Terça-feira, 23.06.15

Festivál na’an asu nian hamosu polémiku iha Xina

Iha sidade Yulin, iha súl Xina nian, iha tempu veraun selebra festival ba na’an asu, nebe sidadaun no vizitante millaun resin han na’an sira hosi animál oioin, maski iha protestu hosi ativista sira tanba direitu animál sira nian.

 



Rezidente barak hosi Yulin, sidade ki’ik ida iha súl Xina nian, hein ho ansiozu iha tinan tomak nian laran ba festival na’an asu nebe selebra iha veraun. Iha momentu ne'e, família no grupu sira halibur hamutuk iha meza hodi han na’an asu nebe prepara ona.

Edisaun tinan 2015 hahú ona iha loron 21 fulan-Juñu, loron solstísiu iha veraun nian, ne'e sei akontese hanesan iha tinan hirak ikus ne'e, tradisaun ne'e hasoru polémiku, ho grupu ativista internasionál sira husu ba governu xinés lejislasaun ida hodi bandu tradisaun ne'e, tuir esplika, envolve hahalok aat haosru animal sira.

Iha loron-segunda ne’e, grupu ida ho ativista besik na’in 25 hosi direitu animál nian halo manifestasaun iha edfísiu governu Yulin nia oin, husu atu taka festival ne'e, maibé ema deskoñesidu sira haruka sira sai tanba sira hanoin katak grupu ne’e ko’alia at hasoru ofisiál sira governu nian.

Merkadu sidade nian, fatin nebe fa’an animal nian, hanesan fatin ida nebe nakonu ho tensaun iha loron hirak ne’e. Maski nune’e, negosiante ba na’an asu no busa garanti katak negósiu la’o diak hela.

Durante sékulu barak, asu sira la’ós hanesan animal estimasaun iha Xina. Maibé, klase média foun nebe adota daudaun tradisaun osidental ne’e trata asu hanesan elementu hosi familia. Festival ne'e halo hodi hanoin fila fali xoke ideia kultural ne’e. Iha parte seluk, ema balun hakarak defende tradisaun no esplika katak han na’an asu ne’e brutal hanesan han na’an sira seluk- Iha fatin seluk, parte balun hosi populasaun xinés agora haree asu ho hanoin seluk, asuntu ne’e hanesan asuntu lulik ida.

Aleinde manifestasaun no petisaun sira, iha ativista sira nebe foti medida sériu no diretu sira. Iha tinan kotuk, Yang Xiaoyun mosu iha pájina jornal sira hafoin gasta euro rihun 21 hodi salva asu 350. Ativista, hosi parte norte nian, fila iha tinan ne'e ba Yulin ho osan nebe nia hetan hosi Xina tomak hosi salva tan asu sira. Hafoin ne’e Yang sei buka fatin ida ba animál sira ne’e iha sidade sira nebe besik ho Yulin.

ho Mood

horadoplaneta às 16:14 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Festival de carne de cão causa polémica na China

Na cidade de Yulin, no sul da China, todos os verões se celebra o festival de carne de cão, onde milhares de animais são consumidos por cidadãos e visitantes, apesar dos protestos dos ativistas pelos direitos dos animais.

 


A maior parte dos residentes de Yulin, uma pequena cidade no sul da China, espera ansiosamente durante todo o ano pelo festival de carne de cão, que se celebra no verão. Nesta altura, família e grupos de amigos juntam-se à mesa para consumir pratos preparados com carne de cão e líchias.

A edição de 2015 começou no dia 21 de junho, dia do solstício de verão e, tal como tem vindo a acontecer nos últimos anos, a tradição está envolta em polémica, com grupos ativistas internacionais a pedirem ao governo chinês uma legislação que proíba esta tradição que, segundo explicam, envolve atos de crueldade contra os animais.

Ontem, um grupo de cerca de 25 ativistas pelos direitos dos animais manifestou-se em frente ao edifício do governo de Yulin, pedindo o encerramento do festival, mas foram rapidamente mandados embora por homens não identificados que, no entanto, se pensa tratarem-se de oficiais do governo.

O mercado da cidade, onde os animais são postos à venda, é um dos pontos de maior tensão durante estes dias. Ainda assim, os negociantes de carne de cão e gato garantem que o negócio está a correr bem.

Durante séculos, os cães não eram vistos como animais de estimação na China. No entanto, a nova classe média está a adotar este hábito ocidental de tratar os cães como elementos da família. O festival vem relembrar este choque de ideais culturais. Por um lado, uns querem defender a tradição e explicam que comer carne de cão é tão brutal como consumir carne de qualquer outro animal. Por outro lado, o facto de uma parte da população chinesa olhar agora para os cães com outra perspetiva, está a tornar este assunto um tabu.

Além de manifestações e petições, há ativistas a tomar medidas mais sérias e diretas. No ano passado, Yang Xiaoyun apareceu nas páginas de jornais depois de gastar cerca de 21 mil euros para salvar 350 cães. A ativista, natural do norte do país, regressou este ano a Yulin com dinheiro angariado por todo o país para salvar mais cães. Yang pretende depois arranjar um lar para os animais em cidades circundantes a Yulin.

com Mood

horadoplaneta às 15:38 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Janeiro 2018

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO