Segunda-feira, 30.10.17

ONU: Dióksidu karbonu iha atmosfera to'o nível rekord iha 2016

Konsentrasaun hosi dióksidu karbonu (CO2) iha atmosfera responsável ba alterasaun klimátiku sira to'o ona nível rekord ida iha tinan 2016, fó sai hosi Organizasaun Mundial Meteorolojia, ne'ebé alerta ba possibilidade "aumentu perigozu hosi temperatura". 

 

 

"Ba dala ikus ne'ebé maka Rai rejista ona proporsaun ida hosi dióksidu karbonu hanesan maka iha tinan millaun tolu to'o millaun lima liubá: temperatura iha tempu ne'ebá maka 2º to'o 3º C [Celsius] aas liu no nível tasi nian iha tempu ne'ebá aas liu iha metru 10 no metru 20 relativu ho tempu atuál", refere hosi ajénsia ONU nian iha nia boletim anual kona-ba gás sira ho efeitu estufa nian.

 

ho Lusa

horadoplaneta às 11:13 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

ONU: Dióxido de carbono na atmosfera atinge nível recorde em 2016

As concentrações de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera responsáveis pelas alterações climáticas atingiram um nível recorde em 2016, anunciou hoje a Organização Mundial de Meteorologia, que alerta para uma possível "subida perigosa da temperatura".



 

"A última vez que a Terra registou um teor de dióxido de carbono comparável foi há três a cinco milhões de anos: a temperatura era 2º a 3ºC [Celsius] mais elevada e o nível do mar era superior em 10 a 20 metros relativamente ao atual", refere a agência das Nações Unidas, no seu boletim anual sobre gases com efeito de estufa.

 

Lusa

horadoplaneta às 10:44 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 16.10.17

Loron Mundial Alimentasaun 2017 nian

Tinan-tinan selebra Loron Mundial Alimentasaun nian iha loron 16 Outubru. 

 

 

Loron 16 Outubru marka loron hosi fundasaun ba Organizasaun ONU nian ba Alimentasaun no Agrikultura, iha tinan 1945.

 

Selebrasaun ba Loron Mundial Alimentasaun nian estabelese iha fulan-Novembru tinan 1979 hosi nasaun membru sira iha Konferénsia ba dala 20 hosi ONU ba Alimentasaun no Agrikultura. Iha loron ne'e hala'o atividade oioin relasionadu ho nutrisaun ho hahán, ho partisipasaun hosi nasaun 150 resin. Atividade sira hotu no informasaun sira seluk bele hetan iha site FAO nian.

 

Iha 2017, tema hosi Loron Mundial Alimentasaun nian maka: "Muda Futuru Migrasaun nian: Investe iha Seguransa Alimentar ho Dezenvolvimentu Rural".

 

 

@SAPO Timor-Leste

horadoplaneta às 15:14 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Dia Mundial da Alimentação 2017

O Dia Mundial da Alimentação celebra-se anualmente a 16 de outubro. 



 

O dia 16 de outubro marca o dia da fundação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, em 1945.

 

A celebração do Dia Mundial da Alimentação foi estabelecida em novembro de 1979 pelos países membros na 20ª Conferência da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura. Neste dia realizam-se muitas atividades relacionadas com a nutrição e a alimentação, com a participação de cerca de 150 países. Todos as atividades e informações podem ser encontradas no site FAO.

 

Em 2017 o tema do Dia Mundial da Alimentação é: "Mudar o Futuro da Migração: Investir em Segurança Alimentar e Desenvolvimento Rural".

 

 

@SAPO Timor-Leste

horadoplaneta às 14:04 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 12.10.17

ONU: Tinan-tinan dezastre natural sira halo ona ema millaun 14 resin deslokadu

Dezastre natural maka'as ne'ebé tinan-tinan afeta zona oioin iha mundu halo deslokamentu forsadu ba ema millaun 13,9, hatete hosi relatóriu hosi ajénsia ONU hodi Hamenus Risku sira Dezastre nian (UNISDR) iha loron-kuarta ne'e. 

 

 

Ho baze hosi métodu foun ida análize nian, relatóriu foun hosi UNISDR avalia ona informasaun sira relasionadu ho nasaun no teritóriu hamutuk 204 no konklui ona katak númeru ema deslokadu sira iha nível mundial sei aumenta nafatin, liuliu iha nasaun fraku sira, bainhira laiha progresu maka'as iha área sira prevensaun nian no hosi jestaun risku nian.

 

Estudu hosi ajénsia ONU nian, ne'ebé la inklui rai-maran ho aumentu hosi nível tasi nian tanba hanesan fenómenu natural sira hosi progresaun neineik, aponta ona ba inundasaun sira, ne'ebé nia frekuénsia aumenta iha nível mundial, hanesan dezastre natural ne'ebé hamosu deslokadu maka'as.

 

Maski hosi relasaun ne'ebé estabelese entre fenómenu natural sira ne'ebé maka'as tebes no deslokamentu forsadu hosi populasaun sira, responsável hosi estudu, Justin Ginnetti, realsa katak movimentasaun boot sira ne'e iha mós ligasaun ba falta governabilidade, ba kiak, ba diminuisaun hosi ekosistema sira no ba dezenvolvimentu urbanu ida ne'ebé konfuzu.

 

Furakaun ho siklone oioin, iha fulan hirak ikus ne'e, halo ona ema mate barak no halo estraga iha Caraíbas no iha Estadus Unidus. Hetan mós rekord ida hosi inundasaun iha nasaun sira hanesan Índia, Nepal ho Bangladexe.

 

Nasaun ualu hosi nasaun sanulu ne'ebé iha númeru boot deslokadu sira nian ka iha ema sira ne'ebé lakon uma tanba dezastre natural sira agora daudaun lokaliza iha súl no sudeste Ázia nian.

 

Tuir númeru sira ne'ebé aprezenta hosi UNISDR, Índia rejista ema deslokadu hamutuk millaun 2,3, tuir Xina (millaun 1,3) ho Bangladexe (millaun 1,2).

 

Lista hosi nasaun sanulu ne'e mós komposta hosi Vietname (millaun ida), Filipina (rihun 720), Birmánia (rihun 570), Pakistaun (rihun 460), Indonézia (rihun 380), Rúsia (rihun 250) ho Estadus Unidus (rihun 230).

 

ho Lusa

horadoplaneta às 15:39 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

ONU: Desastres naturais provocam quase 14 milhões de deslocados por ano

Os distintos desastres naturais que afetam anualmente várias zonas do mundo provocam o deslocamento forçado de 13,9 milhões de pessoas, indicou ontem um relatório da agência da ONU para a Redução dos Riscos de Desastres (UNISDR). 

 

 

Ao abrigo de uma nova metodologia de análise, o novo relatório da UNISDR avaliou os dados relativos a 204 países e territórios e concluiu que o número de pessoas deslocadas a nível mundial vai continuar a aumentar, nomeadamente nos países mais vulneráveis, caso não existam progressos significativos nas áreas da prevenção e da gestão de riscos.

 

O estudo da agência das Nações Unidas, que exclui as secas e o aumento do nível do mar por serem fenómenos naturais de progressão lenta, apontou as inundações, cuja frequência está a aumentar a nível mundial, como o desastre natural que provoca mais deslocados.

 

Apesar da relação estabelecida entre fenómenos naturais avassaladores e o deslocamento forçado de populações, o responsável do estudo, Justin Ginnetti, realçou que estas movimentações em massa estão igualmente ligadas à falta de governabilidade, à pobreza, à degradação dos ecossistemas e a um desenvolvimento urbano caótico.

 

Vários furacões e ciclones deixaram nos últimos meses um rasto de morte e de destruição nas Caraíbas e nos Estados Unidos. Também foi atingido um recorde de inundações em países como a Índia, Nepal e Bangladesh.

 

Oito dos dez países com o maior número de deslocados ou de pessoas que ficaram desalojadas por causa de desastres naturais estão localizados no sul e no sudeste da Ásia.

 

De acordo com os números apresentados pela UNISDR, a Índia regista 2,3 milhões de deslocados, seguida da China (1,3 milhões) e do Bangladesh (1,2 milhões).

 

Esta lista de dez países também é composta pelo Vietname (um milhão), Filipinas (720 mil), Birmânia (570 mil), Paquistão (460 mil), Indonésia (380 mil), Rússia (250 mil) e Estados Unidos (230 mil).

 

Lusa

horadoplaneta às 15:11 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 02.10.17

Organizasaun Meteorolójiku Mundial apoia Timor-Leste ho sistema avizu klimáteriku sira

Organizasaun Meteorolójiku Mundial apoia daudaun nasaun lima hosi rejiaun Ázia ho Pasífiku, entre sira maka Timor-Leste, hodi dezenvolve sistema sira alerta antesipadu nian ne'ebé ajuda sira hadi hasoru ho di'ak eventu klimatériku no atmosfériku sira. 

 

 

Programa ne'e envolve Fiji, Illa Salomaun, Papua Nova Guiné, Timor-Leste ho Vanuatu no hakarak ajuda Fundu Verde Klima ida (GCF, iha sigla lian inglés) diresionadu liuliu ba sistema alerta klimatériku sira.

 

Iha komunikadu, OMM esplika ona katak programa hakarak hatán hasoru impaktu hosi alterasaun klimátiku sira ne'ebé maka mosu daudaun, halo risku meteorolójiku sira ne'ebé hanesan estremu liu no susar liu hodi hetan previzaun, nune'e sai hanesan "ameasa ida" ba nasaun sira ne'e no ba nasaun insular ki'ik sira ne'ebé iha dezenvolvimentu.

 

"Instalasaun ba Preparasaun Projetu sira nain ne'e hanesan importante hodi hahú inisiativu ida ne'ebé lidera hosi projetu sira, hosi propriedade no sustenta hosi nasaun sira, hodi hetan impaktu klimátiku ida no dezenvolvimentu real ida iha illa lima ne'ebé hanesan fraku tebes", hatete hosi diretora departamentu ba Dezenvolvimentu no Atividade Rejional sira hosi OMM, Mary Power.

 

"Aleinde ne'e, reprezenta instrumentu ida hosi programasaun ne'ebé maka PMM, hamutuk ho nasaun membru sira no parseiru sira, bele defini estratéjia efetivu sira hodi bele iha kapasidade ultrapasa risku hidrometeorolójiku sira ho klimátiku sira", nia hatutan.

 

Projetu rejional, ne'ebé sei adapta ba nesesidade espesífiku sira hosi nasaun ida-idak nian, iha folin inisial hamutuk dolar rihun 535 ne'ebé sei serve hodi defini proposta konkretu sira no dezenvolve "projetu inovador" sira ba nasaun lima.

 

Atividade sira preparasaun projetu nian inklui inventáriu ida hosi Sistema sira Alerta Antesipadu nian (EWS) iha nasaun lima, konsulta sira hodi envolve parte interesadu sira no "estudu viabilidade sira hodi garanti katak investimentu sira ne'ebé hato'o hanesan sosial, tékniku, ekonómiku no di'ak ba ambiente".

 

Objetivu maka OMM uza nia esperiénsia hodi apoia nasaun lima hodi "hametin dalan oinsá sira prepara hasoru eventu meteorolójiku sira antes akontese".

 

"Sistema alerta ida ne'ebé halo antes hanesan abordajen ho aspetu oioin hodi haree no kalkula ho di'ak perigu meteorolójiku sira no implementa solusaun emerjénsia ida ne'ebé di'ak liu. Sistema sira ne'ebé iha liu efikásia iha komponente haat maka detekta, monitoriza no projeta perigu sira, analiza risku sira ne'ebé iha relasaun, fó sai avizu apropriadu sira no ativa planu resposta emerjénsia nian", hatete hosi OMM.

 

Tuir Relatóriu hosi Risku Mundial sira, nasaun sira ne'ebé "hanesan fraku tebes no sai sujeitu ba risku klimátiku estremu sira, hanesan siklone tropikal sira, laloran tempestade sira nian no inundasaun hosi tasi nian", ho destake espesial ba Fiji ho Vanuatu, ne'ebé "tama entre nasaun 15 ne'ebé fraku tebes hasoru risku natural sira iha mundu tomak".

 

Augusto Pinto, responsável hosi diresaun ba Mudansa Klimátiku sira iha Timor-Leste, konsidera ona projetu ne'e hanesan importante tebes ba nasaun ne'ebé hasoru "ho risku sira ne'ebé akontese tanba mudansa klimátiku sira hanesan inundasaun naruk no rai-maran nune'e mós tempestade sira".

 

Sistema ne'e hanesan di'ak tebes hodi tulun agrikultór sira hodi hamenus estraga sira iha kultura sira, nia hatete.

 

ho Lusa

horadoplaneta às 12:34 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Organização Meteorológica Mundial apoia Timor-Leste com sistemas de avisos climatéricos

A Organização Meteorológica Mundial está a apoiar cinco países da região da Ásia e Pacífico, entre eles Timor-Leste, a desenvolver sistemas de alerta antecipados que os ajudem a lidar melhor com eventos climatéricos e atmosféricos. 

 

 

O programa envolve Fiji, Ilhas Salomão, Papua Nova Guiné, Timor-Leste e Vanuatu e pretende ajudar um Fundo Verde de Clima (GCF, na sigla em inglês) direcionado especialmente para os sistemas de alerta climatérico.

 

Em comunicado, a OMM explicou que o programa pretende responder ao impacto que as alterações climáticas estão a ter, tornando os riscos meteorológicos mais extremos e difíceis de prever, o que constitui "uma ameaça" para estes e outros pequenos países insulares em desenvolvimento.

 

"Esta Instalação de Preparação de Projetos é essencial na conceção de uma iniciativa liderada por projetos, de propriedade e sustentada por países, que atinja um impacto climático e de desenvolvimento real nestas cinco ilhas altamente vulneráveis", disse a diretora do departamento de Desenvolvimento e Atividades Regionais da OMM, Mary Power.

 

"Além disso, representa um instrumento de programação através do qual a OMM, juntamente com os seus países membros e parceiros, pode definir estratégias efetivas para fortalecer a resiliência aos riscos hidrometeorológicos e climáticos", frisou.

 

O projeto regional, que será adaptado às necessidades especificas de cada país, tem um valor inicial de 535 mil dólares que servirão para desenhar propostas concretas e conceber "projetos inovadores" para os cinco países.

 

As atividades de preparação de projetos incluem um inventário dos Sistemas de Alerta Antecipado (EWS) nos cinco países, consultas para envolver as partes interessadas e "estudos de viabilidade para garantir que os investimentos propostos são social, técnica, económica e ambientalmente saudáveis".

 

O objetivo é que a OMM use a sua experiência para apoiar os cinco países a "fortalecer a forma como se preparam para estes eventos meteorológicos antes de ocorrerem".

 

"Um sistema de alerta precoce é uma abordagem multifacetada projetada para monitorizar e prever melhor os perigos meteorológicos e implementar uma solução de emergência mais efetiva. Os sistemas mais eficazes contêm quatro componentes que detetam, monitorizam e projetam perigos, analisam riscos relacionados, divulgam avisos oportunos e ativam planos de resposta de emergência", indicou a OMM.

 

Segundo o Relatório de Riscos Mundiais, os países abrangidos "estão altamente expostos e vulneráveis a riscos climáticos extremos, como ciclones tropicais, ondas de tempestade e inundações costeiras", com especial destaque para Fiji e Vanuatu, que "estão entre os 15 países com maior vulnerabilidade aos riscos naturais em todo o mundo".

 

Augusto Pinto, responsável da direção de Mudanças Climáticas em Timor-Leste, considerou o projeto especialmente importante para o país que se depara "com os riscos induzidos por mudanças climáticas, como inundações prolongadas e secas, bem como tempestades".

 

O sistema é especialmente útil para ajudar os agricultores a minimizar perdas e danos nas culturas, disse.

 

Lusa

horadoplaneta às 11:09 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Outubro 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO