Segunda-feira, 21.09.15

Florestas do Camboja estão a desaparecer a um ritmo alarmante

Há 25 anos, as florestas cobriam 73% da área terrestre do Camboja. Em 2010, este número tinha descido para 57% e hoje será ainda menor, à medida que a desflorestação ilegal, agricultura e actividades mineiras avançam a um ritmo cada vez maior neste país.

 

O parque arqueológico de Angkor, no Camboja, insere-se numa zona de paisagem protegida.

 

Segundo o World Resources Institute, que recorreu a satélites norte-americanos que monitorizam este fenómeno, a desflorestação no Camboja avançou a um ritmo mais rápido que o de qualquer outra nação mundial, na última década. Mais de 14.000 quilómetros quadrados de floresta foram perdidos entre 2001 e 2013, sendo que muitos deles dentro de áreas protegidas, de conservação de natureza e santuários de vida selvagem.

 

Para além do Camboja, avança o Cambodia Daily, também o Paraguai, Uruguai, Madagáscar e Serra Leoa perderam milhares de quilómetros de floresta. De acordo com o investigador Matt Hansen, da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, a desflorestação está a aumentar globalmente e os Governos têm de começar a proteger as florestas – e perceber se os incentivos à economia de curto prazo valem a perda de biodiversidade a eles associados.

 

com Green Savers

horadoplaneta às 14:32 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 21.08.15

Asoka: a bebé orangotango que foi encontrada a chorar sozinha na floresta

Asoka, uma bebé orangotango que foi encontrado a chorar sozinho na floresta do Bornéu, Indonésia, foi resgatada e enviada para o centro de reabilitação da International Animal Rescue (IAR), em Ketapang.



 

Segundo a Animal Rescue, a bebé foi encontrada por um habitante local que, apesar das boas intenções, alimentou-a com leite condensado doce – e estragado – quatro vezes ao dia. Entretanto, e sabendo que o orangotango é um animal protegido, ele contactou o departamento da floresta local, para o recolher como órfão.

 

Ainda assim, Asoka ficou com a família do seu salvador durante quatro semanas, dormindo com ele e a sua mulher. “Asoka tem a típica e trágica história que está a ameaçar a sobrevivência das populações de orangotango no Bórneu e Sumatra”, explicou à imprensa britânica Alan Knight, CEO da IAR. “À medida que a indústria do óleo de palma continua a devorar a floresta tropical, mais orangotangos estão a ficar sem abrigo, com fome e vulneráveis aos caçadores”. 

 

 

Asoka, que aos quatro ou cinco meses pesa apenas dois quilos, terá sobrevivido à morte do seu pai e teve a sorte de não ser vendida como animal de estimação.

 

“Centros como os nossos estão a abarrotar com animais em reabilitação, que são preparados para regressar à vida selvagem. Mas quando a pequena Asoka for libertada haverá alguma floresta para ela viver?”, questionou Alan Knight.

 

com Green Savers

horadoplaneta às 12:05 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Janeiro 2018

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO