Quarta-feira, 11.01.17

70% resin hosi ahu-ruin sira iha Japaun mate iha tinan 2016

70% resin hosi ahu-ruin sira iha Japaun, situa iha sudeste arkipélagu, mate ona iha tinan 2016 tanba aumentu temperatura iha bee sira, fó sai hosi estudu ida hosi Ministériu Ambiente nipóniku nian. 

 

 

Bee sira ne'ebé haleu ahu-ruin, situa iha illa Ishigaki nia oin, iha arkipélagu Okinawa, rejista ona iha veraun liubá média ida ho grau rua aas liu duké baibain, halo ahu-ruin sira lakon kór, refere hosi testu ne'ebé fó sai hosi emisora públika NHK iha loron-kuarta ne'e.

 

Departamentu ambiental halo ona ezame entre fulan-Novembru no fulan-Dezembru ba ahu-ruin, ne'ebé iha espésie ahu-ruin hamutuk 70 resin no konsidera hanesan ida ne'ebé antigu liu no boot liu iha hemisfériu norte.

 

Avaliasaun determina ona katak 70,1% hosi ahu-ruin sira mate ona tanba lakon kór.

 

Númeru ida ne'ebé hatudu aumentu maka'as relasionadu ho ida ne'ebé rejista iha fulan-Setembru no fulan-Outubru, bainhira hatete katak 97% hosi ahu-ruin sira iha brankeamentu no 56% mate ona.

 

Ministériu japunés indika ona katak temperatura tasi sira iha zona antes tuun bainhira hahú outonu no ahu-ruin balun rekupera, maibé alerta ona katak bele iha ahu-ruin barak mate no seidauk hatene katak ahu-ruin sira sei rekupera.

 

Fenómenu meteorolójiku El Niño, ne'ebé hamosu aumentu ba temperatura sira iha tasi, kontribui halakon kór hosi ahu-ruin sira iha mundu tomak iha tinan 2016, inklui ahu-ruin boot balun ne'ebé protejidu iha Austrália, Tailándia ka Maldiva.

 

Ahu-ruin sira lakon kór akontese bainhira sira hasoru mudansa temperatura, naroman no nutriente sira beibeik no maka'as.

 

Prosesu ne'e hamosu risku ba espésie ikan sira ne'ebé depende hosi ahu-ruin sira hodi sai hanesan sira nia hela fatin no hahán.

 

Iha Índiku no Pasífiku, bainhira emisaun sira hosi gás ho veneno kontinua iha nível atual, rezerva ikan sira bele tuun entre 10% no 30% iha 2050, relasionadu ho períudu 1970-2000, tuir informasaun hosi Uniaun Internasional ba Konservasaun Natureza nian.

 

ho Lusa

horadoplaneta às 15:23 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Mais de 70% do maior recife de coral do Japão morreu em 2016

Mais de 70% do maior recife de coral do Japão, situado no sudeste do arquipélago, morreu em 2016 devido ao aumento da temperatura das águas, revela um estudo do Ministério do Ambiente nipónico. 

 

 

As águas em redor do recife, situado em frente à ilha de Ishigaki, no arquipélago de Okinawa, registaram no verão passado uma média de dois graus superior ao habitual, causando a descoloração dos corais, refere o texto divulgado hoje pela emissora pública NHK.

 

O departamento ambiental examinou entre novembro e dezembro o recife, que conta com mais de 70 espécies de corais e é considerado um dos mais antigos e de maior extensão do hemisfério norte.

 

A avaliação determinou que 70,1% dos corais morreram por branqueamento.

 

O número representa um notável aumento em relação ao registado nos meses de setembro e outubro, quando se constatou que 97% dos corais tinham sofrido branqueamento e 56% tinha morrido.

 

O ministério japonês indicou que as temperaturas marinhas na zona tinham baixado desde que começou o outono e que alguns corais tinham recuperado, mas alertou que mais podem morrer e que não é certo que o recife vá recuperar.

 

O fenómeno meteorológico El Niño, que causa o aumento das temperaturas da superfície do mar, contribuiu para o branqueamento dos corais em todo o mundo em 2016, incluindo alguns dos maiores recifes protegidos da Austrália, Tailândia ou Maldivas.

 

A descoloração dos corais acontece quando estes enfrentam alterações extremas e constantes de temperatura, luz e nutrientes.

 

Este processo põe em risco a abundância das espécies pesqueiras que dependem dos recifes para abrigo e alimento.

 

No Índico e no Pacífico, se a emissão de gases de efeito estufa continuar ao nível atual, as reservas pesqueiras podem diminuir entre 10% e 30% em 2050, em relação ao período 1970-2000, segundo dados da União Internacional para a Conservação da Natureza.

 

com Lusa

horadoplaneta às 15:10 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 03.01.17

Poluisaun hamosu alerta mean iha sidade xineza hamutuk 25

Sidade xineza sira hosi norte, sentru no leste hamutuk 25 hetan alerta mean tanba poluisaun, informa ohin hosi autoridade sira no imprensa estatal. 

 

 

Ne'e haneasn alerta mean dahuluk - ne'ebé aas liu - tanba poluisaun atmosfériku tinan ne'e iha Xina.

 

Anúnsiu ne'e tau hamutuk ho situasaun iha Pekin no iha sidade 20 sira seluk ne'ebé iha daudaun alerta laranka - hanesan pozisaun daruak aas liu - pelumenus ho problema hanesan.

 

Sidade 16 sira seluk iha hela alerta amarelu.

 

Sidade xineza hamutuk 75 hala'o ona alerta balun tanba poluisaun atmosfériku.

 

Rejiaun hosi Pekin-Tianjin-Hebei, iha nordeste, aumenta ona nia alerta to'o loron-sábadu kalan, fó sai hosi Ministériu Protesaun Ambiental iha loron-tersa ne'e.

 

Iha fatin balun hosi rejiaun ne'e, poluisaun sei to'o nível sira "ne'ebé todan tebes" ho konsentrasaun hosi partíkula sira PM 2,5 (ida ne'ebé perigozu liu) to'o 300 mikrograma tuir metru kúbiku (Organizasaun Mundial Saúde rekomenda ba nível máximu ida 25 nian).

 

Previzaun sira ba rejiaun nordeste nian aponta katak iha loron-domingu sei to'o klima malirin ne'ebé sei hadook abu-abun no poluisaun.

 

Emisaun hosi alerta sira hanesan akompaña ho nível oioin hodi bandu ba tránzitu, eskola sira, atividade hosi indústria sira ka obra sira konstrusaun nian.

 

Relatóriu ida ne'ebé fó sai iha loron-segunda refere katak empreza barak la halo tuir medida sira no kontinua sira nia atividade hanesan baibain.

 

ho Lusa

horadoplaneta às 12:11 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Poluição coloca em alerta vermelho 25 cidades na China

Vinte e cinco cidades do norte, centro e leste da China estão em alerta vermelho devido à poluição, informaram hoje as autoridades e a imprensa estatal. 

 

 

Este é o primeiro alerta vermelho – o mais elevado – por poluição atmosférica este ano na China.

 

O anúncio junta-se à situação de Pequim e de outras 20 cidades que se encontram em alerta laranja – o segundo mais elevado – pelo mesmo problema.

Outras 16 cidades estão em alerta amarelo.

 

No total, 72 cidades chinesas têm em vigor algum tipo de alerta por poluição atmosférica.

 

A região de Pequim-Tianjin-Hebei, no nordeste, estendeu o seu alerta até à noite de sábado, anunciou hoje o Ministério de Proteção Ambiental.

 

Em alguns locais dessa região, a poluição vai chegar a níveis “muito graves” com concentrações de partículas PM 2,5 (as mais perigosas) até 300 microgramas por metro cúbico (a Organização Mundial de Saúde recomenda um nível máximo de 25).

 

As previsões para a região do nordeste apontam para que no domingo chegue uma frente fria que disperse a neblina e a poluição.

 

A emissão dos alertas é acompanhada por diferentes níveis de restrições para o trânsito, escolas, atividade das indústrias ou obras de construção.

 

Um relatório divulgado na segunda-feira refere que muitas empresas ignoram estas medidas e prosseguem a sua atividade normalmente.

 

com Lusa

horadoplaneta às 11:20 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 02.12.16

Fotográfu ne’e hein oras tolu hodi hasa’i foto ba grupu manu nian

Grupu hosi manu ida


Steve Ward, hanesan fotógrafu ba vida selvage (animál sira), hader iha tuku neen dader no hein durante oras tolu nia laran, hodi konsege hasa’i foto ba manu-oan haat ne’ebé hein hela atu sira-ninia inan, lori hahan ba sira atu haan.  

 

Manu hirak ne’ebé forma hamutuk hanesan tiha koru ida no loke sira-ninia ibun hanesan atu kanta, afinál sira hein hela atu simu ai-haan dader nian hosi odamatan armajen tuan nian ida, iha Merseyside, Inglaterra.  Fotógrafu deskobre jerasaun hosi manu hirak ne’e, bainhira la’o hosi sidade Crosby.

 

“Ha’u fin deskobre jerasaun hosi manu hirak ne’e, bainhira ha’u fila hosi serbisu bá uma, liu hosi Little Crosby Village”, dehan fotógrafu.

“Iha tempu ne’ebá ha’u lalori ha’u-nia kámara, no ha;u mos hatene katak, lakleur tan manu sira ne’e sei semo, tanba ne’e iha loron tuir mai, ha’u hadeer tuku neen de’it no tenke hein durante oras tolu, to’o manu hirak ne’e ninia inan, lori hahan ba fó sira”, tuir saida maka Steve Ward konta.

 

SAPO TL ho Green Savers

tags:
horadoplaneta às 02:31 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Fotógrafo espera três horas para fotografar coro de pássaros

Um coro de pássaros

Steve Ward, fotógrafo de vida selvagem, levantou-se às seis da manhã e esperou três horas até conseguir documentar o momento em que quatro crias de pássaro foram alimentadas pela progenitora.

Alinhadas em posição de coro e com os bicos bem abertos como se estivessem a cantar, os animais aguardavam o pequeno-almoço numa porta de um velho celeiro em Merseyside, Inglaterra. O fotógrafo descobriu as crias de pássaro enquanto guiava pela cidade de Crosby. “Descobri as crias enquanto ia do trabalho para casa através de Little Crosby Village”, indica o fotógrafo.

 

“Na altura não tinha a minha câmara e, sabendo que em breve eles iriam abandonar o local, voltei no dia seguinte e depois de me ter levantado às seis da manhã tive de esperar três horas até que a mãe os viesse alimentar”, conta Steve Ward.

 

@Green Savers

tags:
horadoplaneta às 02:29 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 28.11.16

67% hosi ahu-ruin sira iha parte norte Great Barrier Reef mate ona

67% hosi ahu-ruin sira iha Great Barrier Reef parte norte Austrália nian, ne'ebé situa iha nordeste nasaun nian, mate ona iha fulan ualu ka fulan sia ikus ne'e, tuir hosi estudu sientífiku ida ne'ebé fó sai iha loron-segunda ne'e. 

 

Foto@ XL Catlin Seaview Survey Austrália & New Zealand Out/EPA

 

"Rejiaun ne'e eskapa ona ho estraga ki'ik sira tanba lakon kór entre tinan 1998 no 2002, maibé agora hanesan afetadu duni", hatete hosi Terry Huhes, diretór hosi Konsellu Investigasaun Australianu nian, ne'ebé halo estudu hosi área ne'e.

 

"Notísia di'ak maka 2/3 hosi ahu-ruin sira iha Great Barrier Reef iha parte súl konsege eskapa ho estraga mínimu sira", hatete hosi Andrew Baird, hosi Konsellu hanesan, ne'ebé diriji ona mergullu sira ne'ebé hala'o iha fulan-Outubru ho fulan-Novembru.

 

Espesialista sira kalkula katak rejiaun norte hosi Great Barrier Reef nian sei presiza tempu entre tinan 10 no 15 hodi rekupera sira nia ahu-ruin, menus duké alterasaun klimátiku sira muda siklu sira no halo nune'e atu sira bele reprodús lalais.

 

Estudu sientífiku oioin ne'ebé publika iha tinan ne'e alerta ona kona-ba estadu hosi ahu-ruin sira ne'ebé ladi'ak iha Great Barrier Reef ne'ebé, ho nia estensaun hamutuk 2.300 km, hanesan sistema boot ida hosi ahu-ruin sira iha mundu no konsidera hanesan Patrimóniu Mundial hosi Organizasaun ONU nian ba Edukasaun, Siénsia ho Kultura (UNESCO).

 

Great Barrier Reef, ne'ebé halibur ahu-ruin hamutuk 400 ne'ebé la hanesan, ikan ho espésie hamutuk 1.500 no balada-tasi sira ho variedade hamutuk rihun haat, hahú hetan estraga iha dékada 1990 tanba oseanu ne'ebé hahú manas no ba aumentu hosi asidez iha bee tanba prezensa maka'as hosi dióksidu karbonu iha atmosfera.

 

ho Lusa

horadoplaneta às 16:31 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

67% dos corais da parte norte da Grande Barreira está morto

Sessenta e sete por cento dos corais no norte da Grande Barreira da Austrália, que fica no nordeste do país, morreu nos últimos oito ou nove meses, de acordo com um estudo científico hoje divulgado. 

 

Foto@ XL Catlin Seaview Survey Austrália & New Zealand Out/EPA

 

"Esta região tinha escapado com pequenos danos devido à descoloração entre 1998 e 2002, mas desta vez foi realmente afetada", disse Terry Huhes, diretor do Conselho de Investigação Australiana, que conduziu o levantamento aéreo da área.

 

"A boa notícia é que dois terços dos corais no sul da Grande Barreira escaparam com danos mínimos", disse Andrew Baird, do mesmo Conselho, que dirigiu os mergulhos realizados em outubro e novembro.

 

Especialistas estimam que a região norte da Grande Barreira de Coral precisará entre 10 e 15 anos de tempo para recuperar os seus corais, a menos que as alterações climáticas modifiquem os ciclos e façam com que se reproduzam mais rapidamente.

 

Vários estudos científicos publicados este ano alertaram sobre o mau estado dos corais da Grande Barreira que, com os seus 2.300 quilómetros de extensão, é o maior sistema de corais do mundo e considerado Património Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

 

A Grande Barreira de Coral, que abriga 400 tipos de corais, 1.500 espécies de peixes e 4.000 variedades de moluscos, começou a deteriorar-se na década de 1990 devido ao aquecimento do oceano e ao aumento da acidez da água pelo aumento da presença de dióxido de carbono na atmosfera.

 

com Lusa

horadoplaneta às 16:19 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 22.11.16

Rekord sira ba temperatura aas sei akontese beibeik duké temperatura malirin

Estudu ida ne'ebé divulga, iha loron-segunda ne'e, kalkula katak rekord diáriu hosi temperatura aas sira iha EUA sei mosu beibeik duké temperatura sira malirin nian. 

 

AFP Photo@ Jim Watson

 

Baibain, nasaun ne'e hetan númeru máxima hanesan hosi temperatura manas no malirin nian iha tinan ida nia laran. Maibé hahú tinan 2010 maka ne'e la akontese ona, ho rekord hosi loron manas sira aumenta maka'as duké temperatura malirin sira.

 

Estudu, ne'ebé publikadu iha Anais hosi Akademia norte-amerikanu sira Siénsia nian, kalkula katak bainhira alterasaun klimátiku sira aumenta, númeru ne'e sa'e ba rekord 15 manas nian tuir ida hosi malirin nian.

 

Autór prinsipal hosi estudu, Gerald Meehlm, hosi Sentru norte-amerikanu hosi Investigasaun Atmosfériku, kalkula katak númeru ne'ebé laiha ekilíbriu maka'as bele akontese iha tinan 50 nia laran hahú agora, bainhira emisaun hosi gás ho efeitu estufa ne'ebé mosu bainhira sunu karvaun, petróleu no gás, kontinua ho ritmu ida hanesan ho agora.

 

ho Lusa

horadoplaneta às 13:54 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 21.11.16

Fertilidade dos corais da Grande Barreira afetada por branqueamento - WWF

A fertilidade dos corais da Grande Barreira ficou reduzida este ano pelo fenómeno de branqueamento, o pior registado naquela zona do nordeste australiano, alertou hoje o Fundo Mundial para a Natureza (WWF)

 

 

Anualmente, os corais sincronizam a expulsão de biliões de óvulos e espermatozoides, fenómeno descrito como uma “tempestade de neve submarina”, que faz com que os pólipos dos corais bebés surjam à deriva durante a desova e desçam para se fixar no recife, ajudando-o a crescer ou a reconstruir-se.

 

Contudo, este ano, este evento reprodutivo não sucedeu com toda a sua intensidade, segundo mostram fotografias do WWF na ilha Lizard, no norte da Grande Barreira de Coral.

 

“Primeiro o branqueamento matou muitos dos corais da ilha Lizard e agora os que ficaram têm tido problemas para desovar este ano”, disse o porta-voz daquela organização ambientalista na Austrália, Richard Leck, em comunicado. “O branqueamento teve impacto na fertilidade dos corais que sobreviveram”, acrescentou.

 

A Grande Barreira de Coral, declarada Património da Humanidade em 1981, com 2.500 recifes individuais que albergam corais únicos, 1.500 espécies de peixe e milhares de tipos de moluscos, começou a deteriorar-se na década de 1990 devido ao duplo impacto do aquecimento da água do mar e do aumento do grau de acidez por causa de uma presença maior de dióxido de carbono na atmosfera.

 

Atualmente, enfrenta a pior crise causada pelo branqueamento dos corais.

 

Este fenómeno acontece quando, devido à subida da temperatura da água do oceano, os corais expelem as algas simbióticas que vivem nos seus tecidos, que lhes imprimem coloração e lhes fornecem nutrientes.

 

A ausência prolongada desse tipo de alga leva à morte dos pólipos de coral.

 

O branqueamento matou este ano 22% dos corais deste ecossistema, apesar de na seção norte da Grande Barreira a taxa de mortalidade ser maior, segundo a WWF.

 

com Lusa

horadoplaneta às 14:20 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Janeiro 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO