Terça-feira, 01.12.15

Fiji oferese hodi simu populasaun hosi Kiribati bainhira alterasaun klimátiku halo illa mamuk

Illa sira Fiji nian oferese hodi simu populasaun tomak hosi Kiribati, fatin ida iha mundu ne'ebé sei hetan liu terus hosi alterasaun klimátiku, bainhira illa ne'e sai hanesan fatin ne'ebé ema labele hela.

 


"Hanesan ho korajen maka'as rona katak Fiji hatán simu ami nia povu bainhira, tanba alterasaun klimátiku sira, ami nia uma sira sei mamuk", esplika hosi Anote Tong, prezidente Kiribati nian, iha nia diskursu iha Simeira Klima nian ne'ebé aranka iha loron-segunda ne'e iha Paris.

Ho populasaun 105.000, kleur ona maka Kiribati hatene katak nia sobrevivénsia jeográfiku ladún di'ak. Pontu aas liu hosi South Tarawa, kapitál Kiribati nian, moris tanba saku rai-henek sira no fatuk sira ne'ebé trava avansu tasi-been nian no iha ema balun fiar katak, iha tinan 30 oinmai, nasaun ne'e sei lakon.

"Ami senti unidu ho Fransa hasoru violénsia ne'ebé akontese iha ne'e, maibé karik ami tenki sai unidu hasoru ameasa boot ba humanidade: alterasaun klimátiku, ne'ebé ameasa ita maibé, liuliu, ameasa sé maka iha liña oin hosi alterasaun klimátiku sira, ema atói ho altitude badak", Tong hatutan.

Prezidente Kiribati nian hatutan katak Simeira Klima nian tenki halakon polítiku no ajenda nasionál sira iha asuntu ida "ne'ebé hanesan global tuir natureza". "Futuru hosi ema sira ne'e, mane sira, feto sira no labarik sira, kultura tomak, komunidade sira, vila sira, sidade no nasaun sira, iha balansa ida. Ita labele kontinua lahó desizaun kona-bá oinsá ita avansa [kona-bá akordu ida]", nia hakotu.

Ikusliu, Anote Tong admiti katak akordu klimátiku ida tenki hanesan vinkuladór legal no repete ona katak tenki iha moratóriu ida ba mina karvaun sira hotu.

Fonte: Green Savers

horadoplaneta às 15:15 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Fiji oferece-se para receber habitantes de Kiribati caso alterações climáticas deixem ilha inabitada

As Ilhas Fiji ofereceram-se para receber toda a população de Kiribati, um dos locais do Globo que serão mais afectados pelas alterações climáticas, caso a ilha se torne inabitável.

 


“É muito encorajador ouvir que Fiji aceitar receber o nosso povo se, devido às alterações climáticas, as nossas casas fiquem inabitáveis”, explicou Anote Tong, presidente de Kiribati, no seu discurso da Cimeira do Clima, que arrancou em Paris, esta segunda-feira.

Com 105.000 habitantes, há muito que Kiribati sabe que a sua sobrevivência geográfica está por um fio. O ponto mais alto de South Tarawa, a capital de Kiribati, sobrevive graças aos sacos de areia e rochas que travam o avanço da água do mar e há quem acredite que, dentro de 30 anos, o país desaparecerá.

“Estamos unidos a França contra a violência que aqui se passou, mas também devemos estar unidos contra, talvez, a maior ameaça à humanidade: as alterações climáticas, que nos ameaçam mas, sobretudo, ameaçam quem está na linha da frente das alterações climáticas, os atóis com baixa altitude”, continuou Tong.

O presidente de Kiribati acrescentou que a Cimeira do Clima tem de ignorar as políticas e agendas nacionais num assunto “que é global por natureza”. “O futuro das pessoas, homens, mulheres e crianças, culturas inteiras, comunidades, vilas, cidades e nações, está numa balança. Não podemos continuar indecisos sobre a forma de avançarmos [sobre um acordo]”, concluiu.

Por fim, Anote Tong admite que um acordo climático tem de ser legalmente vinculador e repetiu que deverá existir uma moratória para todas as novas minas de carvão.

Fonte: Green Savers

horadoplaneta às 14:48 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 04.09.15

Illa Pasífiku sira hakarak indemnizasaun tanba alterasaun klimátiku

Fundu hosi Dezenvolvimentu Illa Pasífiku sira nian sei husu ba emisór prinsipál sira gás ba estufa nian atu selu nasaun insulár sira nebe afetadu tanba alterasaun klimátiku sira, haktuir hosi imprensa lokál iha loron-sesta ne'e.


 

Líder ho reprezentante sira hosi fundu rejionál ne'e konkorda ona atu hakotu pedidu ne'e iha deklarasaunn ikus hosi enkontru loron tolu, nebe hotu iha loron-sesta ne'e iha Fiji, tanba seidauk iha kritériu no metodolojia, haktuir hosi jornál Fiji Times.

 

Sekretáriu-jerál interinu hosi fundu ne'e, Amena Yauvoli, justifika ona indemnizasaun sira hodi hatete katak asaun hosi ansaun sira nebe halo poluisaun la hanesan ho konvensaun ONU nian hasoru alterasaun klimátiku.

 

"Ami kontribui ona ho gás nebe menus, maibé ami maka hasoru estraga sira hosi alterasaun klimátiku. Tanba ne'e ami konkorda ho indemnizasaun sira iha termu imigrasaun nian no estraga no prejuizu sira relasionadu ho alterasaun klimátiku", Yauvoli hatete.

 

Enviadu espesiál hosi ONU ba Alterasaun Klimátiku, Mary Robinson, hatete katak iha loron-domingu no loron-segunda sei hala'o reuniaun ministeriál ida informal iha Paris hodi ko'alia espesífiku ba aspetu finanseiru.

 

"Ho liafuan seluk, [sei ko'alia] implementasaun, adaptasaun, estraga, nebe hanesan importante ba ema sira iha Pasífiku no illa ki'ik sira seluk", hatete hosi Robinson nebe haktuir hosi jornál.

 

Hodi hamenus efeitu sira hosi alterasaun klimátiku harii ona, iha tinan haat liubá, Fundu Verde Klima nian, nebe sei konta ho osan dolár millaun 100.000 hahú iha tinan 2020, folin ida nebe destinadu hodi apoia nasaun sira nebe vulnerável.

 

ho Lusa

horadoplaneta às 16:19 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Ilhas do Pacífico querem indemnizações por alterações climáticas

O Fundo de Desenvolvimento das Ilhas do Pacífico vai pedir aos principais emissores de gases de efeito estufa que indemnizem os países insulares afetados pelas alterações climáticas, informa a imprensa local nesta sexta-feira.


 

Os líderes e representantes deste fundo regional concordaram incluir este pedido na declaração final do encontro de três dias, que hoje termina nas Fiji, ainda que não tenham sido fixados critérios nem metodologia, segundo o jornal Fiji Times.

 

O secretário-geral interino do fundo, Amena Yauvoli, justificou as indemnizações argumentando que as ações dos países mais poluidores são contrárias à convenção da ONU contra as alterações climáticas.

 

"Nós contribuímos com menos [gases], mas somos nós que enfrentamos todos os danos das alterações climáticas. Por isso concordamos com indemnizações em termos de imigração e danos e prejuízos em consequência das alterações climáticas", disse Yauvoli.

 

A enviada especial da ONU para as Alterações Climáticas, Mary Robinson, disse que no domingo e na segunda-feira irá realizar-se uma reunião ministerial informal em Paris para tratar especificamente do aspeto financeiro.

 

"Noutras palavras, [vai discutir-se a] implementação, adaptação, os danos e prejuízos que são de vital importância para as pessoas do Pacífico e outras ilhas pequenas", disse Robinson, citada pelo jornal.

 

Para mitigar os efeitos das alterações climáticas foi criado, há quatro anos, o Fundo Verde do Clima, que deverá contar com cerca de 100.000 milhões de dólares a partir de 2020, valor destinado a apoiar os países mais vulneráveis.

 

com Lusa

horadoplaneta às 15:42 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Outubro 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO