Segunda-feira, 24.10.16

Concentração de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera atinge novo recorde - ONU

A concentração de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera atingiu o recorde de 400 partes por milhão (ppm) em 2015, um marco sinistro para a saúde do planeta, alertou hoje a ONU. 

 

Foto@ Bernd Settnik / EPA

 

Os gases com efeito de estufa tinham já ultrapassado o limiar de 400 ppm em alguns meses, em locais específicos, mas nunca numa base anual global, indicou a Organização Meteorológica Mundial (OMM), agência das Nações Unidas.

 

No último boletim sobre gases com efeito de estufa, a OMM também registou um "aumento para novos recordes" este ano das taxas de concentração de CO2, prevendo que a média anual se mantenha acima dos 400 ppm "por muitas gerações".

 

O aumento da concentração de CO2 deve-se em parte a um forte "El Niño", fenómeno meteorológico que se regista a cada quatro ou cinco anos com um efeito de aquecimento generalizado.

 

O "El Niño" deu origem a "secas nas regiões tropicais e reduziu a capacidade de absorção do CO2 de florestas, vegetação e oceanos", de acordo com a OMM.

Petteri Taalas, responsável da agência, com sede em Genebra, advertiu que apesar de o fenómeno ter diminuído "as alterações climáticas não".

 

Taalas aplaudiu o acordo conseguido em Kigali no início deste mês, que visa a eliminação faseada dos hidrofluorocarbonetos (HFC), uma categoria de gases com efeito de estufa muito acentuado, mas altamente usada em frigoríficos e aparelhos de ar condicionado.

 

O responsável da OMM advertiu que sem uma ação semelhante para eliminar as emissões de CO2, o mundo vai continuar a falhar os objetivos definidos no acordo histórico de Paris sobre redução de emissões de gases com efeito de estufa.

 

O boletim anual da OMM sobre gases com efeito de estufa analisa a concentração de gases na atmosfera, em vez das emissões.

 

Além do CO2, este relatório monitoriza as taxas de concentração de metano, óxido nitroso e vários outros gases com grande impacto nas alterações climáticas.

 

com Lusa

horadoplaneta às 16:16 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 13.10.16

Haiti é o país com mais mortes devido a catástrofes naturais nos últimos 20 anos

O Haiti é o país onde houve mais mortes nos últimos 20 anos relacionadas com catástrofes naturais: 229.699, segundo um relatório das Nações Unidas hoje publicado. 


O ambiente em Port Salute, Haiti, depois do furacão Matthew. Imagem tirada no dia 07 de Outubro de 2016. EPA@ Bahare Khodabande

 

As ligações entre pobreza e catástrofes naturais são "muito claras" no caso do Haiti, disse o representante especial das Nações Unidas para a redução dos riscos de catástrofe, Robert Glasser, numa conferência de imprensa.

 

Em todo o mundo, morreram cerca de 1,35 milhões de pessoas por causa de catástrofes naturais entre 1996 e 2015, segundo o relatório.

 

A seguir ao Haiti, os países com mais mortes são a Indonésia (182.136), afetada pelo 'tsunami' no Índico em 2004, e a Birmânia (139.515), atingida pelo ciclone Nargis em 2008. Surgem depois China, Índia, Paquistão, Rússia, Sri Lanka, Irão e Venezuela.

 

O documento contabiliza sete mil catástrofes naturais no mesmo período e mostra que os sismos e os maremotos ('tsunamis') são os desastres mais mortíferos, seguindo-se aqueles que estão relacionados com o clima, precisa a ONU, num comunicado.

 

Os países mais ricos têm "enormes perdas económicas" por causa das catástrofes naturais, mas nos países mais pobres "as pessoas pagam com as suas vidas", sublinha o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, no mesmo comunicado.

 

com Lusa

horadoplaneta às 12:22 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 07.12.15

"Ita iha kontajen dekresente ba katástrofe klimátiku ida"

Katástrofe naturál sira, ne'ebé mosu beibeik, halo ona ema rihun 600 resin mate iha tinan 20 nia laran, alerta ona hosi ONU no fó hanoin importánsia hodi hetan akordu ida iha konferénsia kona-bá alterasaun klimátiku nian iha Paris.

 


Ban Ki-moon bainhira halo diskursu iha Simeira Klima nian (COP-21) iha Paris, Fransa, iha loron 07 Dezembru 2015. EPA@ Yoan Valat


Sekretáriu-jerál ONU nian apela ona ba líder mundiál sira no governu sira hodi hetan akordu di'ak ida hodi limita akesimentu globál no promove ekonomia ida ne'ebé hanesan belun hosi ambiente nian. "Ita iha kontajen dekresente ba katástrofe klimátiku ida", alerta ona hosi Ban Ki-moon.

"Desizaun sira ne'ebé imi foti iha ne'e iha Paris sei senti durante sékulu barak", nia hatete ba delegadu sira bainhira hahú maratona negósiu ida iha Simeira Klima nian ne'ebé hotu iha loron-sesta hodi apela ba nasaun sira hodi hatán ba tinan lima nia laran ba avaliasaun ida iha nia envolvimentu antes hala'o akordu foun, iha 2010.

Tuir sekretáriu-jerál ONU nian, "objetivu agora nia hanesan mínimu" no tenki iha "ambisaun maka'as".

"Nune'e maka akordu haree siklu sira iha tinan lima nia laran, antes 2020, atu nune'e Estadu sira analiza fali sira nia kompromisu no hametin funsaun sira hosi informasaun sientífiku sira ne'ebé disponível", nia defende.

Akordu tenki "husik klaru ba setór privadu katak labele evita transformasaun ne'ebé konsede mai ita ekonomia mundiál ida ho emisaun ki'ik (hosi gás sira ne'ebé iha efeitu estufa), benéfiku no hala'o daudaun", nia hatutan.

COP21 hala'o iha Bourget, iha besik nordeste Paris nian, hahú loron 30 Novembru to'o 11 Dezembru, hodi nune'e nasaun 195, ho protesaun hosi ONU, adopta ona akordu mundiál ida hodi hapara akesimentu klimátiku iha planeta. Nia objetivu maka hetan kompromisu hosi nasaun sira hodi hapara temperatura ne'ebé aumenta ba sentígradu rua relasionadu ho era pré-industriál.

Ban Ki-moon apela ona ba delegadu sira atu labele evita desizaun susar sira. Simeira ne'e nia objeitvu maka hetan akordu metin ida, ne'ebé nasaun riku sira no kiak sira halibur hamutuk hodi hamenus emisaun poluente sira. "Mundu hein maka'as hosi ema no la'ós de'it medida no tentativa balun aproximasaun nian", nia fó hanoin ba delegadu sira hodi apela ba "akordu ida mudansa nian".

"Nasaun dezenvolvidu sira tenki hatán hodi kaer knaar ezemplár ida no nasaun sira iha dezenvolvimentu nia laran tenki kaer parte kresente ida responsabilidade nian, tuir ho sira nia kapasidade", nia hatutan.
Objetivu maka aranka série diretivu sira ne'ebé bele promete atu temperatura média globál planeta nia labele aumenta liu hosi sentígradu rua relasionadu ho era pré-industriál.

Semana dahuluk hotu ho akordu provizóriu ne'ebé iha pájina hamutuk 43. Raskuñu mantén pontu balun ne'ebé seidauk taka, liuliu kona-bá nível finansiamentu no mekanizmu lakon no mana'an nian, ne'ebé nasaun kiak no fraku sira husu kompensasaun tanba estraga sira ne'ebé akontese hosi alterasaun klimátiku.

Katástrofe naturál sira, ne'ebé mosu beibeik, halo ona ema rihun 600 resin mate iha tinan 20 nia laran, alerta ona hosi ONU no fó hanoin importánsia hodi hetan akordu ida iha konferénsia kona-bá alterasaun klimátiku nian iha Paris. Iha negosiasaun sira nia rohan, organizasaun la'ós governu nian hosi Reinu Unidu, Oxfam, hatudu katak 10% hosi populasaun sira ne'ebé riku liu iha mundu sai hanesan responsável hosi 1/2 hosi emisaun sira dióksidu karbonu nain (CO2).

Iha sentidu ne'ebé la hanesan, relatóriu ne'e adianta katak 1/2 hosi populasaun sira ne'ebé kiak liu iha planeta sai hanesan responsável hosi de'it 10% poluente sira.

ho Renascença

horadoplaneta às 15:08 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 30.10.15

ONU konsidera katak redusaun sira iha emisaun gás nian hanesan "la sufisiente"

Iha loron-sesta ne'e ONU konsidera ona katak redusaun hosi gás poluente sira iha atmosfera nebe nasaun sira kompromete voluntáriu hanesan "la sufisiente" hodi limita subida hosi temperatura globál iha valór ki'ik liu sentígradu rua.


 

Avizu ne'e mai hosi sekretária-jerál hosi Konvensaun Kuadru hosi Nasaun Unidu kona-bá Alterasaun Klimátiku (UNFCCC, iha sigla lian inglés), Christiana Figueres, bainhira aprezenta, iha Berlim, rezumu hosi planu nasionál sira, hosi nasaun 146, hodi kombate akesimentu globál.

 

Figueres, nebe ajénsia EFE haktuir, esplika katak, bainhira komunidade internasionál la hasoru hamutuk no ho determinasaun, temperatura média globál sira bele sa'e entre grau haat no lima sentígradu to'o 2100, ho baze hosi estimativu sira nebe halo foin lalais ne'e hosi Ajénsia Internasionál ba Enerjia (AIE).

 

Responsável hosi UNFCCC hatutan katak, maski nasaun 146 implementa maka'as medida sira nebe sira aprova ona, temperatura nebe sa'e sei to'o grau 2,7, signifika katak redusaun sira nebe proposta "la sufisiente".

 

"Hanesan notísia di'ak ida, hakat di'ak ida no notável iha diresaun loloos hodi hapara subida temperatura sira no lori ba liña defeza nian ho grau rua, maibé ne'e seidauk to'o ida", nia hatutan.

 

Maibé, Figueres destaka ona "kompromisu loloos nebe lahó presedente" hosi komunidade internasionál, tanba nasaun industrializadu sira "lahó esepsaun" hanesan mós hosi 75% hosi nasaun emerjente sira, aprezenta ona planu hodi hamenus emisaun gás sira ho efeitu estufa nian, "nebe hanesan istóriku".

 

Relatóriu sínteze kona-bá efeitu hamutuk hosi kontribuisaun sira determinadu nasionalmente, aprezenta hosi Figueres, mosu fulan ida antes hahú Simeira kona-bá Klima, nebe sei hala'o iha Paris, no nebe hakarak hetan akordu globál ida no vinkulativu hodi kombate alterasaun klimátiku sira.

 

ho Lusa

horadoplaneta às 13:48 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

ONU considera que cortes na emissão de gases são "insuficientes"

A ONU considerou hoje que as reduções de gases poluentes da atmosfera a que os países se comprometeram voluntariamente são "insuficientes" para limitar a subida da temperatura global a valores inferiores a dois graus centígrados.

 

 

O aviso veio da secretária-geral da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (UNFCCC, na sigla inglesa), Christiana Figueres, ao apresentar, em Berlim, o resumo dos planos nacionais, de 146 países, para combater o aquecimento global.

 

Figueres, citada pela agência EFE, explicou que, se a comunidade internacional não agir em conjunto e determinadamente, as temperaturas médias globais poderão subir entre quatro a cinco graus centígrados até 2100, tendo por base as estimativas feitas recentemente pela Agência Internacional da Energia (AIE).

 

A responsável da UNFCCC salientou que, mesmo que os 146 países implementem totalmente as medidas que aprovaram, a subida das temperaturas atingirá os 2,7 graus, o que significa que os cortes propostos são "insuficientes".

 

"É uma boa notícia, um passo muito bom e notável na direção correta para travar a subida das temperaturas e trazê-la para a linha de defesa dos dois graus, mas é ainda insuficiente", alertou.

 

Figueres, no entanto, destacou o "compromisso verdadeiramente sem precedentes" da comunidade internacional, já que todos os países industrializados, "sem exceção", bem como 75% dos emergentes, apresentaram planos para a redução de emissões de gases com efeito de estufa, "feito histórico".

 

O relatório síntese sobre o efeito conjunto das contribuições determinadas nacionalmente, apresentado por Figueres, surge a cerca de um mês do início da Cimeira sobre o Clima, que decorrerá em Paris, e em que se pretende alcançar um acordo global e vinculativo para o combate às alterações climáticas.

 

com Lusa

horadoplaneta às 12:44 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 02.07.15

Bareira Korál nian hetan risku

© David Gray / Reuters
Lenuk ne'e buka hela hahan iha illa Lady Elliot, Queensland, Austrália

 

ONU hatete katak agora preokupa tebes ho estadu Bareira Bo’ot Korál nian no husu esforsu maka’as hodi konserva fatin naturál ida furak iha mundu. 

 

Desizaun UNESCO nian presiona Austrália hodi evita destruisaun ba resife ho 2.300 km ba largu kosta Queensland.

 

Biodiversidade no resife 2.500 liu ne’ebé subar-an ba  úniku korál sira ho espésie animál rihun ne’e fonte importante ida ba reseita turístiku.

 

Reprezenta dólar millaun rihun resin kada tinan. Nune’e, komité UNESCO nian seidauk konklui fatin iha lista Patrimóniu Mundial nian ne’ebé hetan risku.

 

Bareira Bo’ot hetan Risku. Alterasaun klimátika, maibé moos intervensaun ema nian, liliu ho dezenvolvimentu atividade portuária iha zona, kontribui  makaas ba degradasaun ba ekosistema ida ne’e.

 

Lenuk matak bo’ot sira hetan ameasa, hanesan moos dugongu sira no iha korál sira barak mak aat.

 

Delegasaun ida hosi UNESCO tun ba tasi foin lalais iha Bareira Bo’ot Korál australiana nian hodi avalia estadu ba património ne’e.

 

Komité halibur hamutuk ohin iha Bonn iha Alemaña.

 

SAPO TL ho SIC

horadoplaneta às 01:15 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Grande Barreira de Coral em risco

© David Gray / Reuters
Tartaruga à procura de comida na ilha Lady Elliot em Queensland, Austrália

 

A ONU diz que está preocupada com o estado da Grande Barreira de Coral e pede maiores esforços para conservar um dos mais belos sítios naturais do mundo.

 

A decisão da UNESCO pressiona a Austrália para evitar mais destruição do recife de 2.300 quilómetros ao largo da costa de Queensland.

 

A biodiversidade e os mais de 2.500 recifes que albergam corais únicos com milhares de espécies de animais é uma improtante fonte de receitas turísticas.

 

Representa mais de mil milhões de dólares por ano. Ainda assim, o comité da UNESCO ainda não incluiu o local na lista do Património Mundial em Risco.

 

A Grande Barreira de Coral está em risco. As alterações climáticas, mas também a intervenção do homem, nomeadamente com o desenvolvimento da atividade portuária na zona, têm contribuído, e muito, para a degradação deste deste ecossistema único.

 

As tartarugas verdes gigantes estão ameaçadas, bem como os dugongos e há corais muito danificados.

 

Uma delegação da UNESCO mergulhou recentemente na Grande Barreira de Coral australiana para avaliar o estado deste património. O comité reúne-se hoje em Bonn na Alemanha.

 

@SIC

horadoplaneta às 01:07 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Janeiro 2018

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO