Cientistas descobrem dinossauro de 25 metros e 58 toneladas na Argentina

Media 25 metros de comprimento e oito de altura, pesava 58 toneladas e, apesar de tudo, ainda estava em fase de crescimento. É este o diagnóstico do dinossauro desenterrado na região da Patagónia, Argentina, e que já é considerado um dos maiores animais que alguma vez viveu na Terra. Tão grande que os investigadores o chamam Dreadnoughtus – em homenagem ao navio de guerra invencível da Primeira Guerra Mundial.

 

 

Segundo o The New York Times, que avançou a notícia há poucos minutos, o esqueleto agora recolhido na Patagónia é um dos mais completos alguma vez encontrado de um grande dinossauro. Liderado pelo paleontologista Kenneth J. Lacovara, da Universidade de Drexel, Filadélfia, Estado Unidos, o grupo de trabalho explicou ao Scientific Reports que os ossos são enormes.

“Tenho 16 toneladas de osso no meu laboratório”, explicou Lacovara, que descobriu o fóssil em 2005. A escavação do fóssil demorou quatro anos, tendo os ossos viajado para Filadélfia, por via marítima, em 2009. Foram precisos outros quatro anos para “montar” o esqueleto e estudar os seus mais de 200 ossos, que representam 45% do dinossauro.

 



O Dreadnoughtus viveu há 84 milhões e 66 milhões de anos, fazendo parte de um grupo de dinossauros saurópodes conhecidos como titanossauros.

Os investigadores fizeram testes a todos os ossos e publicaram os modelos 3D de cada um, o que pode ajudar outros paleontólogos a estudar o fóssil à distância e até imprimir réplicas a três dimensões dos ossos.

O nome completo do dinossauro é Dreadnoughtus schrani, em homenagem ao dreadnought, o navio de guerra invencível da Primeira Guerra Mundial, e a Adam Schran, um empreendedor do ramo tecnológico que ajudou a financiar o projecto.

com Green Savers

horadoplaneta às 14:18 | link do post | Adicionar aos favoritos