Sexta-feira, 22.04.16

Bainhira Planeta mosu ho arte duke ho siénsia

Kór hosi Oseanu ne’ebé ita laharee

Lee-na’in sira, la’os Vincent van Gogh maka pinta imajen hosi ita-nia galeria. Imajen hirak ne’e maka reprezenta realidade: satélite sira maka hasai imajen hirak ne’e no uza teknolojia foun hodi halo koloridu, atu hatudu temperatura oioin kona-ba korente tasi-nian.

 

Rotasaun tuir imajen ne’ebé iha hatudu temperatura – hosi verde malirin polo nian ba to’o mean manas trópiku, besik ekuadór. Imajen hirak ne’e kria hodi halo kamada ba korente tasi tuir dadus NASA nian, hamutuk ho fotos hosi satélite ne’ebé situa iha fatin oioin Planeta nian.

Korente tasi-nian afeta hosi anin lokál, maibé tuir imajen ne’ebé iha, korente ne’ebé akontese hosi superfísie tasi nian, akontese iha mar altu no guia hosi sistema anin globo ne’ebé komplesu.

 

Ajénsia hanesan NASA ka ESA, esplika ba Mail Online, katak sira halo monitorizasaun ba temperature Tasi-nian, liu hosi satélite atu hatene oinsá maka klima muda ekosistema globál. Maski nune’e, imajen hirak ne’e maka furak liu hosi ajénsia refere.

 

SAPO TL ho Green Savers

tags: ,
horadoplaneta às 02:34 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Quando o Planeta se parece mais com arte do que com ciência

As cores escondidas do Oceano

Não, caro leitor, não foi Vincent van Gogh que pintou as imagens da nossa galeria. Elas representam a realidade: foram tiradas por satélites e coloridas utilizando uma tecnologia recente que revela as diferentes temperaturas das correntes oceânicas.

 

Os redemoinhos que se podem ver nas imagens mostram as temperaturas – desde o verde frio dos polos até ao vermelho quente dos trópicos, perto do equador. As imagens foram criadas ao criar camadas de correntes oceânicas compiladas pelos dados da NASA, juntando-as às fotos de satélite situados em várias partes do Planeta.

 

As correntes costeiras são afectadas pelos ventos locais, mas as correntes da superfície do Oceano, reveladas por estas imagens, ocorrem em mar alto e são guiadas pelo complexo sistema de ventos do globo.

 

Agências com como a NASA ou a ESA, explica o Mail Online, monitorizam as temperaturas do Oceano ao utilizarem satélites para perceber como o clima está a mudar o ecossistema global. Estas imagens, porém, são das mais belas alguma vez produzidas por estas agências.

 

@Green Savers

tags: ,
horadoplaneta às 02:31 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 14.03.16

Fevereiro foi 1,35º mais quente em todo o mundo

Fevereiro foi 1,35º mais quente que a temperatura média histórica do mês em todo o mundo. 

 

O clima quente em Sydney, Austrália. EPA@ Dean Lewins


As temperaturas globais do mês de Fevereiro bateram todos os recordes históricos por uma larga margem, de acordo com dados da agência norte-americana NASA, que voltou a relembrar a necessidade de medidas que mitiguem as alterações climáticas.

 

De acordo com a NASA, a temperaturas globais subiram 1,35º em relação às temperaturas médias para este mês medidas no período entre 1951 e 1980. “É um grande choque e mais uma lembrança da subida incessante das temperaturas globais resultantes de gases com efeito de estufa produzidos pelo Homem”, escreveram Jeff Masters e Bob Henson no blog Weather Underground, que analisou os dados.

 

Na verdade, o mês de Janeiro já tinha batido todos os recordes de temperatura, com os termómetros a subirem 1,15ºC em relação à media global daquele mês.

 

O Weather Underground explica ainda que, embora parte deste fenómeno tenha sido originado pelo El Niño, no Oceano Pacífico, a verdade é que as temperaturas foram mais altas que as ocorridas no último El Niño, em 1998, um fenómeno que foi tão violento como o deste ano.

 

“Estamos numa espécie de emergência climática”, explicou à Fairfax Media Stefan Rahmstorf, do Postdam Institute of Climate Impact Research, da Alemanha. “Isto é realmente incrível e sem precedentes”, concluiu.

 

Fonte: Green Savers

horadoplaneta às 10:43 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 31.07.15

NASA descobre sistema planetário com três super-Terras

A descoberta do sistema planetário, constituído por um planeta gigante e três super-Terras a orbitar em torno de uma estrela anã, foi anunciada esta quinta-feira.

 

Foto: NASA / JPL-Caltech


Astrónonomos europeus anunciaram esta quinta-feira a descoberta de um sistema planetário com três super-Terras em órbita de uma estrela anã brilhante, sendo que um deles parece ser um planeta de rochas vulcânicas derretidas.

O sistema com quatro planetas está no hemisfério norte da constelação Cassiopeia, tendo a forma de um M e estando a 21 anos-luz da Terra, adiantaram os investigadores da revista europeia "Astronomy & Astrophysics".

Este sistema parece ser constituído por um planeta gigante e três super-Terras que estão a orbitar em torno de uma estrela anã, apelidada de HD219134. As super-Terras foram assim designadas pelo facto de possuírem uma massa maior que a do planeta Terra, mas, ainda assim, serem mais leves que os planetas gasosos Neptuno, Saturno ou Júpiter.

O planeta com a órbita mais curta, HD219134b, anda à volta a cada três dias, tendo já sido observado, do ponto de vista da Terra, em trânsito em redor das faces da sua estrela.

As medições a partir do solo, feitas com o telescópio espacial Spitzer da NASA, mostraram que a sua massa é 4,5 vezes mais alta e 1,6 mais larga do que a altura e largura da massa da Terra.

"A sua densidade média é próxima da densidade da Terra, sugerindo uma composição semelhante. Está muito perto da estrela. A temperatura é de cerca de 700 graus Kelvin." (aproximadamente 427 Celsius), segundo o relato de um comunicado de imprensa da Universidade de Genebra, onde trabalha a equipa de astrónomos responsáveis pela pesquisa.

Portanto, não é uma zona habitável e não teria água necessária para a vida humana.

Contudo, HD219134b é excitante para os estudiosos da área por ser o planeta em trânsito mais próximo da Terra, proporcionando desta forma uma oportunidade rara para estudar mais aprofundadamente a sua composição e atmosfera contra o pano de fundo da sua estrela.

"Estes sistemas são especialmente interessantes na medida em que permitem - através do estudo - a caracterização da atmosfera do planeta, a luz da estrela que atravessa a atmosfera," disse Udry, coautor do relatório da Universidade de Genebra.

com Expresso

horadoplaneta às 14:43 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

NASA deskobre sistema planetáriu ho super-Terra tolu

Deskoberta ba sistema planetáriu, konstitui hosi planeta bo'ot ida no super-Terra tolu ne'ebé hadulas fitun anaun tomak, anunsia ona iha kinta-feira horseik.

 

Foto: NASA / JPL-Caltech

 

Austrónomu europeu sira fó sai iha kinta-feira kona-ba deskoberta sistema planetáriu ho super-Terra tolu ne'ebé hadulas fitun anaun ida nabilan tebes, entre tolu ne'e ida atu hanesan planeta roxa vulkánika ne'ebé nabeen.

Sistema ho planeta haat iha emisfériu norte konstelasaun Cassiopeia nian, ho forma ida M no iha ona tinan 21 ba roman Rai nian, hatutan investigador sira ba revista europeia "Astronomy & Astrophysics".

Sistema ne'e dalaruma konstitui planeta bo'ot ida no super-Terra tolu ne'ebé hadulas hela fitun anau, hanaran HD219134. Super-Terra sira hanaran hanesan ne'e tanba iha masa aas duké masa planeta Rai nian, nune'e moos kamaan liu planeta gazozu Neptunu, Saturnu ka Júpiter.

Planeta ho órbitu badak,HD219134, loron tolu haleu pontu de vista Rai nian, tanba observa tiha ona hosi tránzitu iha redór fitun nian.

Medisaun hahú hosi solu, halao ho teleskópiu espasiál Spitzer NASA nian, hatudu katak ninia masa aas liu dala 4,5 no luan liu duké masa Rai nia aas no largura.

"Ninia densidade média mak besik densidade Rai nian, iha kompozisaun ida hanesan. Besik liu fitun. Temperatura besik grau Kelvin 7000."(besik 424 selsiu), tuir relatu komunikadu imprensa ida hosi Universidade Genebra, fatin ne'ebé ekipa astrónomu responsável ba peskiza ne’e servisu ba.

Tanba ne'e, laós zona ne’ebé habitável no la iha bee ba ema nia moris.

Maibé, HD219134 hanesan atrai ba estudiozu sira iha área tanba planeta iha tránzitu besik liu ba Rai, proporsiona forma ne'e oportunidade ida ladún estuda kle'an liu tan ninia kompozisaun no atmosfera kontra fitun nia kotuk.

"Sistema sira ne'e interesante liliu iha medida ne'ebé permite - liu hosi estudu - karaterizasaun atmosfera planeta nian, fitun nia roman ne'ebé liu hosi atmosfera", hatete Udry, koautor ba relatóriu Universidade Genebra nian.

ho Expresso

horadoplaneta às 14:41 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

pesquisar

 

Novembro 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

posts recentes

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO