Quarta-feira, 03.08.16

Japaun fó euro millaun 2,4 ba vítima sira rai-maran nian iha Mosambike

Governu Japaun sei fó dolar millaun 2,7 (euro millaun 2,4) hodi apoia emerjénsia ba vítima sira rai-maran nian iha Mosambike, embaixada nipóniku fó sai hosi komunikadu iha Maputu. 

 

 

Tuir nota, ajuda halo parte hosi osan ho folin dolar millaun lima (eurp millaun 4,4) ne'ebé Japaun sei entrega ba Programa Alimentar Mundial (PAM), hodi tulun vítima sira hosi efeitu sira fenómenu klimátiku El Niño, iha Áfrika Austral.

 

"Ajuda emerjénsia ne'e destina hodi fó hahán no apoiu nutrisional ba Mosambike, Malaui, Lezoto no Suazilándia, ne'ebé nesesidade humanitáriu sira aumenta maka'as, tanba rai-maran ne'ebé El Niño hamosu", haktuir hosi komunikadu.

 

Aleinde kompromete ba parte boot hosi períudu dahuluk époka agríkola tinan 2016 nian, rai-maran ne'ebé afeta provínsia sira iha sentru no súl Mosambike nian halo ema millaun 1,5 maka iha inseguransa alimentar.

 

Hodi hatán ho di'ak ba nesesidade populasaun nian, Institutu Nasional ba Jestaun hosi Dezastre sira (INGC) buka hela dalan sira hodi harii infraestrutura sira rezistente liu no bele disponibiliza lalais informasaun sira hodi fó lalais asisténsia ba ema sira, iha planu ida ne'ebé iha osan ho folin dolar millaun 400 (euro millaun 355) tinan-tinan.

 

Situasaun hosi ema sira ne'ebé afetadu tanba rai-maran iha Mosambike halo Governu dekreta iha fulan-Abrik "alerta mean" hodi dinamiza asaun sira asisténsia nian ba populasaun sira.

 

Mosambike hanesan tinan-tinan hetan bee-sa'e maka'as, fenómenu justifika tanba nia lokalizasaun jeográfiku, iha entre maioria hosi basia hidrográfiku sira hosi Áfrika Austral, maibé parte súl nasaun nian maka afetadu ho rai-maran naruk no tinan ne'e atinji mós provínsia sira hosi rejiaun sentru.

 

Aleinde Mosambike, rai-maran afeta mós nasaun oioin hosi Áfrika Austral, halo Malaui, Zámbia no Zimbabué deklara ona estadu emerjénsia tanba falta hahán.

 

Rai-,maran, ne'ebé dura liu tinan ida resin, afeta mós poténsia boot rejiaun nian, Áfrika-Súl ne'ebé deklara ona rai-maran ne'e hanesan ida ne'ebé aat liu iha tinan 100 ikus ne'e.

 

ho Lusa

horadoplaneta às 23:24 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Japão doa 2,4 milhões de euros para vítimas da seca em Moçambique

O Governo do Japão vai doar 2,7 milhões de dólares (2,4 milhões de euros) para o apoio de emergência às vítimas da seca em Moçambique, anunciou em comunicado a embaixada nipónica em Maputo. 

 

 

Segundo a nota, a ajuda faz parte de uma verba de cinco milhões de dólares (4,4 milhões de euros) que o Japão vai entregar ao Programa Alimentar Mundial (PAM), para o auxílio às vítimas dos efeitos do fenómeno climático El Niño, na África Austral.

 

"Esta ajuda de emergência destina-se a fornecer alimentos e apoio nutricional para Moçambique, Malaui, Lesoto e Suazilândia, onde as necessidades humanitárias têm vindo a crescer, devido à seca causada pelo fenómeno El Niño", refere o comunicado.

 

Além de comprometer grande parte do primeiro período da época agrícola de 2016, a seca que afeta as províncias do centro e sul de Moçambique deixou 1,5 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar.

 

Para responder com eficácia às necessidades da população, o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) está à procura de meios para a construção de infraestruturas mais resistentes e capazes de disponibilizar atempadamente informações para a rápida assistência das pessoas, num plano orçado em cerca de 400 milhões de dólares (355 milhões de euros) por ano.

 

A situação das pessoas afetadas pela seca em Moçambique levou o Governo a decretar em abril "alerta vermelho" para dinamizar as ações de assistência às populações.

 

Moçambique é sazonalmente atingido por cheias, fenómeno justificado pela sua localização geográfica, a jusante da maioria das bacias hidrográficas da África Austral, mas o sul do país é afetado por secas prolongadas e que este ano atingem também as províncias da região centro.

 

Além de Moçambique, a seca afeta vários países da África Austral, tendo levado o Malaui, a Zâmbia e o Zimbabué a declararem o estado de emergência, devido à falta de alimentos.

 

A estiagem, que dura há mais de um ano, afeta ainda a maior potência da região, a África do Sul, que declarou esta seca como a pior dos últimos cem anos.

 

com Lusa

horadoplaneta às 23:13 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Agosto 2016

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
19
20
21
22
24
25
26
27
28
30
31

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO