibiliza euro millaun ida ba defeza biodiversidade nian

Governu Giné-Bisau nian disponibiliza euro millaun ida ba Fundação BioGuiné, ne’ebé espesiál iha konservasaun biodiversidade iha nasaun.


 

Osan ne’ebé mobiliza hosi Ministériu Ekonomia no Finansas ne’e entrega ba Sekretaria Estadu Peska nian no hosi nia aloka ba Fundação BioGuiné.

 

Tuir ministru Ekonomia no Finansas nian, Geraldo Martins, ho jestu ne’e, Governu "hatudu sinál klaru hosi nia empeñamentu" iha konservasaun ba espésie sira no biodiversidade.

 

" Giné-Bissau mak nasaun afrikana mesak no karik mundiál iha termu biodiversidade. Iha illa furak iha Bijagós 88, iha ipopótamu mariñu, lenuk tolun", destaka Geraldo Martins.

 

Karateriza ida ne’ebé hatete mak "dinámika biolójika" ne’ebé akontese iha territóriu Giné-Bisau nian, governante ne’e nota mós katak nasaun ne’e hanesan fatin charneira ne’ebé fó benefísiu ba nasaun viziñu sira iha termu rikeza biolójika no mariña.

 

Osan ne’ebé disponibiliza hodi fó apoiu ba asaun konservasaun ba área protejida sira, liu-liu iha floresta (fatin ikas sira tolu ba) no espésie mariña sira.

 

Dadus hosi Instituto Nacional das Áreas Protegidas (INAP) hatudu 15% hosi territóriu gineense konsidera hanesan área protejida.

Fundação BioGuiné hari’i hodi organiza  Sistema Nacional das Áreas Protegidas no kordena dezenvolvimentu sosiál sustentável komunidade sira-nian.

 

SAPO TL ho Lusa

horadoplaneta às 01:24 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Governo da Guiné-Bissau disponibiliza um milhão de euros para defesa da biodiversidade

O Governo da Guiné-Bissau disponibilizou um milhão de euros para a Fundação BioGuiné, especializada na conservação da biodiversidade no país.


 

O dinheiro, mobilizado pelo Ministério da Economia e Finanças foi entregue à Secretaria de Estado das Pescas, que por sua vez o canalizou para a Fundação BioGuiné.

 

Para o ministro da Economia e Finanças, Geraldo Martins, o Governo, com este gesto, "está a dar um sinal claro do seu empenhamento" na conservação das espécies e da biodiversidade.

 

"A Guiné-Bissau é a exceção africana e provavelmente mundial em termos da biodiversidade. São as 88 ilhas paradisíacas dos Bijagós, são os hipopótamos marinhos, é a desova das tartarugas", destacou Geraldo Martins.

 

Caraterizando o que diz ser "dinâmica biológica" que ocorre no território da Guiné-Bissau, o governante notou ainda que o país é um espaço charneira que beneficia os países vizinhos em termos da riqueza biológica e marinha.

 

O dinheiro disponibilizado destina-se a apoiar as ações de conservação das áreas protegidas, nomeadamente os mangais (locais da desova dos peixes) e as espécies marinhas.

 

Dados do Instituto Nacional das Áreas Protegidas (INAP) referenciam 15% do território guineense como sendo considerado área protegida.

 

A Fundação BioGuiné foi criada para gerir o Sistema Nacional das Áreas Protegidas e coordenar o desenvolvimento social sustentável das comunidades.

 

@Lusa

 

horadoplaneta às 01:20 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 05.01.16

"Winter is NOT coming", aviza kampaña foun hosi Greenpeace inspiradu iha "Game of Thrones"

Greenpeace Fransa fó sai ona teaser ida ne'ebé alerta ba konsekuénsia sira hosi akesimentu globál nian. 

 

 

"Winter is NOT coming" hanesan mensajen sentrál hosi kampaña foun hosi delegasaun franseza Greenpeace nian. Teazer inspira iha série "Game of Thrones" iha objetivu fó alerta ba konsekuénsia sira hosi akesimentu globál.

 

Iha spot publisitáriu hosi organizasaun, líder hosi White Walkers mosu iha bee lihun ne'ebé konjeladu maibé, tanba akesimentu globál, jelu ne'e nabeen. "Hela de'it grau balun no istória tomak muda. Glasiár sira ne'ebé nabeen hanesan de'it konsekuénsia ida hosi mudansa klimátiku ne'ebé ameasa ita nia planeta", subliña hosi Greenpeace iha vídeo nia rohan.

 

Vídeo dezenvolve hosi ajénsia 84Paris ne'ebé kria mós site ida apoiu nian ba kampaña “Winter is NOT coming”.

 

horadoplaneta às 12:00 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

"Winter is NOT coming", avisa nova campanha da Greenpeace inspirada em "A Guerra dos Tronos"

A Greenpeace França divulgou um teaser que alerta para as consequências do aquecimento global. 

 

 

“Winter is NOT coming” (“O inverno não está a chegar”) é a mensagem central da nova campanha da delegação francesa da Greenpeace. O teaser inspirado na série “A Guerra dos Tronos” tem como objetivo alertar para as consequências do aquecimento global.

 

No spot publicitário da organização, o líder dos Caminhantes Brancos aparece sobre um lago congelado mas, devido ao aquecimento global, o gelo derrete. “Só mais alguns graus e toda a história muda. O degelo dos glaciares é apenas uma das consequências da mudança climática que ameaça o nosso planeta”, sublinha a Greenpeace no final do vídeo.

 

O vídeo foi desenvolvido pela agência 84Paris que criou também um site de apoio à campanha “Winter is NOT coming”.

 

horadoplaneta às 11:39 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Janeiro 2016

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
22
23
24
25
26
28
29
30
31

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO