Encontrado sapo que se julgava extinto há 150 anos

Cerca de 150 anos depois do último avistamento no seu habitat natural, uma rara espécie de sapo surge novamente no norte da Índia, contra as notícias de que se encontrava extinto desde então. A descoberta foi detalhada num estudo publicado na Plos One, e contou com a colaboração do zoólogo indiano Sathyabhama Das Biju. 


 

Tinha sido visto pela última vez em 1870 por Thomas Jerdon, e batizado de Polypedates jerdonii. De acordo com as investigações genéticas feitas pelos investigadores, estes sapos pertencem à mesma família daqueles encontrados por Jordan, mas são de um género diferente. Chamam-se Frankixalus jerdonii. 


Os investigadores descobriram que estes sapos vivem e reproduzem-se dentro de buracos de árvores, o que pode justificar o porquê de terem deixado de ser avistado. A sua particularidade em relação a outros da mesma espécie é que as fêmeas põem os ovos em poças de água dentro dos buracos, e deixam-nos durante a gestação. Regressam quando os ovos nascem, e deixam óvulos não fertilizados para alimentar as novas crias. É por isso que as crias não têm dentes, ao contrário de outros sapos de árvores.

 

Com 50 centímetros de comprimento, os investigadores acreditam que, não só não está extinto, como o seu habitat está espalhado por mais locais do que aqueles inicialmente pensados.

 

A sua descoberta, no entanto, foi por acaso. A equipa de Das Biju começou em 2007 a recolher várias espécies de anfíbios naquela zona. Foi já durante testes genéticos que perceberam de que espécie se tratava.

 

Mas a sua população continua em perigo: o estado de ameaça do seu habitat poderá pôr a espécie em perigo no futuro.

 

Imagens: Sathyabhama Das Biju.

horadoplaneta às 02:56 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos